FANDOM


"Você acha que eu estou insultado? Eu sou um pirata. Eu sou um excelente pirata."
―Salladhor Saan para Matthos Seaworth[fonte]

Salladhor Saan é um pirata e vendedor que comanda uma frota de trinta navios.

Ele foi recrutado para a causa do Rei Stannis Baratheon, mas Salladhor o abandonou depois da Batalha da Água Negra. Salladhor reentrou no serviço de Stannis, no entanto, depois que Stannis conseguiu um empréstimo do Banco de Ferro de Bravos, permitindo-lhe pagar a taxa de Salladhor.

História

Antes

Sallador History and Lore

Salladhor contrabandeando com Davos Seaworth.

Salladhor Saan é um pirata de Lys, embora nativo das Ilhas do Verão. Ele comanda uma frota de trinta navios que freqüentemente ataca navios mercantes que viajam entre Westeros e as Cidades Livres. Às vezes, em busca de riqueza extra, ele muda de ramo e trabalha como vendedor: vendendo os serviços de seus navios e tripulações pela maior oferta, para atuar como mercenário em vários conflitos.

1ª Temporada

Depois de Doreah transar com Viserys, ela lhe que uma vez viu um pirata coberto de ouro que voava em velas coloridas.

2ª Temporada

Davos Seaworth e seu filho Matthos encontram Saan em uma praia próxima a Pedra do Dragão. Davos promete ao pirata que ele receberá uma fortuna em ouro quando eles tomarem Porto Real. Salladhor duvida das chances de Stannis Baratheon, pois ele tem o menor exército de todos os pretendentes ao Trono de Ferro, Davos responde que Stannis é um comandante de batalha ao contrário dos inexperientes Renly e Joffrey. Salladhor observa a ironia de um contrabandista que garante a honra de um rei. Matthos adverte Salladhor para tomar cuidado com suas palavras, chamando-o de pirata. Davos silencia seu filho e Salladhor salienta que ele não está insultado, afirmando não ser apenas um pirata, mas um excelente e que ele não veleja por promessas. Davos desafia isso, explicando que Salladhor navega em uma promessa de navios para saquear toda vez que ele sai do porto. Salladhor diz que a promessa sempre se realiza e Davos diz que sua promessa é a mesma. Davos aponta que Salladhor não é um homem jovem e que a vida dos piratas são curtas. Salladhor brinca que apenas os piratas inteligentes envelhecem. Davos sugere que Salladhor poderia continuar roubando navios de carga e viver uma vida fácil enquanto dura, mas que está oferecendo uma alternativa mais difícil com maiores recompensas. Ele promete riquezas e fama.

Davos and Salladhor at Dragonstone

Salladhor em Pedra do Dragão.

Salladhor diz que ele tem um bom nome para as músicas e diz a Davos que vai emprestar seus trinta navios, desde que consiga Cersei quando eles tomarem Porto Real. Matthos fica irritado com o egoísmo de Salladhor e diz que eles não estão lutando para ele para estuprar a rainha. Salladhor faz a distinção de que ele não pretende estuprá-la e brinca que Matthos ainda não experimentou sua persuasão. Matthos insiste que Stannis tem o direito divino de governar e que o Senhor da Luz é o único deus. No entanto, Salladhor é desprezo da religião. Matthos se afasta e Davos diz que não pode prometer a rainha, apenas o ouro e a glória. Salladhor pergunta se Davos acredita que Stannis pode vencer e Davos responde que Stannis é "o único rei verdadeiro". Salladhor contrasta a lealdade de Davos a Stannis contra sua história juntos; Stannis cortou os dedos de Davos por contrabando. Salladhor diz que ele navegará com Davos porque Davos é o mais honesto contrabandista que ele já conheceu e pede a Davos que o torne rico. Eles apertam as mãos e Salladhor sai.

Mais tarde naquela noite, Davos informa a Stannis que Salladhor concordou em se juntar as suas forças. Stannis pergunta a Davos se eles podem confiar em Salladhor e ele responde que conhece Salladhor há trinta anos, mas nunca "confiou" nele. No entanto, Davos está certo de que Salladhor foi atormentado por sua promessa de vasta riqueza.

