Game of Thrones Wiki
Advertisement

"O reino. Você sabe o que o reino é? São as mil espadas dos inimigos de Aegon."
Petyr Baelish, sobre o Trono de Ferro[fnt]

Os Sete Reinos era o nome dado ao reino de Westeros se estendendo do Norte a Dorne. O governante dos Sete Reinos recebia o título de Rei dos Ândalos, dos Roinares e dos Primeiros Homens, por reinar estes três povos que povoam os Sete Reinos. A capital se localizava em Porto Real.

Antes da Guerra da Conquista, Westeros era dividida em sete reinos separados, levando assim o nome do governo após a unificação de seis de sete reinos separados em Westeros por Aegon I Targaryen, o primeiro Rei dos Ândalos e dos Primeiros Homens. O único a não se unir a Aegon I foi Principado de Dorne, mas o nome formal do reinado Targaryen se manteve "Sete Reinos" mesmo antes de Dorne se unir a eles por casamento mais de cem anos depois. O símbolo do poder Targaryen se localizava no Trono de Ferro, uma cadeira feita com as lâminas dos inimigos de Aegon durante sua conquista. O governante, além do título de Rei dos Ândalos e dos Primeiros Homens, também possuía Senhor dos Sete Reinos, por ser o governante supremo dos diferentes reinos de Westeros, e Protetor do Território. Durante a dinastia Lannister, a Rainha Cersei I mesclou estes dois títulos em Protetora dos Sete Reinos.

Os Sete Reinos foram dissolvidos em Seis Reinos durante o Grande Conselho de 305 d.C., onde a monarquia absolutista instaurada pela dinastia Targaryen foi trocada por uma monarquia eletiva, elegendo Brandon I Stark como o primeiro rei eleito pelos grandes senhores, e declarando o Norte formalmente como um reino independente como era antes de Aegon I.

História

Antes da unificação durante a conquista de Aegon, Westeros era dividida em sete reinos distintos: Reino do Norte, Reino das Montanhas e do Vale, Reino das Ilhas e dos Rios, Reino do Rochedo, Reino da Campina, Reino da Tempestade, Principado de Dorne, e algumas ilhas do Mar Estreito que não necessariamente contavam como um reino.[1] Guerras constantes assolavam as terras desde a Era da Aurora, com disputas de poder ocorrendo constantemente em Westeros e reinos se erguendo e caindo constantemente.[2][3]

Dinastia Targaryen

"Sonhos não nos fizeram reis. Dragões sim."
Daemon Targaryen[fnt]

Aegon Targaryen e suas irmãs-esposas, Rhaenys e Visenya, usaram seus dragões para submeterem os reis dos diferentes reinos a sua vontade. Ele mandou cartas aos sete afirmando que Westeros iria reconhecer apenas um único rei.[4] Harren, o Negro, foi o primeiro a resistir a Aegon em seu novo castelo, Harrenhal, e foi queimado por Balerion de fora para dentro, conseguindo para os Targaryen as Ilhas de Ferro e as Terras Fluviais.[5][6] A Casa Greyjoy se tornaria a nova retentora de poder nas Ilhas de Ferro,[7] enquanto a Casa Tully se tornaria a sede de poder nas Terras Fluviais.[2] Com ajuda de Orys Baratheon, seu meio-irmão bastardo, as Terras da Tempestade foram conquistadas da Casa Durrandon, tornando a Casa Baratheon a nova sede de poder nas Terras da Tempestade,[8] e o Vale de Arryn foi submetido por Visenya sem nenhuma batalha, mantendo a Casa Arryn como Guardiões do Leste e Senhores do Vale.[9] Ele com sucesso submeteu o Reino da Campina e do Rochedo no Campo de Fogo,[10] mantendo a Casa Lannister como Guardiões do Oeste e Senhores de Rochedo Casterly, enquanto a Casa Gardener foi extinta e substituída pela Casa Tyrell como Senhores da Campina.[11] Os nortenhos também se ajoelharam a Aegon após o Campo de Fogo sem resistência, ficando com o posto de Guardiões do Norte e Senhores de Winterfell.[12] Apenas Dorne resistiu a Aegon, matando Rhaenys e seu dragão Meraxes. Eles se manteriam como um reino separado por mais de cem anos até se unirem a Casa Targaryen por casamento.[13][14][15][16]

Dessa forma, os Sete Reinos foram formados―mesmo com Dorne ainda insubmisso―e o Trono de Ferro foi forjado no Aegonforte, que mais tarde se tornaria a Fortaleza Vermelha. Porto Real, onde Aegon pisara com suas irmãs antes de iniciar sua conquista, se tornou a capital dos Sete Reinos, e Aegon foi ungido como Aegon Targaryen, o Primeiro de Seu Nome, Rei dos Ândalos, dos Roinares e dos Primeiros Homens, Senhor dos Sete Reinos e Protetor do Território.[15][16][17]

Dança dos Dragões

A ser adicionado.

