Game of Thrones Wiki
Advertisement
House-Targaryen-Main-Shield.PNG
Night's-Watch-Main-Shield.PNG
House-Stark-Main-Shield.PNG

"O mundo que precisamos é um mundo de misericórdia, tem de ser."
―Jon Snow[fnt]

Jon Snow, nascido Aegon Targaryen, é o filho de Rhaegar Targaryen e Lyanna Stark, o falecido Príncipe de Pedra do Dragão. Jon foi criado como o filho bastardo do tio, Eddard Stark, em Winterfell. Na infância, seus primos foram criados como meio-irmãos, e Jon nunca soube seu real parentesco quando criança. Ele desenvolveu um forte relacionamento com a sua família, principalmente com Robb e Arya Stark.

Quando mais velho, Jon se juntou a Patrulha da Noite, eventualmente sendo escolhido pelo Senhor Comandante Mormont como seu intendente pessoal. Durante uma expedição para lá da Muralha, Qhorin Meia-Mão obrigou Jon a se juntar ao Povo Livre, onde se apaixonou e quebrou seus votos com Ygritte. Ele também conheceu o Rei para lá da Muralha Mance Rayder e, quando voltou para o sul da Muralha, traiu seus companheiros selvagens e Ygritte, voltando para a Patrulha para preparar-lhes contra o ataque de Mance e seu exército. Mais tarde, Jon foi feito Senhor Comandante graças a seus feitos durante a Batalha de Castelo Negro. Ele tentou fazer uma aliança com o Povo Livre, salvando-os em Durolar da ameaça dos Caminhantes Brancos. Isso no entanto, desagradou a Patrulha da Noite, e alguns de seus irmãos juramentados o mataram durante um motim.

Jon foi trago de volta à vida por Melisandre de Asshai, que passou a acreditar que ele era o Príncipe Que Foi Prometido. Afirmando que havia dedicado sua vida a Patrulha da Noite, Jon se uniu a sua meia-irmã Sansa para retomar Winterfell da Casa Bolton. Após vencerem a Batalha dos Bastardos, Jon passou a fazer os preparativos contra a chegada de uma nova Longa Noite. Para isso, ele viajou até Pedra do Dragão na tentativa de convencer Daenerys Targaryen a se juntar aos vivos em sua luta. Eventualmente os dois se apaixonaram, sem saber que na verdade, eram parentes.

Com Daenerys apoiando sua causa, Jon lutou com os vivos contra o Rei da Noite e o Exército dos Mortos, e mais tarde por juramento, ajudou Daenerys a tomar Porto Real da Rainha Cersei I Lannister. Mas, mesmo com a rendição dos soldados Lannister, Daenerys queimou Porto Real e seus inocentes. Jon tentou confrontá-la e percebeu que sua sede de sangue não iria parar por lá, se sentindo obrigado a matá-la. Isso fez com que ele se tornasse um prisioneiro dos Imaculados. Quando Bran I Stark foi eleito Rei dos Ândalos e dos Primeiros Homens, ele decidiu exilar Jon para a Patrulha da Noite, conseguindo apaziguar os Imaculados e os nortenhos. Jon passou a viver desde então entre o Povo Livre e a Patrulha da Noite.

Aparência

"Você não se parece muito com ele."
Beric Dondarrion, sobre Jon não se parecer com Ned Stark[fnt]

Jon Snow é um jovem de baixa estatura, com um porte físico relativamente forte para seu tamanho e de pele clara. Ele tem olhos castanhos, cabelos ondulados escuros e geralmente uma barba bem aparada. Quando foi atacado pela águia de Orell, Jon ganhou duas cicatrizes em cada olhos e, quando apunhalado pelos seus irmãos em Castelo Negro, seu peito e barriga ficaram cheios de cicatrizes de cortes. Ele possivelmente também tinha cicatrizes onde Ygritte o acertou com flechas e, durante um período da Grande Patrulha, a mão direita de Jon estava ferida por queimaduras. Até ser ressuscitado, Jon usava seus cabelos soltos até a altura dos ombros, porém passou a prendê-los mais tarde durante a Grande Guerra e a Última Guerra. Quando foi exilado para a Patrulha pelo Rei Bran I, Jon voltou a usar seu cabelo solto. É dito tanto por Stannis Baratheon, quanto por Beric Dondarrion, que Jon não se parece muito com seu pai adotivo Ned Stark.

"Na próxima vez que eu vir você, você estará de negro."
Robb Stark, quando Jon partiu para a Muralha[fnt]

Em Winterfell, antes de se juntar a Patrulha, Jon usava roupas parecidas com a de seus irmãos: devido ao clima mais frio do Norte, roupas de couro mais pesadas e peles eram a vestimenta ideal para os nobres de Winterfell. Quando se juntou a Patrulha, Jon foi adotando aos poucos o negro da ordem durante seu treinamento. Em sua vida inicial na Patrulha, Jon ainda usava um manto com pele de lobo clara, porém o trocou para um manto de peles escuras quando foi para lá da Muralha com o Senhor Comandante Mormont. Na Grande Patrulha, Jon tirou a capa de seu manto de peles e o inverteu, deixando as peles aquecendo suas costas enquanto a parte de couro do manto ficava contra o vento. Ao se unir aos selvagens, Mance Rayder pontuou que ele precisava de roupas novas, e passou a dar-lhe peles e mantos usados por selvagens. Estes mantos eram cinzas e perfeitos para se camuflarem na paisagem rigorosa do extremo norte de Westeros. Após abandonar a Patrulha, Jon passou a usar uma vestimenta Stark semelhante a que Bran usou quando era Príncipe de Winterfell na Guerra dos Cinco Reis: uma roupa marrom escuro com um pedaço de ferro em volta do pescoço com a cabeça do lobo da Casa Stark esculpida, e com partes azuis e cinzas pelos braços e pernas. Sansa mais tarde lhe deu um manto de pele de lobo semelhante ao que seu pai, Eddard, usava. Jon usou com frequência este manto. Por fim, ele voltou ao negro habitual da Patrulha em seu exílio.

Personalidade

"Quando muitas pessoas fazem falsas promessas, palavras param de significar alguma coisa. Então não tem mais respostas, apenas mentiras melhores e melhores."
―Jon Snow[fnt]

Por ter sido criado por Ned Stark em Winterfell, Jon adotou um compasso moral claro e um verdadeiro senso de honra, ao qual ele dá seu máximo para manter até mesmo quando deve tomar uma decisão difícil, especialmente após se tornar Senhor Comandante da Patrulha da Noite. Ele sempre admirou seu pai, mas devido ao desdenho de Catelyn Stark com relação a Jon, Eddard foi cauteloso para não lhe dar mais atenção do que daria a seus filhos legítimos com Catelyn. Lady Stark nunca foi ativamente rude com Jon mas, por ele não ser seu próprio filho, ela intencionalmente ignorava ele―como é comum com crianças bastardas, significando que Jon viveu sem uma figura materna. Jon, entretanto, não considerada a atitude de Catelyn estranha ou inesperada: é raro que um nobre crie seu filho bastardo junto a seus filhos legítimos, e sua presença era um grande insulto à honra de Catelyn. Enquanto suas interações com Catelyn permaneciam desconfortáveis ou inexistentes, ele fez boas amizades com seus meio-irmãos, particularmente Robb e Arya. Robb era da mesma idade que Jon, então eles se tornaram parceiros em treinos, enquanto Arya, graças a sua personalidade, se sentia tão deslocada quanto o bastardo, se aproximando dele.

Como muitas outras crianças bastardas, Jon teve de aprender a crescer rápido. Isso fez com que ele fosse maduro e perceptivo além de sua idade, de forma a navegar através das relações complicadas dentro da Casa Stark. Seu status como bastardo também tornou-o solitário, solene e cheio de desejo de se provar para a sociedade e para seu pai. Jon pensara que a melhor maneira para um bastardo em sua posição ganhar honra e respeito seria ao se juntar à Patrulha da Noite, da mesma forma que seu tio Benjen Stark, já que seu status social passado é ignorado após unir-se à Patrulha.

A despeito de seu jeito introvertido, Jon é muito compassivo e protetor com relação a seus pares, tais como Samwell Tarly, Grenn, e Pyp.

De muitas formas, Jon foi extremamente sortudo para um garoto bastardo, tendo em vista o quão raro é para um lorde criar seu filho bastardo em seu próprio castelo ao lado de seus legítimos herdeiros. Mesmo com todos os problemas de Jon ao não conhecer sua mãe e a ausência de uma figura materna, ele nunca foi pobre ou faminto, vivendo em uma boa casa, sempre com um teto sobre sua cabeça. Além disso, ele foi treinado em combate de espadas por Sor Rodrik Cassel, excelendo neste. Isso tornou Jon um tanto arrogante quando se tornou recruta em Castelo Negro, até que Tyrion apontou que os outros recrutas eram muito menos afortunados do que ele. Isso fez com que Jon tornasse-se mais humilde, mudando seu comportamento para se tornar o campeão dos outros recrutas, ajudando-os a treinar por meio das técnicas que conhecia.

"O Senhor da Luz nunca falou comigo, eu não sei nada dele, eu não sei o que ele quer de mim."
―Jon Snow, sobre R'hllor[fnt]

Os Stark eram uma Casa de fés múltiplas, com os filhos de Eddard e Catelyn sendo expostos não só a religião dos Deuses Antigos da Floresta cultuados pela maioria dos nortenhos, mas também a devotada aderência de Catelyn a Fé dos Sete. Já que Jon não tinha nenhuma relação real com Catelyn, reverendo seu pai, ele não foi exposto aos Sete, orgulhosamente seguindo aos Velhos Deuses, honrando as tradições de seus ancestrais dentre os Primeiros Homens. Quando Jon tomou seu juramento para se tornar um membro da Patrulha da Noite, ele escolheu o fazer em frente de uma árvore coração, sagrada para o Deuses Antigos. Quando voltou à vida, Melisandre e Thoros tentaram levar Jon para a religião de R'hllor, apesar do mesmo ainda se manter fiel aos Deuses Antigos da Floresta: Jon afirmava que, apesar de não negar a existência de R'hllor, não tinha certeza quanto a suas intenções.

Jon também é um pouco tímido com mulheres, como revelou para Samwell, ele era um virgem quando se juntou a Patrulha da Noite. Mesmo sendo atrativo o bastante, como um filho bastardo sem nada para herdar, ele não tinha nenhum prospecto de casamento com damas nobres. Jon também se preocupava em não ter sexo com prostitutas―diferente de Theon Greyjoy―pois tinha medo de se tornar pai de um bastardo próprio: tendo vivido sua vida como um bastardo, ele sentia como se fosse uma vida que nenhuma outra criança merecia viver. Jon no entanto se apaixonou duas vezes―uma pela selvagem Ygritte e outra por Daenerys Targaryen. Meistre Aemon no entanto sempre o alertou que suas obrigações com a Patrulha da Noite envolviam um conflito entre amor contra dever, e o senso de honra de Jon sempre o obrigou a lutar pelo dever. Isso o fez trair Ygritte e voltar para a Patrulha―o que mais tarde levou o casal a lutar em lados opostos em Castelo Negro―e o fez matar Daenerys, que havia queimado milhares de inocentes em Porto Real e planejava fazer o mesmo por toda Westeros.

Entretanto, a morte mudou Jon. A despeito de suas convicções honradas e comprometimento prévio com a Patrulha da Noite, sua experiência ao ser assassinado por seus próprios homens e então revivido tornou-o muito mais cínico e niilista. Não mais acreditando em si mesmo e em sua capacidade para enfrentar o que estava por vir, graças a ter sido morto por fazer o que acreditava ser certo―Jon abandonou a Patrulha Noite, mesmo sabendo com absoluta certeza o quão perigosa é a ameaça dos Caminhantes Brancos para a Muralha. Ele perdeu sua determinação em lutar e se tornou muito mais solitário e melancólico. Ademais, Jon sentiu extremo remorso por ter de enforcado seu intendente pessoal Olly―quem deu o golpe final no coração de Jon. Mesmo estando avesso à conflitos desde seu retorno, seu amor por sua família o levou de volta a batalha. Para esse fim, Jon escolheu sua família ao invés da Patrulha da Noite―uma escolha que ele uma vez tentou tomar quando Robb marchou para guerra, mas não o fez graças a Pyp, Grenn e Sam.

Após reconquistar Winterfell, Jon foi nomeado Rei do Norte e finalmente recebeu o reconhecimento que almejava. Isso reconquistou sua vontade de lutar pelos vivos na Grande Guerra, o fazendo viajar até Pedra do Dragão para tentar se aliar com a rainha estrangeira Daenerys, com quem ele se apaixonou mais tarde. A vontade e de Jon em manter o Norte vivo e a necessidade de aliados poderosos, além de seu recente amor por Daenerys, fez com que Jon largasse a coroa e se ajoelhasse a Rainha Dragão. Quando julgado por tais escolhas, Jon manteve sua postura e defendeu sua escolha, afirmando que títulos não importavam face a morte: o Rei da Noite e o Exército dos Mortos. Jon, tendo superado sua necessidade de reconhecimento, ao descobrir sua real herança, negou o Trono de Ferro. Isso não impediu sua tia-amante Daenerys de ficar paranoica com uma possível reivindicação de Jon, o que abalou o relacionamento deles até culminar na Batalha de Porto Real.

Biografia

Origem secreta

"Seu nome é Aegon Targaryen. Se Robert descobrir, ele o matará. Você sabe que vai. Precisa protegê-lo. Prometa-me, Ned. Prometa-me."
Lyanna Stark para seu irmão Ned, sobre seu filho Jon Snow[fnt]

O jovem Ned Stark encontrou sua irmã Lyanna morrendo após dar a luz ao último filho de Rhaegar, a quem Ned deu o nome de "Jon Snow".

Jon Snow recém-nascido.