3ª Temporada

O navio de Salladhor resgata Davos, que foi jogado ao mar pela explosão de fogo na Batalha da Água Negra. Salladhor, que abandonou a causa de Stannis depois da batalha, oferece a Davos sua hospitalidade, mas reluta muito em levar Davos para Pedra do Dragão. Ele tenta dissuadir Davos de tentar matar a sacerdotisa Melisandre pois ela mandou matar qualquer homem que fale contra ela desde a Batalha da Água Negra. Ele diz que ela acusa as pessoas que são contra ela de serem servas das trevas e, como ambos são criminosos, devem ficar bem longe. Davos insiste em ser levado de volta ao castelo de Stannis e Salladhor acaba concordando em ficar o tempo suficiente para ver Davos em terra.

4ª Temporada

Salla

Salladhor está convencido a se juntar à causa de Stannis.

Tendo retornado a Bravos após suas façanhas fracassadas nas costas de Westeros, Salladhor passa seu tempo com algumas prostitutas em uma casa de banhos. Ele conta a elas uma piada sobre um valente capitão de navio enfrentando navios piratas, mas não se diverte quando as prostitutas revelam que conhecem o final. Ele fica surpreso quando Sor Davos aparece e diz a ele que navegará para Castelo Negro ao nascer do sol. O pirata começa a reclamar, mas Davos lhe joga um pacote de moedas de ouro do Banco de Ferro, observando que mais dinheiro espera em sua casa - com sua esposa. Salladhor sarcasticamente declara que, ao contrário da opinião popular, Davos não é seu amigo.

Nos Livros

A Fúria dos Reis

Sor Davos Seaworth navega para Lys para recrutar Salladhor para a causa de Stannis Baratheon, que está reivindicando o Trono de Ferro para si. Salla é um dos mercenários que se aliam a Stannis na luta que está por vir. Sua galé, o Valiriana, é vista navegando perto de Pedra do Dragão. Outro de seus navios, o Ave de Mil Cores, traz notícias de Porto Real. Salladhor diz a Davos a respeito da lenda da Luminífera.

Durante a Batalha da Água Negra, Salladhor e sua frota navegam pela Baía da Água Negra pelo lado de fora da torrente para rastrear qualquer navio da Frota Real do rei Joffrey I que esteja escondido na região. Davos acredita que isso é um desperdício das habilidades de Salla. Quando o exército de Stannis é destroçada por uma tropa combinada Lannister-Tyrell, Salladhor ordena que seus navios tentem pegar o máximo de sobreviventes das praias que poder, incluindo o próprio Stannis e Devan Seaworth.

A Tormenta de Espadas

Salladhor é feito Senhor da Baía da Água negra pelo Senhor Alester Florent, que serve como Mão do Rei de Stannis. Ele manda seus navios interceptar qualquer embarcação comercial que navegue para a Baía da Água Negra para cobrar impostos delas.

A galé de Salla, o Dança de Shayala, resgata Davos e o leva para longe da Água Negra. Salladhor aconselha Davos quando ele retorna para Pedra do Dragão para não se encontrar com Melisandre mas ele não escuta.

Alester depois tenta trair Stannis e manda um dos homens de Salladhor levar uma carta com seus termos de paz para Lorde Tywin Lannister, mas o complô de Alester é descoberto e ele é preso. Salladhor e Sor Axell Florent planejam atacar Ilha da Garra pois o lorde Ardrian Celtigar se ajoelhou para o rei Joffrey I Baratheon, mas Davos dissuade Stannis desse plano.

Salladhor informa Pedra do Dragão a respeito do Casamento Vermelho. Um dos navios de Salla, o Prendos Louco, transporta Edric Storm para Lys sem o conhecimento de Stannis.

A frota de Salladhor ajuda Stannis a transportar seu exército até o Norte, em direção da Muralha.

O Festim dos Corvos

Com Stannis em Castelo Negro, Salladhor é deixado em Atalaialeste do Mar.

A Dança dos Dragões

A rainha Selyse Florent janta com Salladhor em Atalaialeste. Sua frota de 29 navios parte para Porto Branco para levar Davos como um enviado de Stannis para Lorde Wyman Manderly. Contudo, quando boa parte de sua frota é destruída numa tempestade, Salladhor decide desertar a causa de Stannis, cansado de esperar o pagamento do rei. Ele se recusa a levar Davos até Porto Branco mas, apesar de ameças, não o joga para fora do navio e o deixa ir num pequeno navio. Sallador então parte para a região de Passopedra para voltar a suas atividades de pirata.

O conteúdo da comunidade está disponível sob CC-BY-SA salvo indicação em contrário.