Conquista de Dorne

Eventualmente o Rei Daeron I Targaryen tentou conquistar Dorne novamente, mas eventualmente acabou falhando. Dorne só se uniria aos Sete Reinos com casamento, arranjado entre o Rei Daeron II Targaryen e a Princesa Myriah Martell. Apesar de serem parte do governo do Trono de Ferro, os dorneses puderam manter suas tradições de sucessão―que se diferenciava do resto dos Sete Reinos―e o título de "Príncipe ou Princesa" ao invés de "Senhor ou Senhora/Lorde ou Lady".[13]

Dinastia Baratheon

O reinado de Aerys II Targaryen foi controverso e instável, levando eventualmente a Rebelião de Robert que partiu o reino em dois. O Norte, Vale, Terras Fluviais e Terras da Tempestade se rebelaram contra a coroa após o sequestro de Lyanna e assassinato de Brandon e Rickard Stark. Quando Sor Jaime Lannister matou Aerys II, e seus herdeiros Viserys e Daenerys Targaryen tendo sido levados além do Mar Estreito por lealistas a coroa, Robert Baratheon foi coroado Rei dos Ândalos e dos Primeiros Homens, iniciando a dinastia Baratheon onde seus filhos o sucederiam.[18]

Durante o governo de Robert I Baratheon, apenas uma grande guerra atingiu os Sete Reinos―a Rebelião Greyjoy, onde Balon se corou como Rei das Ilhas de Ferro. Por fim a rebelião foi contida e Balon ainda manteve seu posto de Senhor das Ilhas de Ferro.[19] Apesar de ter tido um reinado relativamente, o próprio Rei Robert I pouco se interessou em governar, tendo atendido apenas duas reuniões do Pequeno Conselho em dez anos.[20] Ele conseguiu deixar o reino com seis milhões de dragões de ouro em dívidas, três milhões sendo com a Casa Lannister.[21]

Com a morte de Robert I e a ascensão de Joffrey I Baratheon, a Guerra dos Cinco Reis eclodiu, onde Stannis Baratheon alegava que Joffrey I na realidade era fruto de um incesto entre Jaime e Cersei Lannister, esposa de Robert, assim como todos seus filhos, Tommen e Myrcella Baratheon, tornando-o herdeiro legitimo ao Trono de Ferro.[22] Renly Baratheon no entanto acreditava que ele tinha melhor direito de reinar, crendo que seu irmão Stannis, por mais que fosse mais velho, era pouco amado e rigído demais para se sentar no trono. Balon Greyjoy também aproveitou a oportunidade para se declarar novamente Rei das Ilhas de Ferro e invadir o Norte.[23] Por fim, Robb Stark foi nomeado Rei do Norte por seus vassalos após a morte de Eddard Stark, seu pai, acreditando que os nortenhos não deveriam seguir nenhum dos outros três candidatos ao Trono de Ferro.[24]

Eventualmente todos os cinco reis acabaram morrendo,[25][26][27][28][29] Tommen I Baratheon assumiu o lugar de Joffrey I, seu irmão mais velho, mas acabou cometendo suicídio após a Destruição do Grande Septo de Baelor. O final da dinastia Baratheon foi então marcado por uma sangrenta e custosa guerra para os Sete Reinos, deixando uma crise de sucessão que foi preenchida pela primeira rainha da história de Westeros, Cersei I Lannister, dando início a sua dinastia.[30]

Dinastia Lannister

Mesmo tendo assumido o Trono de Ferro e sido coroada como Cersei I Lannister, pouco apoio ela teve, visto que grande parte dos Sete Reinos estavam em rebelião. Dorne e a Campina se uniram a Daenerys Targaryen, que vinha de além do Mar Estreito para restaurar a dinastia Targaryen. Jon Snow, bastardo de Ned Stark, foi nomeado como Rei do Norte e tinha Sansa Stark a seu lado, quem Cersei I suspeitava que havia matado seu filho, Joffrey I.[31] As Ilhas de Ferro acabaram se juntando a Cersei e atacando rapidamente os apoiadores de Daenerys, iniciando a guerra entre as duas rainhas com a primeira vitória Lannister.[32] Sor Jaime liderou o Saque de Jardim de Cima, extinguindo a Casa Tyrell com apoio da Casa Tarly, mas Daenerys Targaryen rapidamente revidou na Batalha da Estrada de Ouro, destruindo os herdeiros homens da Casa Tarly e ganhando sua primeira vitória.[33] Essa guerra custosa teve uma trégua durante a Conferência em Porto Real, em que Jon Snow apresentou as duas rainhas uma criatura parte do Exército dos Mortos. Apesar de fingir dar uma trégua a Daenerys, Cersei I aproveitou a chance para recuperar seus territórios ao sul do Gargalo enquanto o exército Targaryen e Stark enfrentavam o Rei da Noite ao Norte.[34] Tendo recuperado ouro o suficiente para pagar as dívidas da coroa com o Banco de Ferro após o Saque de Jardim de Cima,[33] Cersei I contratou a Companhia Dourada para enfrentar o que restasse do exército Targaryen após a Grande Guerra.[35] Eventualmente seu reinado chegou ao fim com a Batalha de Porto Real, onde as forças Lannister e a Companhia Dourada foram derrotados pelo ataque de Daenerys e seu exército. A cidade de Porto Real acabou caindo no processo em um ataque de raiva da rainha dragão, que queimou inocentes e reduziu a cidade a cinzas.[36]

Dissolução

Após o assassinato de Daenerys Targaryen por Jon Snow, os grandes senhores de Westeros se reuniram em um Grande Conselho para se decidir o futuro dos Sete Reinos. Foi-se então estabelecido uma monarquia eletiva para substituir a hereditária, com Brandon I Stark sendo o primeiro Rei dos Ândalos e dos Primeiros Homens eleito pelos grandes senhores. Sansa Stark no entanto alegou que o Norte continuaria independente, e Bran I concordou com sua separação, se tornando Senhor dos Seis Reinos ao invés de Sete e dissolvendo o estado em Reino do Norte e Seis Reinos.[37]