Dezoito anos antes da morte de Jon Arryn, o Príncipe Herdeiro Rhaegar Targaryen raptou Lyanna Stark de Winterfell, a levando em um escândalo que culminaria no ápice da Rebelião de Robert. Rhaegar eventualmente voltaria a lutar na guerra, mas não antes de deixar o Senhor Comandante Gerold Hightower e Sor Arthur Dayne da Guarda Real na Torre da Alegria para proteger Lyanna, que estava grávida de seu filho. Um ano depois de seu desaparecimento, Lyanna foi rastreada por seu irmão, Lorde Eddard Stark, que havia partido bem batalha junto de Robert Baratheon, no intuito de resgatá-la e vingar a morte de seu pai e irmão. A busca de Ned acabaria por levar à uma batalha nas Montanhas Vermelhas que resultou na morte de todos os combatentes com exceção dele próprio e de Howland Reed; mas o jovem lorde rapidamente descobriu que sua vitória havia sido em vão.[1]

Após derrotar o último membro da Guarda Real, Ned encontrou Lyanna morrendo em parto. Desesperada para proteger a vida de seu recém nascido, Lyanna implorou à Ned que prometesse manter seu filho a salvo, e sua verdadeira herança escondida de Robert, já que ele havia sido o mais amargurado dos inimigos de Rhaegar e a existência do garoto seria vista como uma potencial ameaça a sua reivindicação ao Trono de Ferro. De acordo com seu último desejo, Ned resolveu passar Jon como seu próprio bastardo e criá-lo em seu castelo―um grande golpe à sua honra, já que ele sabia que essa decisão envergonharia tanto ele quanto sua nova esposa, Catelyn Stark. Para não indicar seu real parentesco, Ned decidiu não usar o nome de nascença de seu sobrinho. Ele escolheu ao invés disso dar ao bebê o nome de "Jon Snow", em homenagem a seu grande amigo e mentor Jon Arryn, Lorde do Vale, quem ele amava como um segundo pai, e o sobrenome Snow sendo o nome comum de bastardos reconhecidos no Norte.[2]

Infância

O jovem Jon Snow cresceu apegado principalmente a Robb Stark, seu melhor amigo e rival.

Jon cresceu entre os filhos legítimos de Eddard Stark e, mais tarde após a Rebelião Greyjoy, com Theon Greyjoy. Jon foi bastante apegado as crianças, principalmente Arya―que se parecia muito a Jon em personalidade―e Robb―por ter uma idade próxima a dele. Robb se tornou o rival e melhor amigo de Jon na infância, enquanto Arya passou a ver em Jon um porto seguro para suas inseguranças. Theon Greyjoy e Sansa no entanto foram mais difíceis de se relacionar: Sansa entendia sobre a inferioridade social de seu meio-irmão e foi dura com ele por causa disso, enquanto Theon invejava ser criado sobre a mesma condição e nível social de um bastardo―sendo ele o herdeiro da Casa Greyjoy. No entanto, o relacionamento mais difícil de Jon foi com Lady Catelyn. Apesar dela geralmente ignorar Jon, as raras interações entre os dois eram frias e duras, com Catelyn sentindo um profundo ódio do bastardo de seu marido.

Porém, para infelicidade de Lady Catelyn, não foi negado a Jon muito dos direitos de seus meio-irmãos: ele treinou em armas com Sor Rodrik Cassel e foi letrado por Meistre Luwin, além de ouvir histórias da Velha Ama com seus meio-irmãos. Jon teve uma infância relativamente privilegiada em Winterfell, em comparação a outros bastardos, porém essa infância o tornou frequentemente arrogante. Jon mais tarde desenvolveu um desejo de se juntar a Patrulha da Noite, sabendo que como bastardo não herdaria nada do pai. Seu tio paterno, Benjen Stark, era um Primeiro Patrulheiro na Muralha, e um homem respeitado. Quando alguém toma o preto, todos os seus crimes e passado é deixado de lado, então mesmo um bastardo poderia crescer na Muralha até a posição de Senhor Comandante.

Primeira Temporada

"Lorde Stark, há cinco crias. Uma para cada criança Stark. O lobo gigante é o símbolo de sua Casa. Eles deveriam tê-los."
―Jon Snow, sobre as crias de lobo gigante[fnt]

Jon e Robb tentavam ensinar Bran a usar um arco.

Jon e Robb ensinavam Bran a usar um arco quando foram convocados pelo senhor seu pai, Lorde Eddard, a o acompanhar em uma execução. O homem, Will, era um Patrulheiro que havia desertado da Muralha. Ele falava que havia visto os Caminhantes Brancos na Floresta Assombrada, e que se arrependia do que fez, mas aceitava a punição de Lorde Eddard. Era a primeira vez que Bran saía de Winterfell para ver uma execução, e Jon lhe avisou para ficar atento e não desviar os olhos, ou então o senhor seu pai saberia. Quando Ned terminou seu dever, Jon elogiou a postura de seu irmão, enquanto Robb o confortou, e logo se dirigiram de volta a casa.[3]

Jon insistiu a Ned que os Stark ficassem com os lobos.

No caminho de volta para Winterfell, o grupo encontrou uma carcaça de veado e, não longe dali, uma loba gigante morta com cinco crias recém-nascidas. Robb apontou que não existiam lobos gigantes ao sul da Muralha. Bran queria ficar com as crias, mas seu pai foi rigído quanto a isso, afirmando que eles não sobreviveriam sem a mãe. Quando Theon Greyjoy tentou pegar a cria de Bran, Jon insistiu que eles ficassem com os filhotes, afirmando que o lobo gigante era o símbolo da Casa Stark, e tinham filhotes para todos os filhos legítimos de Ned. Com relutância, seu pai aceitou, afirmando que os lobos deveriam ser cuidados e treinados por eles, e se mortos, enterrados por eles. Enquanto iam embora, Jon decobriu uma sexta cria albina que havia sido afastada da ninhada, e o adotou para si, chamando-o de Fantasma.[3]

"Deixe-me dar-lhe um aviso, bastardo. Nunca se esqueça de quem você é, o resto do mundo não vai. Vista-o como uma armadura, e nunca poderá ser usado para ferir você."
Tyrion Lannister, para Jon Snow[fnt]

Dias mais tarde, Jon, Robb e Theon receberam a notícia que o Rei Robert I Baratheon estava a caminho de Winterfell para uma visita, e Lady Catelyn ordenou que eles se arrumassem. Durante o banquete, Jon foi proibido de ficar no salão por ordem de Lady Catelyn, que afirmou que um bastardo iria envergonhá-los na frente da família real. Quando Benjen, tio de Jon, chegou a Winterfell, lhe ofereceu lugar na Muralha. Jon então afirmou que aceitaria de imediato, e pediu para seu tio conversar com o senhor seu pai. Nesta mesma noite, Jon conheceu Tyrion Lannister, o irmão mais novo da Rainha Cersei. Tyrion afirmou a ele que deveria aceitar seu nascimento bastardo para que este fato nunca pudesse ser usado para feri-lo.[3]

Jon foi confrontado por Jaime Lannister em sua partida de Winterfell.

A partida de Jon para a Muralha foi atrasado por dias quando Bran caiu misteriosamente da Torre Quebrada em Winterfell. Em coma, Eddard Stark esperou mais para partir, com até mesmo o próprio Rei Robert I ficando com ele em Winterfell, junto a comitiva real. Nesta espera, Jon pediu para Mikken, o ferreiro de Winterfell, forjar uma espada especialmente para sua irmã Arya. Enquanto esperava Mikken dar os toques finais na lâmina, Jon foi confrontado por Jaime Lannister, que o zombou de querer se juntar a Patrulha. Mais tarde, ele entregou a espada de presente de despedida a Arya, que o recebeu com um forte abraço e nomeou-a Agulha.[4]

Jon se despediu de seus irmãos antes de partir de Winterfell.

Em seguida, Jon foi fazer suas despedidas a Bran. Ele encontrou Lady Catelyn no quarto do garoto em coma, que tentou mandá-lo embora. Ele forçou sua entrada no entanto, e se despediu de seu irmão ignorando a presença de Catelyn, até Lorde Eddard entrar no quarto. Ela então mandou Jon se retirar, que se despediu com um forte beijo na testa de Bran. Enquanto preparava seu cavalo para partir, Robb encontrou Jon, dando-lhe um forte abraço de despedida, afirmando que quando se vissem novamente, Jon estaria todo de preto. Fora das muralhas de Winterfell, a comitiva real se dirigiria ao sul, enquanto Benjen, Tyrion―que desejava ver a Muralha―e Jon seguiriam ao norte. O senhor seu pai Lorde Eddard também se despediu de Jon antes de se separarem, afirmando que os Starks guardam a Muralha por gerações e que, apesar de Jon não ter seu nome, tem seu sangue. Quando ele questionou Eddard sobre sua mãe, o senhor seu pai desvia da pergunta, afirmando que conversariam sobre ela quando se vissem novamente.[4]

"Um garoto bastardo, sem nada para herdar. Opta por se juntar a antiga ordem da Patrulha da Noite, junto com seus valentes irmãos em armas."
Tyrion Lannister, zombando de Jon Snow[fnt]

Na Estrada do Rei, Yoren, um corvo errante, havia se juntado ao grupo de Benjen e trouxe consigo dois estupradores. Tyrion apontou a Jon que aquele era o tipo de irmão que o bastardo encontraria na Muralha, zombando dele de forma semelhante a que Jaime fez anteriormente. Alguns dias mais tarde e o grupo finalmente vislumbrou Castelo Negro.[4]

Jon impressionou no treinamento, mas sua arrogância o levou a criar inimigos na Patrulha.

Em Castelo Negro, Jon Snow se viu desapontado com a Patrulha da Noite. Os alertas de Tyrion e Jaime Lannister estavam certos―a Patrulha se tornou uma sombra de sua antiga glória, se tornando em sua maior parte um refúgio para criminosos, pessoas desesperadas e fugitivos. Durante as sessões de treinamento, Jon Snow impressionou derrotando todos sem dificuldade, sob supervisão do Mestre de Armas Sor Alliser Thorne. No entanto, ele acabou fazendo inimigos por causa de suas habilidades. Pyp, Grenn e Rast tentaram matar Jon enquanto ele trocaba de roupas, sendo salvo por Tyrion que ameaçou os jovens rapazes. Rast deixou o vestiário, enquanto Tyrion conversava com Jon, Pyp e Grenn. O bastardo tentou justificar que era o melhor entre eles, apenas para ser censurado por Tyrion―ele explicou que Pyp e Grenn estavam lá por puro azar, e nenhum deles jamais pegou em espadas na vida, diferente de Jon que teve um Mestre de Armas em Winterfell, Sor Rodrik Cassel. Tyrion também lhe contou que seu irmão Bran havia acordado, porém aleijado.[5]

"Você é melhor do que ninguém! Aqui, um homem ganha o que merece, quando merece. Nós conversaremos quando eu voltar."
Benjen Stark, para Jon Snow[fnt]

Jon Snow foi reprimido por seu tio pela sua arrogância.

Mais tarde Jon se despediu de seu tio que iria partir em Patrulha, subindo pela primeira vez ao topo da Muralha. Eles vislumbravam a Floresta Assombrada enquanto Jon tentava convencê-lo em levá-lo consigo―mesmo não sendo um Patrulheiro ainda―afirmando que ele era o melhor entre os recrutas. Benjen, assim como Tyrion, reprimiu a arrogância de Jon, ensinando-lhe ter mais humildade. Mais tarde no treinamento, Jon tentou ensinar Pyp e Grenn a lutarem apropriadamente, fazendo amizade com os dois recrutas.[5]

Jon Snow foi passado para a Ordem dos Intendentes, para sua decepção.

Enquanto vigiava no topo da Muralha com Sam, eles testemunharam um cavalo voltando sem dono para o tunel. Descendo para Castelo Negro, Jon percebeu que era o cavalo de seu tio, Benjen. Preocupado com seu paradeiro, Jon afirmou a Sam que seu único objetivo era encontrá-lo. Durante a cerimônia de graduação, os recrutas foram passados a suas tarefas, e Jon foi estranhamente deixado para os Intendentes. Percebendo a mão de Sor Alliser nessa escolha, ele se enfureceu, afirmando a Sam e Pyp que era melhor espadachim e cavaleiro que os dois, o que deixou esse último irado, afirmando que injusto foi ele ter sido forçado a se juntar a Patrulha por não ter querido saciar os prazeres sexuais de um senhor. Sam então convenceu Jon a tomar os votos consigo, dizendo que ele seria o Intendente pessoal do Senhor Comandante, estaria com ele nas reuniões, seria seu escudeiro em batalhas, e treinaria para um dia herdar seu comando. Os dois, junto a alguns oficiais, foram para lá da Muralha prestar o juramento perante uma árvore-coração. Ao terminarem, Fantasma estranhamente retornou com uma mão fria e escura.[6]

Jon Snow tomou seus votos em uma árvore-coração, como seu tio Benjen.

Jon e os homens da Patrulha descobriram que a mão que Fantasma descobriu pertenciam a Jafer Flowers e Othor, Patrulheiros que faziam parte do grupo de Benjen Stark. Os corpos de ambos foram levados ao Senhor Comandante que ordenou Meistre Aemon a examiná-los. Um pouco mais tarde, Mormont recebeu uma notícia de Porto Real, afirmando que Lorde Eddard Stark fora preso por negar o trono ao Rei Joffrey I Baratheon após a morte de Robert I. Ele deu a notícia a Jon, pedindo que o garoto não tomasse nenhuma decisão estúpida, visto que suas obrigações agora pertenciam a Muralha. Enquanto ajudava Hobb na cozinha com Pyp e Sam, Sor Alliser tentou Jon, chamando-o de bastardo de um traidor. Em sua fúria, Jon tentou atacá-lo, apenas para ser impedido pelos seus amigos. Tendo testemunhado a briga, o Senhor Comandante castigou Jon, deixando-o em seus aposentos. Durante a noite, Fantasma se demonstrou inquieto. Jon abriu a porta de seu quarto e seguiu o lobo gigante até os aposentos de Mormont, onde Jon descobriu Othor ressuscitado como criatura tentando atacar o Senhor Comandate. Apesar de lâminas não adiantarem, Jon pegou uma lâmpada acesa das mãos de Mormont e jogou em Othor, queimando-o de vez e ferindo sua mão no processo.[7]

"A maioria de nós não é tão forte. O que é honra, comparado ao amor de uma mulher? O que é dever, contra o sentimento de ver um filho recém-nascido nos braços... ou o sorriso de um irmão."
Aemon, para Jon Snow[fnt]

Em agradecimento por ter salvado sua vida, Mormont deu a Jon Garralonga.

Na manhã seguinte a luta nos aposentos do Senhor Comandante, Jon Snow e seus amigos queimaram os corpos de Othor e Jafer Flowers. Sam contou-lhes que ambos voltaram como criaturas por terem sido tocados por Caminhantes Brancos.[7] Mais tarde, em agradecimento por ter salvado sua vida, o Senhor Comandante Mormont deu a Jon Garralonga, a espada de aço valiriano ancestral da Casa Mormont. Enquanto mostrava a sua nova espada a seus amigos, Sam contou-lhe que seu irmão, Robb Stark, estava marchando para enfrentar o Rei Joffrey I e resgatar Ned Stark da Fortaleza Vermelha. Jon passou a considerar fugir da Patrulha e, mais tarde, Meistre Aemon decidiu contar-lhe sua história―ele fora Aemon Targaryen no passado, e foi obrigado a se manter fiel a seus votos enquanto sua família era destruída na Rebelião de Robert. Aemon pediu a Jon que tomasse sua decisão com sabedoria, pois teria de viver com ela pelo resto de seus dias.[8]

Quando a notícia da execução de Ned Stark chegou a Castelo Negro, Jon Snow tentou fugir durante a noite em segredo. Sam Tarly levou Pyp e Grenn consigo para impedirem Jon. Eles lembraram Jon que agora eram seus irmãos, e recitaram em conjunto seus votos, fazendo-o ceder reluntantemente e voltar a Castelo Negro. Na manhã seguinte Mormont revelou que soube da fuga noturna de Jon, mas que estava satisfeito pela honra de seus amigos ter-lhe trago de volta. Decidido a não ficar esperando sentado, Mormont contou a seu Intendente pessoal que planejava levá-lo―junto com Fantasma―para lá da Muralha em uma Grande Patrulha em busca dos Patrulheiros desaparecidos, Mance Rayder, Caminhantes Brancos e quaisquer outras ameaças que estavam presentes ao norte. Jon aceitou e partiu com seus novos irmãos.[9]

Segunda Temporada

"Você é mais bonito que metade das minhas filhas."
Craster, para Jon Snow[fnt]

Sam e Jon pararam na Fortaleza de Craster com a Patrulha da Noite.

O grupo da Patrulha da Noite passou por diversas vilas selvagens, todas abandonadas, até chegarem na Fortaleza de Craster. Lá, Eddison Tollett lhes contou que Craster casava com suas filhas e gerava mais filhas, e Jon o questionou sobre o que ele fazia com os filhos. No grande salão da fortaleza, Craster zombou de Jon e o ameaçou quando pegou o garoto bastardo olhando para suas filhas, desagradando o Senhor Comandante Mormont. O anfitrião também revelou que os selvagens haviam todos se juntado a Mance Rayder, formando o maior exército que Westeros já viu, e pretendiam marchar na Muralha com ele.[10]

Jon Snow foi ferido por Craster após descobrir seus sacrifícios.

Mais tarde, Samwell trouxe a Jon Gilly, uma das filhas-esposas grávidas de Craster. Ela pedia que o levassem quando partissem da Fortaleza de Craster, com medo de seu bebê nascer menino. Quando Jon a questionou o que Craster fazia com os meninos, Gilly se assustou e foi embora. Jon e Sam então discutiram o ocorrido, com o primeiro afirmando que era loucura sequer falar com as garotas na fortaleza. Mais tarde durante a noite, após outra filha de Craster dar-lhe um menino, Jon o viu entrando na Floresta Assombrada com o bebê. Ele o seguiu e viu um Caminhante Branco pegar o pequeno recém-nascido para si. Antes que pudesse agir, Craster o surpreendeu e nocauteou Jon.[11] Ele arrastou o jovem bastardo até seu salão, expulsando os Corvos de sua residência. Quando Mormont confrontou Jon sobre o ocorrido, o garoto lhe contou o que viu na floresta e percebeu que Jeor já sabia. O grupo partiu na manhã seguinte em direção ao Punho dos Primeiros Homens, onde se encontrariam com Qhorin Meia-Mão.[12]

"Espero que seja um Patrulheiro melhor do que foi como Intendente."
―Jeor Mormont, para Jon Snow[fnt]

Durante a viagem, o Senhor Comandante Mormont contou a Jon Snow sobre Qhorin Meia-Mão e seus feitos, como ter passado o último inverno inteiro nas Presas de Gelo. Quando chegaram no Punho, a Patrulha da Noite se estabeleceu rapidamente no local. Os Patrulheiros da Torre Sombria, liderados pelo Meia-Mão, logo chegaram. Eles conversaram com o Senhor Comandante Mormont sobre o exército enorme de Mance e qual seria a melhor ação a se tomar. Qhorin sugeriu infiltrar-se furtivamente em seu acampamento e matá-lo em seu sono, com um pequeno grupo de Patrulheiros. Jon Snow se ofereceu a ir, enquanto Sam se ofereceu para ficar com suas tarefas de Intendente. Relutantemente, o Senhor Comandante permitiu. Jon e Qhorin também levaram Borcas, Harker e Cobra das Pedras e partiram para o Passo dos Guinchos.[13]

"A Patrulha te deu um grande presente, e você só tem uma coisa para dar em troca: sua vida."
Qhorin, para Jon Snow[fnt]

Jon Snow conheceu a selvagem Ygritte no Passo dos Guinchos.

No caminho, Fantasma os deixou para vagar além da Muralha, com Jon tentando chamá-lo inutilmente. Qhorin lhe disse que essa era a natureza dos selvagens. Eles então conversaram sobre o norte da Muralha e seus perigos, além do propósito da Patrulha e como eles morreriam sem ser lembrados. O bando de Meia-Mão logo encontrou vigias selvagens com um berrante que, caso soprado, alertaria outros de sua presença. Furtivamente, eles mataram os membros do grupo, exceto Jon, que hesitou em tirar a vida de seu alvo ao descobrir que era uma mulher, Ygritte. Qhorin tentou interrogá-la, sem sucesso, e deixou para Jon a tarefa de executar a selvagem, indo embora para esperá-lo no topo da montanha. Ela tentou convencer Jon a se juntar ao Povo Livre, afirmando que Mance Rayder o acolheria, mas ele se recusou. Apesar de tudo, Jon não foi capaz de executá-la e Ygritte acabou fugindo dele. Jon correu atrás e conseguiu recapturá-la, mas se perdeu da montanha onde os Patrulheiros da Torre Sombria estavam. A selvagem zombou dele por ter se perdido, e juntos caminharam tentando encontrar Meia-Mão de volta, até escurecer. A noite, sem abrigo e fogueira, Jon e Ygritte deitaram abraçados para compartilhar o calor um do outro.[14]

"Nós somos os vigilantes na Muralha."
―Qhorin, para Jon Snow[fnt]

Jon Snow enfrentou Qhorin para provar ser um vira-manto aos selvagens.

Ao acordar e perceber que teve uma ereção, Jon se sentiu envergonhado enquanto Ygritte percebia que ele era virgem. Durante a viagem, ela o tentou a ter relações sexuais com ela e descobriu o parentesco de Snow com Lorde Eddard Stark. Enfim, a ruiva selvagem viu uma forma de escapar de Jon e voltou a fugir. Quando ele a seguiu, se viu cercado de vários selvagens[15] e detido pelo Senhor dos Ossos. Apesar dele querer matá-lo, Ygritte o convenceu de levá-lo ao Mance Rayder, ficando quite com o bastardo. Qhorin também havia sido capturado pelo Senhor dos Ossos, e contou a Jon que os outros três companheiros haviam sido executados―eles haviam tentado seguir os rastros de Snow e Ygritte e caíram numa armadilha. Durante a viagem até o acampamento de Mance Rayder, Jon Snow e Qhorin discutiram como agir em seguida. O Patrulheiro queria que Snow se infiltrasse no exército de Mance, conseguisse informações valiosas e ajudasse a Muralha da forma que conseguisse de dentro, mas para isso ele teria de matá-lo.[16] Qhorin provocou uma briga com Snow, até o Senhor dos Ossos ceder e dar-lhes uma espada. Um combate se iniciou e com dificuldade, Jon foi capaz de matar Meia-Mão. O Senhor dos Ossos o libertou e devolveu Garralonga, ordenando que o corpo do falecido fosse cremado. Ygritte então disse a Jon que ele conheceria o Rei para lá da Muralha, mostrando a distância seu acampamento enorme.[17]

Terceira Temporada

"Eu quero lutar pelo lado que luta pelos vivos. Eu vim para o lugar certo?"
―Jon Snow, para Mance Rayder[fnt]

Jon foi acompanhado por Ygritte pelo acampamento de Mance Rayder.

Jon Snow chegou ao acampamento de Mance Rayder escoltado por Ygritte. Ele se espantou ao ver um gigante trabalhando. Durante o caminho até a tenda do Rei para lá da Muralha, Snow foi apedrejado por selvagens enquanto Ygritte o explicava que ele estava usando as cores erradas. Na tenda de Mance, Jon confundiu Tormund Terror dos Gigantes com o Rei para lá da Muralha e se ajoelhou para ele, apenas para ser zombado pelos presentes. O verdadeiro Mance logo surgiu, exigindo que Jon se levantasse pois ninguém se ajoelhava para ninguém naquele lado da Muralha. Ao ficarem sozinhos, Mance perguntou a Jon o motivo dele ter virado o manto e matado Meia-Mão. Jon contou-lhe do que viu na Fortaleza de Craster, sobre a vista grossa de Mormont aos sacríficos para os Caminhantes Brancos. Ele afirmou que queria lutar pelos vivos, e Mance lhe deu um novo manto.[18]

Jon vestiu as cores selvagens para se misturar entre o Povo Livre.

Em seguida, Jon marchou com o exército do Povo Livre ao sul, onde se encontraram com o warg Orell, que vigiava o Punho dos Primeiros Homens. Ele afirmou que viu Corvos mortos lá. Ao chegarem no Punho, os corpos dos homens haviam sumidos, deixando para trás apenas os corpos dos cavalos espalhados em um padrão circular. Mance perguntou a Jon quantos homens vieram da Muralha e ordenou que Tormund a escalasse, levasse homens ao sul, e esperassem seu sinal. Quando eles vissem a maior fogueira que o Norte já viu, seria tempo de atacar Castelo Negro. Com a maior parte dos Patrulheiros mortos, Mance acreditava que seria um alvo fácil. Ele também ordenou que Tormund levasse Jon, visto que ele poderia ser útil no ataque por conhecer o castelo, mas que se ele se mostrasse um Corvo, era para matá-lo.[19][20]

"Não vamos voltar. Vamos ficar aqui mais um tempo. Jamais quero sair dessa caverna, Jon Snow. Jamais."
Ygritte, para Jon Snow[fnt]

Enquanto estavam a caminho de Castelo Negro, Orell e Tormund questionaram Jon sobre as defesas da Muralha. Ele os contou sobre quais castelos são guarnecidos e mentiu sobre o número de irmãos de negro que os guardavam. Orell suspeitou da mentira, deixando Jon furioso. Ygritte tentou defendê-lo, enquanto Tormund disse que independe se for verdade ou não, iriam descobrir logo. Estando sozinhos novamente, Ygritte roubou a espada de Jon e o atraiu a uma gruta, onde afirmou que ele deveria se provar um verdadeiro selvagem e fazer amor com ela. Relutantemente, Jon quebrou seus votos e teve relações sexuais com Ygritte. Quando acabaram, os dois pularam na água que havia dentro da caverna e assumiram seu amor.[21]

Jon Snow e Ygritte fizeram a escalada com dificuldade.

Mais tarde o grupo selvagem de Tormund chegou a Muralha, onde começariam a escalar. Ygritte ajudou Jon a aprender como fazê-lo, e disse que sabia que ele não havia abandonado o manto de Corvo até fazer sexo com ela. Ela também disse que agora era dele, e vice-versa, e que se um dia Jon a traísse, iria castrá-lo e usar seu pênis como enfeite de colar. Durante a escalada, uma parte da Muralha se rachou, forçando Orell a cortar fora Ygritte e Jon para suas mortes. Com sorte, Snow conseguiu agarrar-se a uma parte sólida da Muralha e salvar a si mesmo e sua amante. Furioso com Orell, eles terminaram a escalada, onde Ygritte viu o mundo pela primeira vez lá de cima e o beijou.[22]

Jon Snow ficou em conflito entre seu amor com Ygritte e seu dever com a Patrulha da Noite.

Depois de sobreviver à escalada perigosa da Muralha, Jon Snow, Ygritte e os selvagens liderados por Tormund avançaram pela Dádiva em direção a Castelo Negro, onde poderiam saquear e aguardar o sinal de Mance Rayder para iniciar o ataque. Jon confrontou Orell por ter cortado a corda e quase matado ele e Ygritte, e o selvagem furiosamente acusou Jon de ainda ser um Corvo. Enquanto viajavam juntos, Jon e Ygritte continuaram se aproximando, sussurrando um para o outro segredos a noite, brincando sobre castelos e vestidos e se apaixonando. Quando ele a confrontou com seus pensamentos de que os selvagens de Mance Rayder não iriam vencer a Patrulha, como já havia ocorrido várias vezes no passado, Ygritte reafirmou o romance deles, dizendo que se tivessem de morrer morreriam, mas primeiro viveriam juntos.[23]

"Você estava certo sobre mim o tempo todo."
―Jon Snow, enquanto mata Orell[fnt]

Jon Snow teve de lutar contra os selvagens para escapar.