Política

"Mas Sor Criston Cole apontou, com razão, que um filho vem antes de uma filha."
Viserys Targaryen[fnt]

Como uma monarquia hereditária, os herdeiros ao Trono de Ferro eram nascidos e criados desde a infância para essa função.[21] A prioridade era sempre o filho homem mais velho do atual governante. Quando ele não tivesse herdeiros homens, o trono passaria ao parente masculino mais próximo como foi decidido no Grande Conselho de Harrenhal em 101 d.C..[38] Crises de sucessão levaram a diferentes guerras durante a Dinastia Targaryen e Baratheon, tanto para descentes femininas quanto para bastardos.[39][40] Para as casas nobres, apesar do filho homem do Senhor ter preferência, a filha vinha antes do irmão ou parente masculino mais próximo.[41] Em Dorne, independente do gênero, herdava aquele mais velho, então mulheres podiam sim exercer forte poder político.[13] Um rei, apesar de ter o poder absoluto, não governava sozinho. Reis de menores possuíam regentes e a Mão do Rei era o segundo cargo de maior poder pelos Sete Reinos,[42] podendo até mesmo sentar no Trono de Ferro na ausência do governante principal.[43] Além disso, um Pequeno Conselho era formado para auxiliar o rei, com diferentes funções especificas para cada assunto importante do reino, contendo além da Mão do Rei, um Mestre dos Navios, Mestre da Moeda, Mestre dos Sussurros, Mestre das Leis, Mestre da Guerra, Grande Meistre,[21] Senhor Comandante da Guarda Real,[44] e durante o reinado de Joffrey I e Tommen I Baratheon, um membro de Dorne teria espaço no Pequeno Conselho,[20][45] mas esse cargo foi absolvido durante a dinastia Lannister de Cersei I.[31]

"Sua Graça tem muitos afazeres. Ele confia os pequenos assuntos a nós, para que possamos aliviar sua carga."
Varys, sobre o Pequeno Conselho e a presença do rei nele[fnt]

O Pequeno Conselho tinha o trabalho de governar os assuntos pequenos e grandes do reino, com ou sem a presença do rei.[21] Alguns reis preferiam estar presentes nas reuniões do Pequeno Conselho, mas muitos decidiam que não tinham necessidade de estar lá para toda decisão. Os reis ou rainhas regentes tinham a palavra final, assim como as Mãos do Rei, mas mesmo que o rei fosse de menor e ainda não exercesse poder político de fato, sua palavra tinha peso dentro do Pequeno Conselho e sua presença era bem-vinda mesmo em tenra idade.

Economia

Veja também: Moeda.
"Sob a dinastia Targaryen, Westeros prosperou. Acabaram-se as guerras fúteis de sete reinos e a sede inacabável por glórias pequenas que os moviam. As Terras Ocidentais enriqueceram o reino, o Norte o guardou, e a Campina e as Terras Fluviais o alimentaram."
Margaery Tyrell[fnt]

A moeda de câmbio pelos Sete Reinos eram dividas em três valores, sendo do maior para o menor respectivamente o dragão de ouro, veado de prata e moeda de cobre. Um camponês costumava levar sua produção as cinco grandes cidades de Westeros ou a outros centros comerciais para trocá-las por moedas, com valores variados dependendo da estação, época da colheita, quantidade, e até mesmo situação política, já que guerras afetavam preços de alimentos e mercadorias. Plebeus comuns costumavam também trocar sua mão de obra por moedas,[20] enquanto outros vendiam mercadorias artesanais em mercados.[46] Prostituição também era uma prática lucrativa nos Sete Reinos.[47]

A coroa possuía um cofre que era enchido com tributações e impostos dos grandes senhores pelos Sete Reinos, estes que cobravam impostos de outros senhores menores pertencentes a suas terras. A coroa também costumava fazer empréstimos ao Banco de Ferro de Braavos,[27] enquanto grandes casas ricas auxiliaram os Sete Reinos com dinheiro e alimentos, tais como a Casa Lannister[21] e a Casa Tyrell.[44] Em suma, a distribuição de alimentos e ouro pelas diferentes regiões de Westeros ficava a cargo das Grandes Casas que detinham poder local, com as Terras Fluviais e a Campina sendo grande distribuidora de alimento e as Terras Ocidentais de ouro, por exemplo. Embora autossuficiente em agricultura, o Norte tem poucas exportações e uma população menor, mas sua principal contribuição para a economia geral do reino é considerada a segurança. O Norte é uma vasta planície geográfica que fica entre os reinos do sul e bandos de selvagens invasores que podem tentar invadir as terras ricas de Westeros.[18] Por ser uma região fria, também possui animais de pelagem pesada que não estão presentes nas regiões mais quentes ao sul, e os pastores produzem lãs pesadas. A Casa Forrester era uma grande exportadora de pau-ferro, uma madeira extremamente resistente e cara dos Sete Reinos.[48]

Vinho era outro produto fortemente comercializado em Westeros, incluindo em exportações para fora do país. Dorne e a Árvore eram os principais distribuidores de vinho.[47] Os Sete Reinos também conduziam um vigoroso comércio exterior diverso, particularmente com as Cidades Livres vizinhas através do Mar Estreito em Essos. As redes de comércio das quais os Sete Reinos faziam parte se estendiam até Qarth no leste distante: a Casa Lannister das Terras Ocidentais era conhecida como uma das maiores clientes da guilda dos mercadores de seda em Qarth.[49] Especiarias e vários outros produtos exóticos também chegavam aos Sete Reinos através da rede de comércio internacional. Como a escravidão era ilegal nos Sete Reinos, no entanto, e abominada por todas as principais religiões de Westeros, eles não participavam do comércio internacional de escravos.

Geografia

O território pertencente aos Sete Reinos cobria toda Westeros com exceção da Dádiva, que fora doada pelos nortenhos a Patrulha da Noite para seu sustento, tornando-a fora da jurisdição de Winterfell e do Senhor Soberano do Norte.[26] O Norte era a região mais fria e menos populosa dos Sete Reinos, tendo menos de um milhão de habitantes durante o período da Guerra dos Cinco Reis.[34] O Gargalo era uma região mais pantanosa e de difícil acesso, e fazia a fronteira do Norte e do "sul" dos Sete Reinos. As Terras Fluviais estavam no centro de Westeros e era uma região bastante afetada em guerras por sua localidade central,[2][3] no entanto, era uma região muito populosa e fértil em alimentos.[18] As Terras Ocidentais eram ricas em minerais.[50] O Vale de Arryn era uma região montanhosa e de difícil acesso, mas fértil e sustentável. O Ninho da Águia, capital do Vale, era dito como sendo impenetrável.[51][52] A Campina era uma região cheia de campos e planícies de solo extremamente fértil.[53] As Terras da Coroa se localizavam a sudeste das Terras Fluviais, logo abaixo do Vale, e era onde se localizava a capital Porto Real e a sede do Rei dos Ândalos, dos Roinares e dos Primeiros Homens. Por fim, Dorne era a região mais ao sul de Westeros, logo abaixo das Montanhas Vermelhas. Uma terra quente e seca, cheia de desertos e litorais exóticos.[13]

Apesar de Porto Real ser a capital dos Sete Reinos, cada região possuía sua distinta capital para assuntos internos, geralmente o castelo da Grande Casa que dominava a região ou a principal cidade de lá. Plebeus poderiam também se dirigir a senhores de casas nobres com seus assuntos internos que, caso houvessem necessidade, seriam encaminhados aos Senhores Soberanos, cuja a autoridade administrativa era máxima.

Senhores Soberanos eram o título dado aos senhores das Grandes Casas de Westeros, com exceção das Ilhas de Ferro e Dorne, que mantinha Senhor das Ilhas de Ferro e Príncipe/Princesa de Dorne respectivamente, mas possuíam as mesmas funções de um Senhor Soberano.

Haviam cinco principais cidades nos Sete Reinos:

Apenas Porto Real e Lançassolar eram capitais de suas respectivas regiões.

Regiões administrativas

Mapa Casa Região Capital Absolvido Predecessor Dissolvido
The North.png House-Stark-Main-Shield.PNG House-Bolton-Main-Shield.PNG Norte Winterfell 1 d.C. Reino do Norte 305 d.C.
Voltou a se tornar o Reino do Norte
Vale of Arryn.png House-Arryn-Main-Shield.PNG Vale de Arryn Ninho da Águia 1 d.C. Reino da Montanha e do Vale Se tornou parte dos Seis Reinos
The Riverlands.png House-Tully-Main-Shield.PNG House-Frey-Main-Shield.PNG Terras Fluviais Correrrio 1 d.C. Reino das Ilhas e dos Rios Se tornou parte dos Seis Reinos
Iron Islands.png House-Greyjoy-Main-Shield.PNG Ilhas de Ferro Pyke 1 d.C. Reino das Ilhas e dos Rios Se tornou parte dos Seis Reinos
The Westerlands.png House-Lannister-Main-Shield.PNG Terras Ocidentais Rochedo Casterly 1 d.C. Reino do Rochedo Se tornou parte dos Seis Reinos
The Crownlands.png House-Targaryen-Main-Shield.PNG House-Baratheon-of-King's Landing-Main-Shield.PNG House-Lannister-Main-Shield.PNG Terras da Coroa Porto Real 1 d.C. Reino das Ilhas e dos Rios

Reino da Tempestade
Se tornou parte dos Seis Reinos
The Stormlands.png Casa Baratheon Terras da Tempestade Ponta Tempestade 1 d.C. Reino da Tempestade Se tornou parte dos Seis Reinos
The Reach.png House-Tyrell-Main-Shield.PNG Campina Jardim de Cima 1 d.C. Reino da Campina Se tornou parte dos Seis Reinos
Dorne.png House-Martell-Main-Shield.PNG Dorne Lançassolar 199 a.C.[43] Principado de Dorne Se tornou parte dos Seis Reinos

Cultura

Os Sete Reinos eram bastante diversificados culturalmente, com o clima, religião e geografia sendo fortes fatores determinantes na diferença entre as regiões. O Norte e as Ilhas de Ferro seguiam o Costume Antigo de suas respectivas culturas, além de que, diferente do sul, seguiam majoritariamente os Deuses Antigos da Floresta e o Deus Afogado, enquanto ao sul do Gargalo era cultuado, em grande parte, a Fé dos Sete.