Tormund liderou os selvagens contra um criador de cavalos que ajudava a Patrulha. Jon Snow tentou persuadi-los a poupar o velho, mas o grupo foi contra e o atacou mesmo assim. Jon conseguiu alertar o senhor de idade ao bater sua espada em uma pedra, dando-lhe a chance de fugir. Ygritte propositalmente errou um tiro de flecha no senhor a pedido de Jon. A perseguição continuou por parte dos selvagens, que não podiam deixá-lo avisar os Corvos na Muralha. Quando finalmente alcançaram o senhor, Orell sugeriu que desse a tarefa de matá-lo a Jon Snow, para provar sua lealdade ao Povo Livre. Jon hesitou e Ygritte o tirou desse escolha matando o senhor de idade com uma flecha no coração. Uma briga se iniciou, enquanto Tormund segurava a amante de Snow, para que ela não pudesse trair seu próprio povo, ele matou Orell e teve assistência na luta de Verão e Cão Felpudo, os lobos gigantes de Bran e Rickon Stark. A águia de Orell atacou Jon, ferindo seus olhos e marcando seu rosto. Meio cego, ele foi capaz de fugir em direção a Castelo Negro no dorso de um cavalo.[24]

Parando para descansar e cuidar de sua lesão no rosto, Jon foi confrontado por Ygritte que o havia seguido. Ele tentou conversar com ela, insistindo que a amava, mas precisava retornar a sua "casa". Ainda irritada e em lágrimas, Ygritte encheu Jon Snow de flechas enquanto ele fugia a cavalo. Chegando ferido e quase inconsciente em Castelo Negro, Jon viu Pyp e Sam antes de desmaiar.[25]

Quarta Temporada

"A última vez que eu vi ele, eu estava no pátio em Winterfell. Ele disse, "Da próxima vez em que eu te ver, vai estar todo de preto." Eu tive inveja de Robb minha vida toda. O jeito que o pai olhava para ele, eu queria aquilo. Ele era melhor do que eu em tudo. Lutar, e caçar, e cavalgar, e garotas. Deuses, as garotas o amavam. Eu queria odiar ele, mas eu nunca consegui."
―Jon Snow, de luto por Robb Stark[fnt]

Após descobrir sobre a morte de Robb, Jon lamentou a perda com Sam enquanto se preparava para ser julgado por Sor Alliser Thorne e outros oficiais da Patrulha da Noite. Sor Alliser servia de Senhor Comandante Interino, com apoio de Lorde Janos Slynt, que havia se juntado a Muralha durante a Grande Patrulha. Jon contou-lhes sobre o que viu no exército de Mance, incluindo gigantes e seus números próximos de cem mil, o plano de atacar Castelo Negro pelo sul e o sinal do Rei para lá da Muralha: a maior fogueira que o Norte já viu. Quando questionado sobre os votos que quebrou, Jon assumiu ter matado Qhorin, por ordens do mesmo, e dormido com Ygritte para manter seu disfarce. Apesar de ter sido contra o que Sor Alliser queria, Meistre Aemon permitiu que Jon mantivesse sua cabeça por enquanto e o dispensou.[26]

Jon Snow conheceu Gared Tuttle, um sobrevivente do Casamento Vermelho.

Enquanto conversava com Denner Dedo de Gelo, Jon Snow impediu uma briga entre Finn e Gared Tuttle, novos recrutas na Muralha. Jon levou Gared para o topo da Muralha, onde conversaram sobre o comportamento dele. Snow usou sua própria história de exemplo e recomendou que Tuttle fosse mais amigável com seus novos irmãos. Quando Gared revelou ter presenciado o Casamento Vermelho, eles discutiram sobre a covardia da Casa Frey, mas relembraram que seus votos agora eram com a Muralha.[27] Mais tarde, Jon acompanhou os recrutas novos―incluindo Gared e Finn―para tomarem seus votos.[28]

"Eu disse aos selvagens que tínhamos cerca de mil homens em Castelo Negro apenas. Karl e os outros sabem a verdade tanto quanto nós sabemos. Quanto que você acha que vão manter essa informação para si quando os selvagens estiverem tirando suas unhas fora?"
―Jon Snow[fnt]

Jon Snow se reencontrou com Edd Doloroso e Grenn que fugiram da Fortaleza de Craster.

Após ter fugido de um massacre em sua vila, o órfão Olly fugiu a Castelo Negro e contou o que viu. Enquanto o Primeiro Construtor Othell Yarwyck queria retaliar, atacando-os de volta, Jon Snow e Sor Alliser Thorne votaram para manter-se em Castelo Negro, pois os selvagens queriam vencê-los separando-os. Uma ordem de não deixar o lugar foi dada então. Em seguida, Grenn e Edd Doloroso retornaram de sua prisão na Fortaleza de Craster. Eles contaram que Karl Tanner liderava os amotinados e estavam vivendo lá, estuprando as filhas de Craster e comendo sua comida. Apesar das ordens de não sair de Castelo Negro, Jon sugeriu atacar os amotinados, pois havia mentido para Mance sobre os números da Patrulha e, caso eles interrogassem Tanner na Fortaleza de Craster, a mentira de Jon seria revelada e os selvagens atacariam Castelo Negro em força total, destruindo-os em uma noite.[29]

"Eu vou para lá da Muralha na Fortaleza de Craster. Eu vou capturar os amotinados escondidos lá. Estou pedindo voluntários para vir comigo. Noventa e seis quilômetros existem entre aqui e a Fortaleza de Craster, e Mance Rayder tem um exército bem em cima da gente, mas temos que fazer isso. Nossa sobrevivência pode depende de nós chegarmos nesses amotinados antes de Mance. Eles conhecem a Muralha, conhecem nossas defesas, se Mance descobrir o que sabem estaremos perdidos. Mas isso não é o suficiente. Considerem isso: se a Patrulha da Noite são realmente irmãos, o Senhor Comandante Mormont então era nosso pai. Ele viveu e morreu pela Patrulha. Ele foi traído pelos seus próprios homens, apunhalado nas costas por covardes. Ele merecia muito mais. Tudo que podemos dá-lo agora, é justiça. Quem vai se juntar a mim?"
―Jon Snow[fnt]

Jon Snow procurou recrutas para invadir a Fortaleza de Craster.

Enquanto treinava recrutas com Grenn, Jon Snow foi advertido por Sor Alliser que como Intendente, a função de treiná-los não cabia a ele. Mais tarde durante uma reunião, Sor Alliser permitiu que Jon atacasse a Fortaleza de Craster, mas que poderia levar apenas voluntários. Grenn, Edd Doloroso e mais alguns se juntaram a Snow. Locke e Britt Warrick, dois recrutas, também se voluntariaram e tomaram seus votos mais cedo para poder partirem. Gared Tuttle, Finn e Cotter também se voluntariaram, mas durante a noite antes da partida, Tuttle e Warrick discutiram e lutaram, resultando na morte de Britt. Gared foi preso para desgosto de Jon Snow. Durante a noite, Cotter e o soltou e fugiram para lá da Muralha.[30][31]

"Senti sua falta, garoto."
―Jon Snow, para Fantasma[fnt]

Jon Snow enfrentou Karl no salão principal da Fortaleza de Craster.

Chegando na Fortaleza de Craster, Locke infiltrou-se furtivamente e sondou o local. Ele pediu para a Patrulha evitar uma cabana ao lado leste da fortaleza, afirmando ter visto cães lá. Quando o ataque começou, Jon enfrentou Karl Tanner no salão principal, onde ele duelou de forma suja contra o nobre bastardo. Graças a uma das esposas de Craster, Jon conseguiu dar o golpe final no amotinado e terminar sua rebelião. Locke e mais quatro voluntários morreram no ataque, mas conseguiram derrotar os rebeldes e vingar o Senhor Comandante Mormont. Jon Snow se surpreendeu quanto Fantasma surgiu na fortaleza. Ao perguntarem as filhas de Craster se gostaria de ir a Castelo Negro, elas pediram para serem deixadas sozinhas, visto que foi a Patrulha da Noite quem mais abusou delas. No entanto, as garotas pediram para queimar o lugar, seguindo em frente quanto a antiga vida delas com Craster.[32]

Jon Snow foi mal recebido por Sor Alliser ao voltar da Fortaleza de Craster.

O grupo retornou a Castelo Negro, para desgosto de Sor Alliser. Durante a reunião, Jon contou que viu o acampamento selvagem a menos de um dia da fortaleza e que estariam lá em breve. Ele sugeriu então selar o túnel, o que deixou os oficiais furiosos pois impediria futuras patrulhas. Jon argumentou que com os gigantes lutando por Mance, o túnel poderia ser facilmente destruído e levaria os cem mil selvagens para dentro de Castelo Negro, mas o Primeiro Construtor Yarwyck ficou do lado de Sor Alliser e foi contra a ideia. A Jon e Sam Tarly então foram atribuidos a tarefa de vigia no topo da Muralha até a lua nova.[33]

"Quem morrer por último, seja um bom rapaz e queime o resto de nós."
Eddison Tollett[fnt]

Após receberam a notícia do massacre em Vila Toupeira, Sam ficou devastado por ter mandado Gilly e seu bebê para lá, acreditando que estariam mais seguros. Jon, Grenn, Pyp e Edd tentaram consolá-lo enquanto discutiam sobre a batalha eminente, e como cento e dois homens esperariam derrotar cem mil.[34]

"Você sabe o que significa liderança, Lorde Snow? Isso significa que a pessoa responsável é questionada por qualquer idiota esperto com uma boca. Mas se ele começar a se questionar, é o fim. Para ele, para os idiotas espertos, para todos. Este não é o fim. Não para nós. Não se vocês cumprirem seu dever pelo tempo que for necessário para derrotá-los. E então você continuará me odiando, e eu continuarei desejando que sua puta selvagem tivesse terminado o trabalho."
Alliser Thorne, para Jon Snow[fnt]

Jon Snow comandou as defesas da Muralha depois da saída de Slynt.

Em cima da Muralha, Sam e Jon conversaram sobre Ygritte. O jovem Tarly o perguntou sobre como era ter alguém, amar e ser correspondido. Vendo que Sam estava cansado e triste por causa de Gilly, Jon pediu para ele descansar enquanto cuidava sozinho da vigia na Muralha. Mais tarde, Jon e os irmãos de negro testemunharam a maior fogueira que o Norte já viu, e Sor Alliser admitiu que deveria ter fechado o túnel igual Jon sugeriu. Quando a batalha no topo da Muralha começou, Sor Alliser assumiu o comando, enviado flechas para os selvagens lá embaixo. Logo em seguida, ele foi requerido em Castelo Negro―os selvagens de Tormund estavam invadindo e precisavam de um comandante lá. Lorde Slynt então assumiu a Muralha em seu lugar.[35]

Jon Snow matou Styr na Batalha de Castelo Negro.

Quando Slynt se provou muito assustado para comandar, Grenn mentiu para ele, afirmando que Sor Alliser o queria lá embaixo em Castelo Negro, e a Muralha passou para o comando de Jon Snow. Ele testemunhou um gigante entrando nos túneis e pediu para Grenn levar cinco bons homens e protegê-lo de qualquer jeito, custando o que custar. Quando Sam chegou no topo da Muralha, afirmando que Sor Alliser fora ferido e as defesas do castelo estavam sem comando, Jon Snow desceu para lá, deixando a Muralha com Edd Doloroso. Jon entregou as chaves da cela de Fantasma para Sam e pulou direto ao combate.[35]

Ygritte: "Se lembra daquela caverna? Nós devíamos ter ficado naquela caverna."
Jon: "Nós vamos voltar lá."
Ygritte: "Você não sabe nada... Jon Snow."
―Os momentos finais de Ygritte[fonte]

Jon enfrentou diversos selvagens até se encontrar com Styr, que passou a seguir Jon pelo castelo. Eles duelaram de maneira brutal pelo pátio, com o Thenn desarmando Snow e o pressionando contra uma coluna. Assim como Karl havia feito com ele na Fortaleza de Craster, Jon lutou sujo com Styr, cuspindo em sua cara e esmagando seu crânio com um martelo. Ferido e cansado, Jon cambaleou para longe do corpo do Thenn até se deparar com Ygritte, apontando uma flecha para si. Jon sorriu mas de repente ela levou um tiro no peito, dado pelo pequeno órfão Olly. Jon abraçou Ygritte caída enquanto ela morria, sussurrando que nunca deveriam ter deixado a caverna.[35]

Ygritte morreu nos braços de Jon Snow.

A batalha foi vencida e apenas Tormund continuava lutando, apesar de estar gravemente ferido. Jon o deteve e mandou prendê-lo para interrogatório. Ao amanhecer, Jon contou a Sam que Mance continuaria atacando e, apesar de conseguirem sobreviver um dia ou dois, nunca venceriam. Ele então decidiu que iria entrar no acampamento do Rei para lá da Muralha, afirmando ter vindo para negociar, e o mataria em sua tenda. Sam foi contra a ideia, mas não conseguiu convencê-lo do contrário. No túnel para sair de Castelo Negro ao norte, Jon viu o corpo de Grenn ao lado de um gigante morto―ele havia cumprido as ordens e se sacrificado para não deixar o gigante passar. Snow entregou Garralonga a Sam para caso não voltasse e seguiu até a Floresta Assombrada.[35]

Jon e Mance conheceram Stannis após a Batalha de Castelo Negro.

Jon Snow chegou ao acampamento de Mance e logo foi capturado pelos selvagens. Eles o levaram a tenda do rei, onde lhe foi oferecido comida e bebida. Os dois conversaram sobre as perdas que tiveram na batalha, como Ygritte, Grenn e Mag, o Poderoso. O Rei para lá da Muralha então revelou que descobriu a mentira dos números da Muralha―a Patrulha estava fraca, Mance os atacou com tudo que tinha e assim eles devolveram e não iriam resistir outra noite. Ele então tentou negociar com Jon a passagem do seu povo para o sul, caso contrário eles iriam morrer. De repente ambos ouviram o som de marcha indo até o acampamento selvagem―o Rei Stannis Baratheon veio ao resgate da Patrulha da Noite. Ele dispersou as tropas selvagens em um ataque rápido da cavalaria real e foi até a tenda do rei confrontá-lo, junto a sua Mão, Sor Davos Seaworth.[36]

"Você passou muito tempo com nós, Jon Snow. Você nunca mais vai poder ser um ajoelhador novamente."
Tormund Terror dos Gigantes[fnt]

Jon fez uma pira funerária pra Ygritte norte da Muralha.

Snow se apresentou a Stannis, contando que era filho de Ned Stark. O rei então perguntou o que seu pai teria feito com Mance, e Jon pediu para poupá-lo e ouvir o que ele tinha a dizer, além de recomendar queimar os corpos dos mortos. Enquanto uma pira funerária era acesa para os irmãos de negro caídos em batalha, Jon percebeu Melisandre o encarando através das chamas. Em seguida ele foi ver Tormund Terror dos Gigantes, que se surpreendeu com o tratamento de Meistre Aemon em suas feridas. Apesar de cético quanto a hospitalidade dos Corvos, Tormund contou a Jon que Ygritte o amava, e merecia um funeral do outro lado da Muralha. Snow o obedeceu, levando o corpo de sua amada para Floresta Assombrada e queimando-a lá.[36]

Quinta Temporada

"Você é um bom rapaz. De verdade, você é. Mas se você não consegue entender o porquê de eu não querer colocar meu povo em uma guerra estrangeira, não há motivo para explicar."
Mance Rayder, para Jon Snow[fnt]

Jon Snow tentou convencer Mance a se ajoelhar para Stannis.

Enquanto treinava no pátio com Olly, Jon Snow foi interrompido por Melisandre, afirmando que o Rei Stannis Baratheon queria vê-lo. No elevador gaiola ela pergunta a ele se era virgem. Quando Jon afirmou que não, ela o aprovou. No topo da Muralha, Snow se encontrou com o rei e sua Mão, Davos Seaworth, onde discutiram uma ideia que Stannis tinha―ele queria retomar Winterfell dos Bolton, mas como Jon não poderia ajudá-lo como irmão da Patrulha da Noite, ele queria Mance Rayder e seus selvagens a seu lado. Ele deu a Jon até o pôr do sol para convencer o Rei para lá da Muralha a se ajoelhar ou iria queimá-lo vivo na fogueira.[37]

A Patrulha da Noite e o Povo Livre assistiu a execução de Mance Rayder por ordens de Stannis, para testemunharem o destino dos infiéis.

Ele tentou convencer Mance Rayder a se render a Stannis, afirmando que orgulho não era mais importante que sua própria vida, e precisariam de Mance para enfrentar os Caminhantes Brancos, mas o Rei para lá da Muralha não queria trair tudo aquilo que acreditava e não iria se ajoelhar. Naquela noite, durante a pira de Stannis, Melisandre discursou enquanto Mance era preso nas estacas por ter se recusado a se ajoelhar. A Sacerdotisa Vermelha mostrou ao Povo Livre qual seria o destino deles caso escolhessem o deus errado e começou a atear fogo na pira. Antes que Mance conseguisse gritar de dor, Jon Snow atirou uma flecha misericordiosa em seu coração, terminando seu sofrimento.[37]

"Você pode me dar o Norte. Se ajoelhe perante mim. Coloque sua espada em meu pé. Jure-me seu serviço e você se erguerá como Jon Stark, Senhor de Winterfell."
Stannis Baratheon, para Jon Snow[fnt]

Stannis ofereceu legitimar Jon Snow para conquistar apoio das casas do Norte.

Stannis e Davos convocaram Jon para discutir os acontecimentos da execução de Mance. Ele lhes disse que o Povo Livre apenas seguiria um deles, nunca o homem que queimou seu rei. Quando Stannis lhe mostrou uma carta de Lady Lyanna Mormont, afirmando que não seguiria Stannis pois não conhecia nenhum rei além do Rei do Norte, cujo o nome era Stark, Jon riu e contou que os nortenhos são parecidos com o Povo Livre neste aspecto―apenas seguiriam um deles. Ao dizer isso, Stannis pediu que Snow jurasse fidelidade a ele, em troca o faria Jon Stark, Senhor de Winterfell. Eles afirmaram que Sor Alliser era o mais provável a ser o Senhor Comandante e a vida de Snow não seria fácil sob sua liderança.[38]

"Sor Alliser lutou bravamente, é verdade. Mas quando ele foi ferido foi Jon que nos salvou. Ele tomou conta das defesas da Muralha, ele matou o Magnar de Thenns, ele foi ao norte lidar com Mance Rayder, sabendo que aquilo significava quase certamente sua morte. Antes disso, ele liderou a missão para vingar o Senhor Comandante Mormont. O próprio Mormont escolheu Jon para ser seu Intendente. Ele viu algo em Jon, e agora nós todos vemos também. Ele pode ser jovem, mas é o comandante que nos viramos quando a noite é mais escura."
Samwell Tarly, discursando em favor a Jon Snow na eleição para 998º Senhor Comandante da Patrulha da Noite[fnt]

Durante a eleição para Senhor Comandante, Jon contou a Sam sobre a proposta de Stannis e como queria recusá-la, acreditando que se ele não era capaz de cumprir com seus votos na Patrulha da Noite, nenhum nortenho iria segui-lo. Jon e seus amigos planejavam apoiar Sor Denys Mallister, Comandante da Torre Sombria, enquanto Janos Slynt falava a favor de Sor Alliser. Antes que Meistre Aemon pudesse começar a votação, Samwell surpreendeu a todos quando decidiu a falar em favor de Jon Snow. Ele lembrou seus irmãos que Jeor Mormont o escolheu como Intendente pessoal para treiná-lo no comandando, e Jon liderou as defesas de Castelo Negro quando Sor Alliser caiu. Este último no entanto questionou a afinidade de Snow com o Povo Livre, contando sobre como ele deu misericórdia a Mance Rayder e queimou Ygritte ao norte da Muralha. A votação começou em seguida e por causa de um voto Jon Snow foi eleito o 998º Senhor Comandante da Patrulha da Noite.[38]

"Eu queria poder lutar a seu lado. Acredite, eu queria. Mas eu fiz um juramento no bosque sagrado. Eu jurei minha vida à Patrulha da Noite."
―Jon Snow, para Stannis Baratheon[fnt]

Jon Snow fez de Olly seu Intendente pessoal, com a intenção de treiná-lo para o comando da mesma forma que Jeor Mormont havia feito com ele, apesar de Olly ainda não ter tomado seus votos. Quando Stannis veio confrontar Jon sobre sua escolhe de marchar com ele até Winterfell, ele recusou, afirmando que iria continuar no comando da Patrulha da Noite. Stannis sugeriu que mandasse Sor Alliser Thorne para Atalaialeste, mas Jon acreditava que era melhor manter seus inimigos por perto. Quando Stannis foi embora, Sor Davos permaneceu nos aposentos de Snow e tentou convencê-lo que cumpriria melhor seus votos de "proteger os reinos dos homens" com Stannis retomando Winterfell do que em Castelo Negro.[39]

Jon Snow estabeleceu novos membros em posições vagas da Patrulha da Noite em sua primeira reunião.

Jon Snow presidiu uma reunião em seguida para passar novas tarefas e ocupar cargos vagos da Patrulha. Ele deu a Brian a ordem de cavar uma nova latrina e surpreendentemente promoveu Sor Alliser Thorne a Primeiro Patrulheiro, ocupando a vaga que era de Benjen Stark. Quando ele pediu para Janos Slynt tomar o comando de Guardagris e reestabelecer o castelo, ele recusou, insultando Jon Snow na frente de seus homens e afirmando que não iria para Guardagris morrer congelado ao tentar restaurá-lo.[39]

Jon Snow executou Janos Slynt mesmo após ele se desculpar.

Por causa de sua insubordinação, Jon pediu para seus homens levá-lo ao pátio, onde iria decapitá-lo. Janos tentou resistir no início, mas se acovardou antes que o Senhor Comandante pudesse decapitá-lo. Ele admitiu em suas últimas palavras que era um covarde e se desculpou com Jon, mas foi executado mesmo assim. Stannis, que assistia a execução a distância, aprovou Jon Snow com um aceno de cabeça.[39]

"Um bastardo de uma prostituta de taverna."
Selyse Baratheon, sobre Jon Snow[fnt]

Enquanto treinava recrutas, Stannis e Selyse discutiram Jon Snow e seu parentesco. Mais tarde, enquanto Sam lhe entregava cartas para enviar as famílias do Norte em busca de homens para a Patrulha da Noite, Jon se sentiu tentado a recusar enviar uma carta a Roose Bolton, mas Sam lhe convenceu que precisavam de pedir a todo o Norte sem exceção, pois os números da Patrulha eram mais escassos que nunca. Em seguida, Melisandre entrou no quarto de Jon e tentou seduzi-lo a seguir Stannis para Winterfell, mas Jon se manteve fiel a seus votos e afirmou que ainda amava Ygritte.[40]

Jon: "Eu preciso de conselho. Tem algo que eu quero fazer, algo que eu preciso fazer, mas vai dividir a Patrulha da Noite. Literalmente. Metade dos homens vão me odiar no momento que eu der a ordem."
Aemon: "Metade dos homens já te odeia, Senhor Comandante. Faça."
Jon: "Você nem sabe o que é."
Aemon: "Isso não importa. Você sabe. Você vai encontrar pouca alegria no seu comando mas, com sorte, você encontrará força para fazer o que precisa fazer. Mate o garoto, Jon Snow. O inverno está quase entre nós. Mate o garoto, e deixe o homem nascer."
―Meistre Aemon, aconselhando Jon Snow[fonte]

Antes de tomar uma difícil e importante decisão, Jon Snow buscou conselhos com Meistre Aemon, que pediu-lhe para "matar o garoto, e deixar o homem nascer", afirmando que Jon precisava se tornar um líder forte para comandar a Patrulha. Durante a reunião com os membros da irmandade, Jon contou seu plano que consistia em trazer os selvagens remanescentes e guardar as terras da Dádiva com eles, acreditando que era melhor tê-los lutando a seu lado na Grande Guerra do que adicioná-los ao Exército dos Mortos. A decisão foi mal recebida por quase todos na Patrulha, incluindo seus amigos mais próximos como Edd Doloroso e Olly. Mesmo com sua decisão tendo sido mal recebida, Jon decidiu prosseguir com o plano. Quando o seu Intendente pessoal veio trazer-lhe comida, Jon tentou convencer Olly que aquela era a decisão certa, afirmando que era melhor ter os selvagens a seu lado que do lado dos Caminhantes Brancos, mas o jovem garoto se recusava a aceitar que este era o rumo correto, devido ao foto de ter perdido seus pais pelos selvagens, principalmente culpando Tormund, quem liderou o ataque em sua aldeia.[41]

"Eles nasceram no lado errado da Muralha, isso não os torna monstros."
―Jon Snow, para Stannis Baratheon[fnt]

Jon acompanhou a partida do exército de Stannis em Castelo Negro, e pediu-lhe emprestado seus navios para sua missão em Durolar.

Jon então conversou com Tormund sobre os selvagens remanescentes, propondo paz e oferecendo abrigo e terras para eles. Relutantemente, Tormund aceitou a paz de Jon quando ele lhe soltou as correntes, e contou-lhe sobre Durolar, onde o resto do Povo Livre vivia, mas só aceitaria ir até lá se Jon fosse consigo, afirmando que seu povo precisava saber que a proposta era séria e que não iriam ser mortos quando pisassem no convés dos navios. Jon então pediu os navios que Stannis havia usado para chegar em Atalaialeste emprestado, prometendo devolver-lhes após resgatar os selvagens. Na manhã seguinte, o Senhor Comandante acompanhou a partida do exército Baratheon.[41]

Alguns dias mais tarde, Jon Snow, Tormund, Edd Doloroso e alguns irmãos de negro se prepararam para partir a Durolar. Jon se despediu de Sam, que lhe deu uma bolsa cheia de vidro de dragão para caso acontecesse algo. Antes de partir, Jon percebeu como Olly estava cabisbaixo com sua decisão sobre os selvagens.[42]

"Não estou pedindo para vocês esquecerem seus mortos. Eu nunca vou esquecer os meus. Perdi 50 irmãos na noite em que Mance atacou a Muralha. Mas estou pedindo que pensem em seus filhos agora. Eles nunca terão filhos se não nos unirmos. A Longa Noite está chegando e os mortos vêm com ela. Nenhum clã pode detê-los, o Povo Livre não pode detê-los, a Patrulha da Noite não pode detê-los, e todos os reis do sul não podem detê-los. Apenas juntos, todos nós, e mesmo assim pode não ser suficiente, mas pelo menos vamos dar aos filhos da puta uma luta."
―Jon Snow em seu discurso em Durolar[fnt]

Jon Snow tentou apaziguar sua chegada em Durolar com os selvagens usando a ajuda de Tormund.

Chegando em Durolar, Jon Snow e seus irmãos foram recebidos de forma fria pelo Senhor dos Ossos. Tormund falou por Jon, pedindo para que reunissem o conselho dos anciões e ouvissem o Rei Corvo, mas o Senhor dos Ossos se irritou e zombou do Terror dos Gigantes. Furioso e sem paciência, Tormund o esmagou com seu próprio cajado e exigiu ver os anciões. Reunido com os líderes dos principais clãs selvagens, Jon Snow discursou para eles sobre a Longa Noite que estava chegando, contando-lhes sobre o vidro de dragão e oferecendo abrigo e proteção, em troca de ajuda para derrotar os Caminhantes Brancos. A maior parte dos clãs, incluindo o próprio gigante Wun Weg Wun Dar Wun, aceitou a proposta do Rei Corvo, porém alguns clãs, como os Thenns, suspeitavam que Jon pudesse trai-los e matá-los no navio, preferindo se arriscarem sozinhos para lá da Muralha.[43]

Jon Snow e Tormund testemunharam quatro Caminhantes Brancos observando o massacre em Durolar a distância.

Enquanto levavam os selvagens aos navios, Jon notou a Tormund que estavam deixando muitos para trás. De repente, os cães começaram a latir incessantemente, e uma tempestade de neve começou a chegar fora dos portões de Durolar. Sabendo o que significava, Jon mandou Todder levar o máximo do Povo Livre aos navios e voltar para buscá-lo. A selvagem Karsi perguntou a Jon se os navios partiriam com ou sem ele, e ele a garantiu que sim. Juntando-se ao irmãos de negro, ela avançou com eles até os portões, onde o defenderam o máximo que conseguiam contra as criaturas. Quando testemunharam quatro Caminhantes Brancos os vigiando do topo do penhasco, Edd lembrou Jon do vidro de dragão que estava na cúpula onde se reunira mais cedo com os líderes selvagens e, junto a Loboda, ele marchou para buscá-lo.[43]

Jon enfrentou um Caminhante Branco em duelo, derrotando-o com Garralonga.