Daenerys: "Vocês apoiarão minha reivindicação como Rainha dos Sete Reinos, e respeitarão a integridade dos Sete Reinos. Sem mais invasões, saqueamentos, ou estupros."
Yara: "Esse é o nosso modo de vida."
Daenerys: "Não mais."
Daenerys Targaryen e Yara Greyjoy[fnt]

Nas Ilhas de Ferro, por ser um local inóspito e infértil, os "homens de ferro", como eram chamados, acreditavam que tinha o direito de conquista―basicamente se tomassem algo pela força, era deles.[49] Apesar de negociarem com as moedas dos Sete Reinos, eles dividiam seus bens como conquistas por "preço de ouro" ou "preço de ferro", valorizando mais o preço de ferro que seria pela força bruta.[54] Durante anos os homens de ferro tentaram resgatar seu Costume Antigo e voltar a pilhar e estuprar pelos Sete Reinos, como faziam antes da unificação dos Sete Reinos, mas foram constantemente derrotados e, durante o reinado curto de Yara Greyjoy, concordaram em abandonar tais práticas.[30] Suas roupas cinzas e úmidas refletiam a terra onde viviam, e eles valorizam navios e viagens marítimas visto que pouco recurso era conseguido das Ilhas. Homens de ferro podiam tomar esposas comuns, como nos Sete Reinos, para terem filhos e herdeiros legítimos, mas também podiam ter "esposas de sal", que serviam apenas para satisfazer sexualmente os homens, como amantes.[54] No entanto, os homens de ferro não acreditavam e abominavam escravidão, acreditando que homens não poderiam ser comprados ou vendidos como animais. Seus servos eram pagos pelo "preço de ferro" e serviam apenas quem os conquistou.

"Tenho certeza de que é bem austero comparado a Porto Real. Me lembro quão assustada eu estava quando Ned me trouxe para cá em cima pela primeira vez."
Catelyn Stark, sobre o Norte[fnt]

No Norte, por ser uma terra rígida e fria, os nortenhos eram vistos com pesadas peles, barbas e cabelos longos. Os nortenhos seguiam os Deuses Antigos da Floresta em sua maior parte, com raras exceções como a Casa Manderly, e seu Costume Antigo dos Primeiros Homens que ditava, entre muitas coisas, que "o homem que passa a sentença deve brandir a espada", determinando que os senhores do Norte não usariam carrascos para executar ou punir um criminoso.[42] Eles eram desconfiados com sulistas e estrangeiros,[35] e muito fiéis aos votos com seus senhores de Winterfell, a Casa Stark.[55] A vontade de independência e diferença cultural do Norte foi tão grande que, durante a reformulação dos Sete Reinos no Grande Conselho de 305 d.C., ele foi declarado como independente pela Rainha Sansa Stark.[37]

"Nenhum exército dos Sete Reinos se equipara ao orgulho e bravura dos cavaleiros do Vale. Afinal, eles foram os primeiros cavaleiros de verdade em Westeros."
Petyr Baelish[fnt]

Das Terras Ocidentais até o Vale, e das Terras Fluviais até a Campina, os Sete Reinos eram mais culturalmente semelhante. Na capital, roupas mais leves e coloridas eram vistas em homens e mulheres.[56] Os nobres eram no entanto, obviamente, mais ricamente vestidos que a plebe. Bordéis e tavernas eram mais comuns e melhor elogiadas nessa região dos Sete Reinos.[34] Mercados eram mais cheios e vivos, e trocas monetárias eram mais constantes. Uma diferenciação que o Vale de Arryn tinha dos Sete Reinos eram seu valor a honra, com os Cavaleiros do Vale sendo extremamente respeitados pelos Sete Reinos.[57] Apesar disso, cavalaria era algo comum ao sul do Gargalo e seguiam em grande parte a cultura dos ândalos. Diferente dos nortenhos, os "sulistas" usavam carrascos.[58]

"Você acha que eu desaprovo? Por quê? Por que as pessoas desaprovam esse tipo de coisa de onde você vem? Eles desaprovaram Oberyn e eu de onde você veio. Aqui, ninguém piscaria um olho. Cem anos atrás, ninguém piscaria um olho parra você, se fosse nascido Targaryen."
Ellaria Sand, sobre a relação incestuosa de Jaime e Cersei Lannister[fnt]

A cultura e história de Westeros era registrada pelos Meistres da Cidadela de Vilavelha. Eles eram considerados a "memória do mundo",[31] e responsáveis pela documentação e estudo de Westeros.[59] Assim como o Norte e as Ilhas de Ferro, Dorne se destacava culturalmente do restante dos Sete Reinos, principalmente por descenderem dos roinares.[60] Além de sua hierarquia política aceitar o governo de mulheres, com elas podendo herdar a frente de homens caso fossem mais velhas, os dorneses eram conhecidos por seu sangue quente,[61] comidas fortes e mulheres atraentes. A sexualidade era algo louvável em Dorne, com práticas que costumavam ser tabus em outras partes dos Sete Reinos sendo abertamente aceita nessa região, como homossexualismo e incesto.[20][45] Os dorneses usavam roupas ainda mais finas e claras que na capital, com tons alaranjados e amarelos bem fortes, além do rosa ser uma cor proeminente nas mulheres, enquanto os homens também usavam roupas mais afeminadas e longas.[62]