Chegando na cúpula, Jon procurou o vidro de dragão enquanto um Caminhante Branco entrava para enfrentá-los. Loboda tentou lutar contra ele, sendo derrotado rapidamente quando seu machado se quebrou em gelo ao encostar na espada do outro. Jon não foi capaz de achar a bolsa de vidro de dragão, sendo puxado pelo Caminhante Branco e perdendo sua espada enquanto caía. Ele tentou enfrentá-lo de mãos vazias, mas foi rapidamente dominado pelo outro. Quando Jon pegou uma espada no chão, ela se partiu em gelo exatamente como o machado de Loboda. Com um único e poderoso golpe no peito, Jon caiu para fora da cúpula e tentou fugir do Caminhante Branco, chutando Garralonga no processo que estava no chão.[43]

O Rei da Noite ergueu seus braços e trouxe os mortos para lutarem em seu lado.

Jon conseguiu agarrar sua espada antes que o Caminhante Branco o atacasse, impedindo seu golpe. Ele percebeu que sua arma não se partiu em gelo como as outras, e rapidamente dominou a luta, cortando o Caminhante Branco e transformando-o em gelo ao atingi-lo com a espada de aço valiriano. A distância, o Rei da Noite observou o feito de Jon que recuperava o fôlego no chão. Edd chegou até Jon, afirmando que estavam sendo massacrado e precisavam recuar, deixando para trás o vidro de dragão. Eles viram o Rei da Noite invocar uma horda de criaturas que caíram penhasco abaixo sem hesitar, voltando a correr como se a queda de mais de 20 metros não os tivesse afetado em nada. Voltando ao barco, Jon observou enquanto o Rei da Noite erguia seus braços e levantava todos os mortos da batalha. Assustado e derrotado, ele voltou a seu navio ferido e em silêncio enquanto os mortos observavam.[43]

A recepção de Jon e dos selvagens em Castelo Negro foi fria por parte dos outros irmãos de negro.

Jon Snow retornou a pé pelo lado norte da Muralha para Castelo Negro, esperando que Sor Alliser pudesse abrir os portões para eles. Apesar dele tê-lo feito, Jon e os novos habitantes da Dádiva encontraram uma recepção fria entre a Patrulha da Noite. Apesar de dizer a Sam que sentia ter falhado com o Povo Livre, o melhor amigo de Jon o lembrou que ele não falhou com aqueles que conseguiu salvar.[44]

"Ele ergueu os braços e todos se levantaram. Milhares deles, o maior exército do mundo."
―Jon Snow, sobre o Exército dos Mortos[fnt]

Jon Snow e Sam discutiram o ataque em Durolar e formas de impedir os Caminhantes Brancos.

Mais tarde, Jon Snow se reuniu com Sam para discutir o que viu em Durolar. Eles chegaram a conclusão que aço valiriano era capaz de matar os Caminhantes Brancos, mas precisavam de mais conhecimento sobre suas fraquezas devido a falta de armas com esse material. Sam então se disponibilizou para ir até a Cidadela para se tornar o novo meistre de Castelo Negro, agora que Aemon morreu durante a missão em Durolar por causas naturais. Relutantemente, Jon permitiu que seu amigo partisse com Gilly e o bebê, se despedindo deles no pátio.[45]

Dias mais tarde, Sor Davos retornou a Castelo Negro implorando Jon por cavalos e suprimentos devido a constantes perdas a caminho de Winterfell. Jon continuou dizendo a ele que a Patrulha não poderia se envolver nas guerras dos homens e não possuía suprimentos para ajudá-los, quando de repente Melisandre chegou aos portões afirmando que a Batalha de Winterfell foi perdida e todos, incluindo a família Baratheon, foram mortos.[45]

Jon: "Olly..."
Olly: "Pela Patrulha!"
―Jon Snow e Olly, antes deste último matá-lo[fnt]

Jon Snow foi apunhalado várias vezes durante o motim em Castelo Negro "pela Patrulha".

Enquanto lia as respostas dos senhores nortenhos sobre enviar homens para a Patrulha―com quase todos afirmando não poder ajudar em tempos de guerra―Jon Snow foi surpreendido por Olly contando que um dos selvagens que ele resgatou em Durolar afirmava ter visto Benjen Stark vivo. Jon rapidamente deixou seus aposentos e o acompanhou para fora, onde um pequeno grupo de oficiais da Patrulha se reunira em torno do suposto selvagem. Quando Jon entrou na roda de pessoas ansioso por saber sobre seu tio, percebeu que na verdade eles estavam encarando uma placa de madeira pichada "traidor" no centro. Confuso, ele se virou para trás apenas para ver Sor Alliser enfiando uma faca em seu peito, seguido por Bowen Marsh, Othell Yarwyck e outros dois oficiais, que diziam fazer isso "pela Patrulha". De joelhos e perdendo muito sangue, Jon Snow suspirou quando viu Olly segurando também uma faca, e com o rosto coberto de lágrimas. Após o golpe final, Jon Snow foi deixado sangrando no chão para morrer enquanto os oficiais iam embora.[45]

Sexta Temporada

"O Senhor te trouxe de volta por um motivo. Stannis não era o Príncipe Que Foi Prometido mas alguém tem de ser."
Melisandre, acreditando que Jon Snow era o Príncipe Que Foi Prometido ao trazê-lo de volta[fnt]

Jon Snow foi ressuscitado por Melisandre após sua morte no Motim de Castelo Negro.

O corpo de Jon Snow foi encontrado por Sor Davos pela manhã, e foi levado a seus aposentos onde um pequeno grupo se reuniu, incluindo Edd Doloroso e Melisandre, para planejarem um contra-ataque a Tormund. Edd foi até os selvagens enquanto Sor Davos tentava ganhar tempo.[46] Rapidamente, Tormund liderou os resgatados de Durolar para impedir a rebelião de Thorne, derrotando-os com poucas casualidades e prendendo-os nas celas de gelo. Antes que pudessem decidir queimar o corpo de Jon Snow, Sor Davos sugeriu a Melisandre que tentasse reanimá-lo com alguma magia. Ela afirmava que conhecia uma, mas que não deveria funcionar. Este mesmo ritual foi usado para trazer Beric Dondarrion de volta a vida seis vezes, mas Melisandre estava descrente quanto ao poder do Senhor da Luz após a derrota de Stannis. Por fim ela tentou e, com sucesso, Jon Snow voltou à vida.[47]

"Eu lutei, eu perdi, agora descanso. Mas você, Lorde Snow, você estará lutando suas batalhas para sempre."
―Sor Alliser Thorne[fnt]

Os selvagens e irmãos de negro acharam que Jon Snow era um deus por ter voltado a vida.

Jon Snow retornou confuso e assustado, mas foi rapidamente confortado por Davos e Melisandre. Ele afirmou que não viu nada do outro lado após morrer, e só se lembrava do motim antes de Olly lhe esfaquear. Após recuperar o fôlego, ele deixou os aposentos que descansava e caminhou entre a multidão surpresa de homens da Patrulha da Noite e selvagens. Tormund lhe disse que as pessoas achavam que Snow era um deus, enquanto Edd se mostrou feliz por ver seu amigo de volta a vida. Jon por fim executou os oficiais que o traíram, incluindo Olly, os enforcando. Após isso ele tirou seu manto negro e entregou a Edd Doloroso, afirmando que sua vigília estava acabada.[1]

Sansa: "Para onde você vai?"
Jon: "Para onde nós vamos? Se eu não cuidar de você o fantasma do pai vai voltar para me matar."
Sansa Stark e Jon Snow[fnt]

Jon se reencontrou com Sansa depois de anos separados.

Edd tentou convencer Jon a ficar na Patrulha da Noite, lembrando-lhe dos mortos que viram em Durolar. Jon no entanto não podia ficar em um lugar onde seus próprios irmãos o traíram, e argumentou que já deu a sua vida pela Patrulha da Noite. Ambos foram interrompidos quando Sansa Stark chegou aos portões de Castelo Negro guardada por Brienne de Tarth e Podrick Payne. Jon a abraçou, emocionado de vê-la depois de tantos anos. Ferida e assustada, Sansa lhe contou sobre o que passou depois de deixar Winterfell, sendo torturada por Joffrey, vendida para os Bolton, forçada a casar com Ramsay e sendo violentada e estuprada por ele todos os dias. Jon também lhe contou sobre o que passou e os motivos de deixar a Muralha, afirmando que a partir dali ele iria ficar com ela.[48]

"Seu irmão Rickon está na minha masmorra. A pele de seu lobo gigante está no meu chão, venha e veja.
Quero minha noiva de volta. Envie-a para mim, bastardo, e não incomodarei você ou seus amantes selvagens. Mantenha-a longe de mim e cavalgarei para o norte para matar cada homem, mulher e bebê selvagem que vive sob sua proteção.
"
―Trecho da Carta do Bastardo[fnt]

Sansa convenceu Jon a iniciar uma campanha para retomar Winterfell dos Bolton.

Sansa tentou convencer Jon que precisavam retomar Winterfell dos Bolton, sem sucesso inicialmente.[48] Isso mudou quando, enquanto jantavam, onde Jon recebeu uma carta de Winterfell escrita por Ramsay informando que ele está com Rickon como prisioneiro e exigindo furiosamente o retorno de Sansa sobre ameaça de massacrar os aliados selvagens de Jon, violando sua irmã e assassinando os filhos de Ned Stark de forma cruel e sádica. Relutante de início mas com apoio de Tormund, Jon e Sansa partiram de Castelo Negro para retomar sua antiga casa. Brienne foi enviada para negociar com Brynden Tully em Correrrio, já que Sansa afirmara que lera uma carta em Winterfell contando que o Peixe Negro havia retomado o castelo de sua família dos Frey e o mantinha em um cerco. Apesar das grandes casas do Norte, como Umber e Karstark, terem se aliado a Ramsay, com a ajuda dos Tully e dos selvagens, os filhos de Ned poderiam ter uma chance.[49]

"Eu servia a Casa Stark... mas a Casa Stark está morta."
Robett Glover, recusando-se a juntar forças com Jon Snow[fnt]

Várias tentativas de Jon e Sansa de recrutarem casas nobres no Norte falharam, incluindo os Glover e Manderly.

Primeiramente convencendo os selvagens a se aliarem, Jon e Sansa andaram pelo Norte tentando recrutar as casas menores após a Casa Manderly se recusar a escolher um lado. Com apoio das casas Mormont, Hornwood e Mazin, os números de Jon chegavam a metade dos de Ramsay.[50] Após saber do fracasso de Brienne em recrutar o Peixe Negro, Jon decidiu posicionar o seu acampamento onde Stannis havia deixado o seu antes da Batalha de Winterfell e começou a reunir os líderes de seu exército para planejar o ataque. Sansa era contra atacar tão cedo, afirmando que precisavam de mais homens, mas Jon lembrou-lhe que eles chamaram todas as casas que podiam ajudar e nenhuma delas respondeu, então teriam de lutar com os homens que tinham.[51][52]

"Milhares de homens não precisam morrer, somente um de nós. Vamos decidir isso a maneira antiga. Você contra eu."
―Jon Snow, tentando irritar Ramsay com um duelo[fnt]

Jon e Sansa se encontraram com Ramsay antes da batalha para negociar, mas sem sucesso.

Jon e Ramsay arranjaram um encontro antes da batalha para tentarem negociar paz. Se encontrando pela primeira vez, o Senhor de Winterfell tentou zombar de sua bastardia e números, enquanto Snow desafiava Ramsay para um duelo mano-a-mano na frente de seus vassalos com intuito de irritá-lo. Sem chegarem em um consenso, ambos partiram, marcando a batalha na manhã seguinte. Durante a noite, o conselho de Snow se reuniu para discutir os planos e armadilhas para a manhã seguinte. Davos apontou que Ramsay os enfrentaria em campo aberto, ao invés de esperar nas muralhas do castelo, pois sabia que o Norte estava assistindo a batalha ansioso pelo resultado. Quando ficaram sozinhos, Sansa tentou alertar Jon que ainda não tinham os números e precisavam esperar, mas seu irmão afirmou que não tinham outra opção. Mais tarde, Jon se reuniu com Melisandre e pediu que, caso caísse na luta, não o ressuscitasse novamente. Ela respondeu dizendo que apenas fazia o que seu Senhor mandava, mas não soube dizer a Jon como ela interpretava corretamente ou não seus sinais, apenas sabia que Ele o queria vivo.[52]

"Se acha que ele vai cair na sua armadilha, ele não vai. Ele é quem faz armadilhas."
―Sansa Stark, sobre Ramsay Bolton, para Jon Snow[fnt]

Jon tentou salvar Rickon galopando até ele sozinho enquanto Ramsay atirava flechas nos irmãos.

A batalha começou no dia seguinte, com os exércitos posicionados. Jon notou que Ramsay tinha Rickon de refém e o viu soltá-lo, mandando correr pelo campo enquanto atirava flechas nele. Desesperado, Jon saltou no seu cavalo e correu sozinho até seu irmão, apenas para chegar tarde demais quando uma última flecha de Ramsay atingiu o alvo. De repente, uma saraivada de flechas atiradas pelos arqueiros de Bolton forçaram Jon a prosseguir cada vez mais para perto de Ramsay e seu exército e mais longe de seus homens, perdendo o cavalo no processo. Quando Jon caiu, Ramsay chamou sua cavalaria para avançar sobre ele.[52]

Sansa: "Se Ramsay vencer, eu não vou voltar para lá viva. Você me entende?"
Jon: "Eu não vou nunca deixar ele tocar em você de novo. Vou te proteger, te prometo."
―Sansa Stark e Jon Snow, antes da Batalha dos Bastardos[fnt]

Jon quase perdeu sua vida novamente na Batalha dos Bastardos.

Jon testemunhou a cavalaria Bolton vindo em sua direção e, sem opções, sacou Garralonga e preparou para morrer novamente. Por sorte, sua própria cavalaria foi enviada no momento certo e Jon ficou preso entre as duas, tendo de lutar a pé para sobreviver. Enquanto os arqueiros Stark não atiravam no meio da confusão de homens para não matar seus próprios aliados, Ramsay não teve o mesmo receio e continuou atirando saraivadas de flechas no meio da batalha, formando eventualmente uma pilha de corpos no lado norte do campo. Quando os homens de Jon se reuniram em um só canto da batalha, Ramsay enviou seus soltados com escudos para formar uma parede com lanças em volta de seus inimigos, forçando-os a recuar para a pilha de corpos, de onde os Umber e Karstark desciam para enfrentá-los. Jon foi quase esmagado e sufocado por seus próprios homens na confusão, mas de longe vislumbraram os Cavaleiros do Vale chegando para ajudá-los, com Petyr Baelish e Sansa observando a batalha a distância.[52]

Jon pediu para que Rickon fosse enterrado nas criptas junto a seu pai.

Eles quebraram as forças da Casa Bolton e soltaram os nortenhos para liberdade. Junto a Wun Wun e Tormund, Jon correu para Winterfell onde Ramsay tentava se esconder. Wun Wun quebrou os portões mas foi morto no processo, enquanto Jon e seus homens invadiam o castelo para matar Ramsay. Neste momento, o Senhor de Winterfell exigiu a Snow um combate individual, com este furiosamente pegando um escudo para se defender das flechas de Bolton. Quando Jon se aproximou dele, ele o espancou até ver que Sansa o observava enquanto os Cavaleiros do Vale entravam em Winterfell e finalizavam a batalha.[52]

"Jon, um corvo veio da Cidadela. Um corvo branco. O inverno está aqui."
―Sansa Stark, para Jon Snow[fnt]

Furioso com a queima de Shireen, Jon e Davos exilaram Melisandre do Norte.

Com Winterfell retomada, Jon deixou Sansa executar Ramsay privadamente enquanto se reestabelecia em sua casa.[52] Mais tarde no salão de Winterfell, enquanto conversava com Melisandre, Davos confrontou a Sacerdotisa, mostrando a ela um brinquedo que havia feito para a Princesa Shireen e que ele havia encontrado perto dos restos de uma pira no acampamento de Stannis. Melisandre assumiu o crime, dizendo que a queimou com a autorização de Stannis para tentar vencer os Bolton. Furioso, Jon a expulsou do Norte, afirmando que a enforcaria caso voltasse a vê-la. Enquanto assistia Melisandre partir, Sansa foi até Jon se desculpar por não ter falado que tinha Lorde Baelish e os Cavaleiros do Vale a apoiando. Eles prometeram não guardar mais segredos um do outro e, antes de se despedirem, Sansa contou a Jon que um corvo branco havia chegado da Cidadela. O inverno havia chegado.[2]

"Mas a Casa Mormont se lembra, o Norte se lembra, não conhecemos nenhum rei além do Rei do Norte, cujo o nome é Stark. Não ligo se ele é um bastardo, o sangue de Ned Stark corre em suas veias. Ele é meu rei, deste dia, até meu último dia."
Lyanna Mormont[fnt]

Jon Snow foi escolhido como Rei do Norte, sucedendo seu irmão Robb.

Dias mais tarde, conforme os senhores restantes do Norte se reuniam em Winterfell, Jon conseguiu convencê-los que a real ameaça estava no norte da Muralha e, agora com a chegada do inverno, eles precisariam se unir para sobreviver. Lyanna Mormont então cobrou lealdade dos senhores que abandonaram Snow em sua retomada de Winterfell, afirmando que a Casa Mormont se lembrava: só há um rei que os nortenhos conhecem―o Rei do Norte. Graças a seu discurso, a Casa Glover e Manderly se desculparam pela falta de apoio na Batalha dos Bastardos, nomeando também Jon Snow o Rei do Norte, seguindo ele nas guerras que virão.[2]

Sétima Temporada

"Meu pai sempre disse 'o homem que passa a sentença deve brandir a espada' e eu tenho tentado viver sob essas palavras, mas eu não vou punir um filho pelos pecados do pai, e eu não vou tirar uma família de sua casa que viveu lá por séculos. Esta é minha decisão, e minha decisão é final."
―Jon Snow, sobre a punição de Alys e Ned[fnt]

Jon Snow e seu conselho de Winterfell tentaram se organizar o melhor que podiam para o inverno.

Se preparando para a Grande Guerra, Jon Snow começou a planejar com os seus vassalos planos de ação e contingência. Ele ordenou que todo homem e mulher, entre 10 e 60 anos, teriam de treinar para lutarem contra os mortos. Ele também ordenou a todos os Meistres procurarem por vidro de dragão em Westeros, enfatizando que seria mais valioso a eles que ouro na luta contra os Caminhantes Brancos. Jon também pediu para Tormund levar o Povo Livre e guarnecer castelos na Muralha, especialmente Atalaialeste, que era o mais próximo de Durolar. Quando o assunto da punição das Casas Umber e Karstark veio a tona, enquanto Sansa e a maior parte dos nobres nortenhos defendiam algum tipo de pagamento, Jon afirmou que os traidores de fato, Pequeno-Jon Umber e Harald Karstark, haviam caído na Batalha dos Bastardos, e não iria punir os filhos pelos crimes de seus pais, permitindo que Ned Umber e Alys Karstark mantivessem seus títulos e terras. Sansa questionou Jon publicamente, que conseguiu com muita dificuldade amenizar a situação com um discurso. No entanto, enquanto sozinhos, Jon repreendeu Sansa, pedindo que ela não o questionasse novamente em público. Quando uma carta da Rainha Cersei I Lannister chegou as mãos dos irmãos, onde pedia que Snow fosse a Porto Real jurar fidelidade a ela, Sansa pediu que seu Jon fosse mais esperto que Ned e Robb ou ambos perderiam as cabeças antes dos Caminhantes Brancos sequer descobrirem como passar pela Muralha.[53]

"Vocês todos me coroaram seu rei. Eu nunca quis isso. Eu nunca pedi por isso. Mas eu aceitei porque o Norte é minha casa, é parte de mim e eu não vou nunca parar de lutar por ele, não importa as chances. Mas as chances estão contra nós. Nenhum de vocês viu o Exército dos Mortos, nenhum de vocês. Nós não poderemos nunca derrotá-los sozinhos. Precisamos de aliados, aliados poderosos. Eu sei que é um risco, mas eu tenho de tomá-lo."
―Jon Snow, sobre ir até Pedra do Dragão[fnt]

Jon foi confrontado por Mindinho nas criptas, afirmando que eles ainda não tinham conversado apropriadamente.

Dias depois, Jon recebeu duas cartas importantes do sul. Uma de Sam na Cidadela, afirmando que Pedra do Dragão estava em uma montanha cheia de vidro de dragão, e outra de Tyrion Lannister, que servia como Mão do Rei de Daenerys Targaryen, residindo em Pedra do Dragão. A carta de Tyrion continha uma proposta de aliança entre Jon e Daenerys e, apesar dos avisos de Sansa e de seus vassalos que era uma armadilha, Jon decidiu ir até lá. Ele justificou que, por ser uma rainha, Daenerys apenas aceitaria negociar com ele, então mandar um emissário estava fora de cogitação. Como a necessidade de vidro de dragão era urgente, Jon Snow preferiu correr o risco e deixou Sansa como Lady de Winterfell.[54]

Petyr: "Eu amo Sansa, como amava sua mãe."
Jon: "Encoste em minha irmã, e eu vou te matar."
Petyr Baelish e Jon Snow[fnt]

Antes de partir, enquanto estava nas criptas de Winterfell, Jon foi confrontado por Petyr Baelish, que irritou fortemente o Rei do Norte. Apesar dele tê-lo salvo na Batalha dos Bastardos, Jon ameaçou Mindinho, afirmando que se encostasse um dedo em Sansa, iria matá-lo sem piedade.[54]

"Tem sido uma longa jornada, mas ambos estamos aqui."
Tyrion Lannister[fnt]

Jon se surpreendeu ao ver dragões pela primeira vez.

Jon foi até Pedra do Dragão com Davos Seaworth e uma pequena guarnição de homens. Lá, Tyrion Lannister e Missandei de Naath os receberam, pedindo as armas dos convidados para não causarem problemas. Relutantemente, Jon as entregou. Enquanto conversavam sobre o que passaram em suas jornadas, Jon e Tyrion foram surpreendidos pelos dragões de Daenerys, Rhaegal, Drogon e Viserion. O anão lhe garantiu que era difícil se acostumar com a presença deles.[55]

"Porque agora você, e eu, e Cersei, e todos os outros, somos crianças brincando em um jogo e gritando que as regras não são justas. [...] Vossa graça, todos que você conhece vão morrer antes do fim do inverno se não impedirmos o inimigo ao norte."
―Jon Snow, para Daenerys Targaryen[fnt]

Jon e Daenerys não tiveram muita amizade em seu primeiro encontro.

No grande salão de Pedra do Dragão, Jon enfim conheceu Daenerys Targaryen. Ela queria uma aliança com ele, mas não permitiria que o Norte se mantivesse independente, exigindo que ele dobrasse o joelho. Jon por outro lado se recusou, afirmando que não tinham tempo para a guerra dos tronos pois os mortos estavam vindo e precisavam unir forças para impedi-lo. Apesar de cética, Tyrion se mostrou mais a favor de Jon, porém também exigia que ele dobrasse o joelho antes que pudessem pensar em marchar para o norte e impedir o Rei da Noite, já que a guerra contra Cersei estava sendo travada enquanto conversavam.[55]

"Sem ofensa, vossa graça, mas eu não te conheço. Até onde eu posso dizer, sua reivindicação ao trono se baseia inteiramente no nome de seu pai, e meu próprio pai lutou para destituir o Rei Louco. Os senhores do Norte colocaram sua confiança em mim para liderá-los, e eu vou continuar a fazê-lo o melhor que posso."
―Jon Snow, para Daenerys Targaryen[fnt]

Jon se sentiu perdido e tolo por ter ido até Pedra do Dragão.

Jon afirmou que ele não conhecia Daenerys e, por consequência, não via motivos para confiar o Norte a ela. Os nortenhos eram orgulhosos e não aceitariam outro rei sulista. A discussão terminou quando Varys entrou no grande salão para contar sobre uma derrota Targaryen Água Negra para Euron Greyjoy. Jon perguntou se era um prisioneiro na ilha, e Daenerys respondeu que "ainda não", os mantendo como convidados por enquanto. Enquanto ambos refletiam suas derrotas, Jon e Tyrion conversaram sobre seus problemas recentes. O Rei do Norte queria estar no Norte ajudando seu povo, vendo que tentar convencer Daenerys de ajudá-lo em uma ameaça que parece fantasiosa não funcionaria. Tyrion então sugeriu que ele desse o primeiro passo e tentasse conversar com pessoas na ilha de Pedra do Dragão para conhecer melhor a Mãe dos Dragões e aqueles que a seguem. Quando ele perguntou se havia algo em que pudesse ajudar Jon, ele contou a Tyrion sobre o vidro de dragão que estava abaixo da montanha.[55]

"Todos nós que viemos com ela de Essos acreditamos nela. Ela não é nossa rainha por ser filha de um rei que nunca conhecemos. Ela é a rainha que escolhemos."
Missandei, para Jon Snow, sobre Daenerys Targaryen[fnt]

Jon e Daenerys começaram a desenvolver uma relação mais amistosa conforme entendiam as motivações e história um do outro.

Algum tempo mais tarde, Daenerys convocou Jon Snow fora do castelo para conversarem. Eles observavam os dragões quando ela disse que permitiria a escavação do vidro de dragão, fornecendo os recursos necessários também, mas ainda não acreditava nos Caminhantes Brancos e manteria sua guerra contra Cersei em andamento.[55] Enquanto caminhavam juntos, Jon e Davos conversaram com Missandei sobre Dany e o porque dela seguir a Mãe de Dragões. Missandei afirmava que acreditava nela, assim como quase todos os seus seguidores, a maioria escravos que foram libertos e a serviam de boa vontade.[56]

"Eles [Primeiros Homens e Filhos da Floresta] lutaram juntos contra seu inimigo em comum. Apesar de suas diferenças, apesar de suas suspeitas. Juntos. E precisamos fazer o mesmo se formos sobreviver, porque o inimigo é real. Sempre foi real."
―Jon Snow, para Daenerys Targaryen[fnt]

Jon ainda guardava rancor por Theon, mas eventualmente aprendeu a perdoá-lo.

Antes de começarem a escavar o vidro de dragão, Jon levou Daenerys para ver a caverna em sua grandeza. Ele a mostrou escrituras e desenhos que os Filhos da Floresta fizeram lá há milhares de anos, e então mostrou outro desenho, de homens se unindo com os Filhos para enfrentarem um inimigo em comum―os Caminhantes Brancos. Daenerys disse a Jon que estaria disposta a de fato se aliar a ele e enfrentar os Caminhantes se fossem reais, desde que ele se ajoelhasse. Quando saíram da caverna, a Mãe de Dragões foi recebida com outra notícia ruim―seus ataques no oeste falharam, perdendo a Casa Greyjoy, Dorne e Casa Tyrell de uma só vez, além de ter isolado os Imaculados em Rochedo Casterly sem frota para trazê-los de volta. Daenerys afirmou que iria voar até Porto Real com seus dragões e matar Cersei, mas Tyrion a aconselhou fortemente a não fazê-lo. Ela então perguntou a Jon Snow que, como rei e militar, poderia ter uma opinião forte sobre o assunto. Jon concordou com Tyrion, afirmando que se ela de fato queria criar um mundo melhor, não poderia ser como Cersei e outros governantes antes dela. Ao invés de atacar Porto Real, Daenerys montou Drogon e levou seus Dothraki para a Torrente da Água Negra, onde surpreenderia as forças Lannister que carregavam comida para a capital.[56]

Mais tarde, Jon encontrou Theon Greyjoy, que retornava a Pedra do Dragão após o ataque de Euron a sua frota. Jon não teve um reencontro amistoso com seu antigo companheiro, afirmando que o único motivo dele ainda continuar vivo era pelo que Theon fez por Sansa na fuga de Winterfell.[56]

Jon e Daenerys decidiram trabalhar juntos depois de receberem a carta de Bran contando sobre os movimentos do Rei da Noite.