Outras culturas menores, porém distintas pelos Sete Reinos, incluiam as tribos das montanhas no Vale e os valirianos. Os membros das tribos também descendiam dos Primeiros Homens, mas eram mais bárbaros e violentos que os nortenhos. Eles atacavam com frequência os viajantes para saqueá-los e enfrentar os Cavaleiros do Vale. Eram brutos, primitivos e extremamente violentos. Antes de matar alguém, eles pediam a pessoa que dissessem seu nome e o deus que seguia, para que os contasse quais membros da tribo os mataram.[51][63][64] A cultura valiriana se tornou escassa com o passar dos anos nos Sete Reinos, com pouquíssimas casas mantendo seus costumes. Eles normalizavam incesto e acreditavam possuir sangue de dragão,[42][43] o que lhes dava capacidade de montar tais feras.[45] Sua diferença era mais visual do que em vestimentas ou em religião, já que Aegon I adotou a Fé dos Sete deixando de lado os deuses valirianos[65]―eles possuíam cabelos platinados distintos de qualquer outra cultura em Westeros. Os Velaryon também se destacavam por terem pele escura semelhante aos Ilhéus de Verão, enquanto os Targaryen possuíam olhos e pele claras.[42]

Religião

As duas principais religiões de Westeros eram os Deuses Antigos da Floresta e os Sete, considerados os "Novos Deuses" dos ândalos. Em juramentos de cavalaria ou ademais, geralmente as pessoas juravam pelos "Deuses Antigos e os Novos", já que essas eram as religiões majoritárias nos Sete Reinos.[49] As casas que seguiam Deuses Antigos costumavam ter represeiros e uma árvore-coração em seu bosque sagrado, representando suas inúmeras divindades sem rosto e nome.[42] Os Sete costumavam ter septos dedicados a eles, com representações físicas, tais como estátuas e símbolos, das sete divindades que compunham a fé.[64] A religião de R'hllor, fortemente difundida em Essos, era escassa em Westeros. Sacerdotes Vermelhos eram enviados para pregar em Westeros, mas poucos seguidores foram conseguidos por eles.[66] Os homens de ferro seguiam o Deus Afogado, cujo a frase "o que está morto não pode morrer" era repetida como oração entre eles.[54] Eles acreditavam que deveriam ser afogados para renascerem, e valorizavam a morte na água.[67]

Extremismo religioso já causou diversos problemas pelos Sete Reinos após sua formação. A Fé Militante se ergueu duas vezes para enfrentar a coroa ou um rei ou rainha em específico.[30][65]

Justiça

"Meu filho vai ouvir o que você tem a dizer, e você vai ouvir seu julgamento. Então sairá, por uma porta ou outra."
Lysa Arryn, se preparando para o julgamento de Tyrion Lannister[fnt]

Nos Sete Reinos, a justiça era administrada pelo rei e/ou grandes senhores. A lei do rei se aplicava em qualquer lugar dos Sete Reinos, mudança apenas a forma de punição do crime, que ficava a cargo do administrador da região.[43] As penalidades para crimes podem incluir flagelação, mutilação, castração, cócegas excessivas ou prisão. Ao sul do Gargalo, onde a cultura ândala é predominante, as punições eram realizadas por carrascos, como a Justiça do Rei na capital, ou cavaleiros que cumprem a vontade de seus senhores. No Norte, no entanto, onde prevalecem os costumes dos Primeiros Homens, espera-se que os senhores executem as sentenças pessoalmente.[42]

A traição e a rebelião eram punidas de várias formas, como enforcamento ou decapitação, mas também com exílio ou despojamento de terras e títulos―o que também poderia se estender a toda a família do atingido. No caso dos nobres, a tomada de um familiar próximo, como um filho ou filha, como refém pelo bom comportamento do nobre também era comum.[68]

A escravidão ou o comércio de escravos também eram proibidos e puníveis com a morte pelos Sete Reinos.[58] O roubo e o contrabando geralmente são punidos com a mutilação através da amputação de uma mão, enquanto os estupradores estão sujeitos à castração.[24] Portar armas contra um senhor suserano ou se recusar a responder à convocação de um senhor suserano também é considerado uma ofensa capital.[63]

Os suspeitos de crimes eram julgados pelos senhores ou pelo próprio rei.[42] As partes podiam invocar um julgamento por combate para provar a justiça de suas posições,[43] porém isso foi proibido durante o reinado de Tommen I.[69] Ambas as partes lutavam entre si ou nomear um campeão para representá-las. A parte vitoriosa era considerada correta pelos olhos dos Sete.[43] Havia também o Julgamento de Sete, em que sete adversários de ambas as partes se enfrentavam aos olhos dos Sete. Maegor I Targaryen consolidou seu reinado a vista dos deuses dessa forma.[65]

Qualquer criminoso, no entanto, poderia se juntar à Patrulha da Noite para evitar punição. Aqueles que escolhiam "tomar o negro" estavam fora do alcance da lei, até mesmo do decreto do Rei, desde que façam o juramento de servir a Patrulha até a morte.[54] A punição por deserção, assim como no caso de traição, era a morte.[47]

Força militar

"Por que cada Senhor deveria comandar seus próprios homens? É primitivo. Não melhor do que as tribos das montanhas. Nós deveriamos ter um exército fixo de homens leais a coroa, treinados por soldados experientes ao invés de camponeses que nunca seguraram lâminas na sua vida."
―Príncipe Joffrey Baratheon, sobre um possível exército leal apenas a coroa[fnt]

A coroa não possuía um exército próprio,[21] dependendo do exército juramentado da casa que ocupava o Trono de Ferro. Por exemplo, durante o reinado de Robert I, o exército Baratheon seguiu Robert I durante a Rebelião Greyjoy.[19] Cada senhor possuía seu próprio exército, que poderiam convocar mais vassalos com exércitos juramentados a eles. Por exemplo, a Casa Umber era juramentada da Casa Stark, que por sua vez era juramentada a coroa. Então quando Balon Greyjoy se ergueu contra o Rei Robert I, a coroa convocou os Stark, que por sua vez convocaram seus vassalos, incluindo os Umber. Dessa forma, a coroa está acima, seguido pelas Grandes Casas e depois as casas nobres. Exércitos mercenários também poderiam ser pagos pelo rei ou rainha. Notavelmente, a Companhia Dourada foi comprada por Cersei I para defendê-la contra Daenerys Targaryen.[35] Em suma, os exércitos leais a coroa geralmente eram comandados por quatro "Protetores", do Norte, Oeste, Leste e Sul. Enquanto os Senhores Soberanos possuíam a maior autoridade administrativa, os Protetores possuíam a maior autoridade militar de Westeros.

"Aegon, o Conquistador criou a ordem como seus guardiões pessoais após ter unido Westeros com fogo e sangue. Ele sabia que alguns de seus súditos não aceitariam a conquista e que seus dragões não eram úteis contra facas na escuridão. Sem dúvidas, cercar-se com os maiores cavaleiros de Westeros fez seu domínio ser mais aceitável e menos estrangeiro também."
―Sor Jaime Lannister, sobre a criação da Guarda Real[fnt]

Em Porto Real, a Patrulha da Cidade servia como força policial para reprimir crimes pequenos e manter a paz do rei na cidade.[68] E por fim, a Guarda Real, composta por sete cavaleiros, eram juramentados a defender e servir o rei ou rainha por toda suas vidas, não podendo herdar terras e títulos, e não podendo ter filhos.[70] Eles podiam, no entanto, a mando do rei, deixar seu posto para cumprir uma determinada tarefa. Notavelmente, um exemplo disso foi quando SOr Arys Oakhearth deixou Porto Real para levar Myrcella a Dorne.[49]

Nos livros

Nos romances de As Crônicas de Gelo e Fogo, os Sete Reinos ainda são o principal governo de Westeros, apesar de que as Ilhas de Ferro ainda se encontram em rebelião aberta contra a coroa. Durante A Dança dos Dragões, os pretendentes vivos ao Trono de Ferro incluem Stannis Baratheon, Euron Greyjoy, Daenerys Targaryen e Aegon, filho de Rhaegar e Elia. Euron Greyjoy se encontra como Rei das Ilhas de Ferro, e Tommen I Baratheon é quem mantém a coroa e o Trono de Ferro até o momento.

As diferenças culturais, políticas e religiosas pelos Sete Reinos se assemelham ao que foram apresentado na série, exceto que Dorne ainda não foi posicionada como a favor ou contra incesto―mesmo sendo um país com muita liberdade sexual. Nas Ilhas de Ferro, os homens de ferro ainda mantém o Costume Antigo, e no Norte, uma forte conspiração contra os Bolton a favor da Casa Stark está em andamento durante o quinto livro.

Links externos

Referências

  1. "Valyria's Last Scion: House Targaryen", "Conquista e Rebelião: Uma História Animada dos Sete Reinos"
  2. 2,0 2,1 2,2 "House Tully", "Histórias e Tradição"
  3. 3,0 3,1 "The Riverlands", "Histórias e Tradição"
  4. "Invasion", "Conquista e Rebelião: Uma História Animada dos Sete Reinos"
  5. "House Hoare, Ironborn Kings of the Riverlands", "Guia Completo de Westeros"
  6. "Harrenhal", "Histórias e Tradição"
  7. "House Greyjoy", "Histórias e Tradição"
  8. "House Durrandon, the Storm Kings", "Conquista e Rebelião: Uma História Animada dos Sete Reinos"
  9. "House Arryn, Kings of the Vale", "Conquista e Rebelião: Uma História Animada dos Sete Reinos"
  10. "House Lannister, Kings of the Rock & House Gardener, Kings of the Reach", "Conquista e Rebelião: Uma História Animada dos Sete Reinos"
  11. "House Tyrell", "Histórias e Tradição"
  12. "House Stark, The Kings of Winter", "Conquista e Rebelião: Uma História Animada dos Sete Reinos"
  13. 13,0 13,1 13,2 13,3 "Dorne", "Histórias e Tradição"
  14. "House Martell, Princes of Dorne", "Conquista e Rebelião: Uma História Animada dos Sete Reinos"
  15. 15,0 15,1 "House Targaryen", "Guia Completo de Westeros"
  16. 16,0 16,1 "Aegon, First of His Name", "Conquista e Rebelião: Uma História Animada dos Sete Reinos"
  17. "The Red Keep", "Histórias e Tradição"
  18. 18,0 18,1 18,2 "Robert's Rebellion", "Histórias e Tradição"
  19. 19,0 19,1 "Greyjoy Rebellion", "Histórias e Tradição"
  20. 20,0 20,1 20,2 20,3 "Breaker of Chains", Episódio 03 da Quarta Temporada de Game of Thrones
  21. 21,0 21,1 21,2 21,3 21,4 21,5 "Lord Snow", Episódio 03 da Primeira Temporada de Game of Thrones
  22. "The North Remembers", Episódio 01 da Segunda Temporada de Game of Thrones
  23. "What Is Dead May Never Die", Episódio 03 da Segunda Temporada de Game of Thrones
  24. 24,0 24,1 "Fire and Blood", Episódio 10 da Primeira Temporada de Game of Thrones
  25. "The Ghost of Harrenhal", Episódio 05 da Segunda Temporada de Game of Thrones
  26. 26,0 26,1 "The Rains of Castamere", Episódio 09 da Terceira Temporada de Game of Thrones
  27. 27,0 27,1 "The Lion and the Rose", Episódio 02 da Quarta Temporada de Game of Thrones
  28. "Mother's Mercy", Episódio 10 da Quinta Temporada de Game of Thrones
  29. "Home", Episódio 02 da Sexta Temporada de Game of Thrones
  30. 30,0 30,1 30,2 "The Winds of Winter", Episódio 10 da Sexta Temporada de Game of Thrones
  31. 31,0 31,1 31,2 "Dragonstone", Episódio 01 da Sétima Temporada de Game of Thrones
  32. "Stormborn", Episódio 02 da Sétima Temporada de Game of Thrones
  33. 33,0 33,1 "The Spoils of War", Episódio 04 da Sétima Temporada de Game of Thrones
  34. 34,0 34,1 34,2 "The Dragon and the Wolf", Episódio 07 da Sétima Temporada de Game of Thrones
  35. 35,0 35,1 35,2 "Winterfell", Episódio 01 da Oitava Temporada de Game of Thrones
  36. "The Bells", Episódio 05 da Oitava Temporada de Game of Thrones
  37. 37,0 37,1 "The Iron Throne", Episódio 06 da Oitava Temporada de Game of Thrones
  38. House of the Dragon - Official Website for the HBO Series (entrada de Rhaenys Velaryon) - HBO.com
  39. "The Dance of Dragons", "Histórias e Tradição"
  40. "The Blackfyres", "Histórias e Tradição"
  41. File:Andal inheritance law.png -Game of Thrones Wiki - Fandom
  42. 42,0 42,1 42,2 42,3 42,4 42,5 42,6 "Winter Is Coming", Episódio 01 da Primeira Temporada de Game of Thrones
  43. 43,0 43,1 43,2 43,3 43,4 43,5 "A Golden Crown", Episódio 06 da Primeira Temporada de Game of Thrones
  44. 44,0 44,1 "Kissed by Fire", Episódio 05 da Terceira Temporada de Game of Thrones
  45. 45,0 45,1 45,2 "The Dance of Dragons", Episódio 09 da Quinta Temporada de Game of Thrones
  46. "Sons of the Harpy", Episódio 04 da Quinta Temporada de Game of Thrones
  47. 47,0 47,1 47,2 "You Win or You Die", Episódio 07 da Primeira Temporada de Game of Thrones
  48. "The Lost Lords", Episódio 02 da Primeira Temporada de Game of Thrones: A Telltale Games Series
  49. 49,0 49,1 49,2 49,3 "The Old Gods and the New", Episódio 06 da Segunda Temporada de Game of Thrones
  50. "The Westerlands", "Histórias e Tradição"
  51. 51,0 51,1 "The Wolf and the Lion", Episódio 05 da Primeira Temporada de Game of Thrones
  52. "The Vale", "Histórias e Tradição"
  53. "The Reach", "Histórias e Tradição"
  54. 54,0 54,1 54,2 54,3 "The Night Lands", Episódio 02 da Segunda Temporada de Game of Thrones
  55. "Kill the Boy", Episódio 05 da Quinta Temporada de Game of Thrones
  56. Fazendo o Game of Thrones, 2012
  57. "Knights of the Vale", "Histórias e Tradição"
  58. 58,0 58,1 "The Kingsroad", Episódio 02 da Primeira Temporada de Game of Thrones
  59. "Oldtown", "Histórias e Tradição"
  60. "The River Rhoyne", "Histórias e Tradição"
  61. "Two Swords", Episódio 01 da Quarta Temporada de Game of Thrones
  62. "Novos Personagens & Locações", Game of Thrones: A Quarta Temporada Completa
  63. 63,0 63,1 "The Pointy End", Episódio 08 da Primeira Temporada de Game of Thrones
  64. 64,0 64,1 "Baelor", Episódio 09 da Primeira Temporada de Game of Thrones
  65. 65,0 65,1 65,2 "The Faith Militant", "Histórias e Tradição"
  66. "The Lord of Light", "Histórias e Tradição"
  67. "The Drowned God", "Histórias e Tradição"
  68. 68,0 68,1 "Cripples, Bastards, and Broken Things", Episódio 04 da Primeira Temporada de Game of Thrones
  69. "No One", Episódio 08 da Sexta Temporada de Game of Thrones
  70. "The Kingsguard", "Histórias e Tradição"
v  d  e
Impérios e reinos do mundo conhecido
v  d  e
Governantes dos Sete Reinos de Westeros
Advertisement