Jon Snow esperou Daenerys retornar em Pedra do Dragão. Quando ela pousou Drogon no campo, Jon o acariciou, deixando-a surpresa. Enquanto conversavam sobre o resultado da Batalha da Estrada de Ouro, ambos foram surpreendidos com Sor Jorah Mormont, que havia retornado após um exílio em busca da cura para sua escamagris. Jon contou a ele que serviu ao lado de seu pai, Jeor Mormont, na Patrulha da Noite. Mais tarde, um corvo de Winterfell chegou a Pedra do Dragão escrito por Bran Stark, que de alguma forma sobreviveu para lá da Muralha e retornou para casa. Bran afirmava que o Rei da Noite marchava para Atalaialeste do Mar e ele precisava voltar, com ou sem ajuda de Daenerys. Tyrion então sugeriu conseguir uma trégua com a Rainha Cersei I―se ela prometesse não mover suas tropas enquanto lidavam com a ameaça dos mortos ao Norte, Daenerys estava disposta a ajudar Jon. No entanto eles precisavam conseguir uma reunião com Cersei e provar a ela que os mortos existiam, já que ela não acreditaria apenas nas palavras deles.[57]

Daenerys: "Eu não te dei permissão para partir."
Jon: "Com respeito, vossa graça, não preciso de sua permissão. Eu sou um rei."
―Daenerys Targaryen e Jon Snow, sobre ir a caça à criatura[fnt]

Jon, Davos, Jorah e Gendry foram até Atalaialeste caças uma criatura.

Tyrion então sugeriu uma expedição norte da Muralha―trazer uma criatura até Cersei na reunião. Se ela visse com os próprios olhos que os mortos são reais, Tyrion garantiu que ela cederia uma trégua, agora que ambos os lados sangraram na guerra. Jon se voluntariou, junto a Jorah e Davos, para ir na caça à criatura, mesmo sem a aprovação de Daenerys. Antes de partirem para o Norte no entanto, Davos teve de contrabandear Tyrion em Porto Real para primeiro marcar com Jaime Lannister o encontro com sua irmã. Eles tiveram sucesso em sua missão e trouxeram de lá Gendry, filho bastardo do falecido Rei Robert I Baratheon, que jurou lutar ao lado de Jon na Grande Guerra.[57]

"Aqui estamos todos, no fim do mundo, no mesmo momento, e indo na mesma direção com o mesmo motivo."
Beric Dondarrion[fnt]

Jon conheceu a Irmandade Sem Bandeiras em Atalaialeste, incluindo seu líder, Beric Dondarrion, que foi ressuscitado, como Jon, seis vezes.

Chegando em Atalaialeste do Mar, Jon encontrou Tormund e contou-lhe seu plano. O Terror dos Gigantes então disse que eles não eram os únicos que queriam ir norte da Muralha―ele havia encontrado a Irmandade Sem Bandeiras alguns quilômetros ao sul do castelo. Gendry já tinha uma história com eles, com a Irmandade o vendendo para Melisandre anos atrás. Jon também reconheceu Sandor Clegane entre eles, o antigo Cão de Caça do Rei Joffrey I. Juntos, um grupo de pessoas que tem todos os motivos para se odiarem, partiram norte da Muralha para caçar uma criatura e trazer até a Rainha Cersei I.[57]

"Eu trouxe vergonha à minha Casa. Quebrei o coração de meu pai. Eu perdi o direito de reivindicar essa espada. É sua, que te sirva bem, e seus filhos depois de você."
Jorah Mormont[fnt]

Jon ofereceu Garralonga de volta para Sor Jorah, que se recusou a aceitá-la, deixando a espada com Snow.

Jon conversou com Jorah Mormont sobre seus respectivos pais enquanto caminhavam juntos, com Jon oferecendo-lhe Garralonga de volta. O cavaleiro afirmou que perdeu o direito de empunhar a espada, e permitiu Jon ficar com ela até o fim de seus dias, passando para seus filhos depois dele. Mais tarde foi Beric Dondarrion quem chamou Snow para conversar. Beric havia sido ressuscitado por Thoros de Myr seis vezes e acreditava que ele e Jon tinham um grande papel a cumprir nas guerras que virão. No caminho para a montanha que Sandor Clegane viu em sua visão, onde os Caminhantes estariam de acordo com ele, o grupo foi atacado por um urso da neve ressuscitado como criatura. Thoros foi ferido mortalmente, mas conseguiu continuar acompanhando o grupo após Beric cauterizar o ferimento.[58]

Beric: "Morte é o inimigo. O primeiro inimigo, e o último"
Jon: "Mas todos morremos."
Beric: "O inimigo sempre vence, mas ainda precisamos enfrentá-lo. É tudo que sei."
―Beric Dondarrion e Jon Snow, sobre o propósito deles ao serem ressuscitados[fnt]

Jon Snow aguardou no lago congelado pela chegada de Daenerys.

Perto da montanha eles encontraram um pequeno bando de criaturas sendo lideradas por um Caminhante Branco que estava indo investigar uma fogueira próxima a um córrego congelado. Jon liderou uma investida neles e conseguiu matar o Caminhante Branco, derrotando assim as criaturas que ele havia transformado inconsciente deste resultado. Apenas uma única criatura permaneceu, provavelmente porque havia sido transformada por outro Caminhante, e ela logo foi capturada pelo grupo, mas não antes que pudesse gritar e alertar o Rei da Noite. De repente, uma forte tempestade de gelo começou a vir na direção do grupo. Jon ordenou a Gendry para voltar correndo a Atalaialeste e avisar Daenerys em Pedra do Dragão para resgatá-los.[58]

Os dragões de Daenerys salvaram o grupo da caça à criatura.

O resto do grupo correu até um lago congelado, ficando em uma pequena ilha no centro enquanto as criaturas quebravam o gelo circundando o lago. Presos na ilha, o grupo aguardou sem ter para onde ir. Jorah e Beric comentaram com Jon que, caso matassem os Caminhantes, o exército cairia aos poucos, e se matassem o Rei da Noite, todos os mortos eram destruídos. Thoros acabou morrendo durante a noite, e seu corpo foi cremado pelos seus amigos. Sandor tentou zombar dos mortos atirando pedras neles, até uma delas parar no lago que já havia congelado novamente, dando passagem as criaturas para avançarem até o grupo. Jon e os outros lutaram contra chances impossíveis de saírem vivos até Daenerys aparecer com seus três dragões milagrosamente.[58]

Com as forças de Drogon, Viserion e Rhaegal, as criaturas foram queimadas em massa enquanto o grupo subia nas costas do maior dragão. Jon não subiu de imediato, segurando as criaturas enquanto seus amigos se salvavam. Ele foi em direção ao Rei da Noite que, ao invés de enfrentar Jon Snow, pegou uma lança de gelo e atirou em Viserion, matando o dragão. Ele então pegou outra para atirar em Drogon e Daenerys, mas errou o alvo enquanto fugiam. Jon foi cercado por criaturas e caiu dentro do lago quando o gelo cedeu sob seu peso.[58]

"Tio Benjen! Como?!"
―Jon Snow, surpreso ao ver Benjen[fnt]

Jon foi surpreendentemente salvo por Benjen Stark, que estava desaparecido havia anos.

O Exército dos Mortos partia enquanto Jon tentava voltar a superfície. Sem condições de continuar lutando, Jon foi salvo de repente por Benjen Stark, que parecia meio-morto e ferido. Ele disse a seu sobrinho que não havia tempo para explicar, deu-lhe seu cavalo e ficou para segurar as criaturas enquanto Jon fugia. Chegando a Atalaialeste inconsciente, Jon foi levado ao navio de Daenerys que partiu imediatamente ao sul.[58]

Jon: "Obrigado, Dany."
Daenerys: "'Dany'? Quem foi a última pessoa a me chamar assim? Não tenho certeza, meu irmão? Não é a companhia que você quer ter."
Jon: "Certo. Nada de 'Dany'. E que tal 'minha rainha'? Eu até me ajoelharia mas..."
―Jon Snow, se comprometendo a Daenerys Targaryen[fnt]

Dany ficou ao lado de Jon até ele acordar, preocupada com sua condição.

Ele acordou em cama, com Dany a seu lado. Eles partilharam um momento íntimo de preocupação mútua após a perda de Viserion e a quase morte de Jon, e então ela prometeu lutar ao lado do Norte contra o Rei da Noite agora que de fato viu que a ameaça era real. Jon, surpreendentemente, prometeu também lutar ao lado de Dany para colocá-la no trono de ferro, entregando a coroa do Norte e se ajoelhando. Dias mais tarde, eles se prepararam para chegar na Conferência em Porto Real, que aconteceria no Fosso dos Dragões. Jon também enviou uma carta a Sansa contando que desistiu da coroa e se comprometeu a Daenerys Targaryen.[58]

"Só tem uma guerra que importa, a Grande Guerra, e ela está aqui."
―Jon Snow, para a Rainha Cersei I Lannister[fnt]

Jon discursou em favor de uma trégua na conferência, mostrando aos Lannister que o Exército dos Mortos era real.

Ambos os exércitos fizeram demonstração de poder total, enquanto Brienne de Tarth veio representar o Norte ao lado de Jon Snow. Juntos, eles se reuniram no Fosso e esperaram ambas as rainhas chegarem. Cersei I veio logo após todos se reunirem, com Euron Greyjoy e sua Guarda da Rainha do seu lado, enquanto Daenerys veio mais tarde montada em Drogon. Quando a conferência começou, Jon lhes mostrou a criatura capturada, contando que aquele seria o destino de todos no mundo caso não se unissem contra os mortos. Ele também mostrou como derrotar as criaturas―com vidro de dragão ou fogo. Euron aparentemente se assustou e perguntou se elas nadavam. Quando Jon negou, ele quebrou sua aliança com Cersei I e aparentemente voltou para as Ilhas de Ferro. Cersei admitiu a gravidade da situação, convencida da existência dos Caminhantes Brancos, mas apenas aceitaria dar trégua a Daenerys se Jon Snow a estendesse após a ameaça do Norte ser contida. Ele então admitiu que já havia jurado fidelidade a Dany e não poderia servir ambas as rainhas. Por honra, quando o Rei da Noite fosse derrotado, ele teria de lutar pela Casa Targaryen.[59]

Jon: "E agora?"
Daenerys: "Não posso esquecer o que eu vi norte da Muralha. E não posso fingir que Cersei não vai tomar metade do país no momento que eu marchar norte."
―Jon Snow e Daenerys Targaryen, sobre caso Cersei recusasse a trégua[fnt]

Apesar de apreciar a lealdade de Jon, Dany lembrou-lhe que caso a conferência não desse resultado, Viserion morreu em vão.

Furiosa, Cersei recusou a trégua e voltou a Fortaleza Vermelha, afirmando que lidaria com o resto deles depois que a Grande Guerra terminasse. Daenerys agradeceu Jon pelo apoio a sua causa mas Viserion havia morrido para terem aquela conferência e ela não podia ser em vão. Tyrion então se ofereceu para ir discutir com Cersei em particular e, com sorte, convencê-la a trégua do mesmo jeito. Sentido pelo que fez, mas ainda assim julgando a coisa certa, Jon e Daenerys se isolaram no Fosse dos Dragões para conversar. Quando Tyrion retornou, Cersei I veio com ele e afirmou que não só daria trégua, mas também cavalgaria com eles para o Norte e ajudaria a lutar pelos vivos, afirmando que no futuro, quando vencessem os Caminhantes Brancos, eles se lembrasse que ela escolheu ajudar sem esperar nada em troca.[59]

"A Rebelião de Robert foi construída em mentiras. Rhaegar não sequestrou minha tia, ou a estuprou. Ele a amava. E ela o amava. E Jon... o nome real de Jon... é Aegon Targaryen. Ele nunca foi um bastardo, ele é o herdeiro do trono de ferro. Ele precisa saber, precisamos contar a ele."
Bran Stark, ao descobrir a real identidade de Jon Snow[fnt]

Jon e Dany se apaixonaram durante a viagem para Porto Branco.

De volta a Pedra do Dragão, com o vidro de dragão sendo encaminhado a Winterfell, Jon planejou a chegada do maior exército do mundo até sua terra-natal. Ele pediu a Dany que fosse com ele de barco e seguisse a cavalo até Winterfell, afirmando que causaria melhor impressão entre os plebeus. Antes que pudessem partir, Theon foi conversar com Jon, admirando a honestidade que ele teve durante a conferência em Porto Real. Ele assumiu que Jon sempre soube o que era certo, mesmo quando crianças, e que ele nunca teve tal discernimento. Jon afirmou que, por mais que não pudesse redimir Theon por todos os seus pecados, os que ele podia perdoar estavam perdoados. Eles se despediram quando Theon contou-lhe que precisava resgatar sua irmã, Yara Greyjoy, de Euron, que a capturou durante o ataque a sua frota. Durante a viagem de navio até Porto Branco, Jon cedeu a seus sentimentos por Daenerys e foi até seu quarto, onde fizeram amor pela primeira vez. Simultaneamente, Bran e Sam discutiram suas novas descobertas―o real parentesco de Jon Snow.[59]

Oitava Temporada

"Eu te avisei. Os nortenhos não confiam em estrangeiros."
―Jon Snow, para Daenerys Targaryen, ao chegarem na Vila de Inverno[fnt]

Depois de anos sem encontrá-lo, Jon se emocionou ao ver Bran crescido.

Os exércitos de Daenerys eventualmente chegaram na Vila de Inverno e marcharam para Winterfell. No caminho, Jon Snow notou que os nortenhos olhavam de forma suspeita a Dany. Quando os dragões chegaram, muitos dos plebeus voltaram a suas casas temendo as feras. No pátio central do castelo, Jon Snow rapidamente correu para abraçar Bran. Ele perguntou sobre Arya, que não estava presente, e apresentou Daenerys a seus dois irmãos. Bran alertou que eles não tinham tempo para formalidades pois a Muralha havia caído e, além de tudo, o Rei da Noite possuía um dos dragões. No salão principal de Winterfell, Jon Snow ordenou que corvos fossem enviados para retirar a Patrulha da Noite dos castelos e trazê-los a Winterfell. Ele também ordenou que Lorde Ned Umber trouxesse seu povo para lá, visto que Última Lareira era o castelo mais próximo de Atalaialeste. Alys Karstark já estava trazendo os homens de Karhold e em breve, quase todo o Norte estaria em Winterfell para lutarem na Grande Guerra.[60]

Lyanna: "Nós o nomeamos Rei do Norte."
Jon: "Vocês fizeram, milady. Foi a honra de minha vida. Sempre serei grato pela sua fé. Mas quando deixei Winterfell eu disse a vocês que precisávamos de aliados ou morreríamos. Eu trouxe esses aliados para casa, para lutar ao nosso lado. Eu tinha uma escolha: manter minha coroa, ou proteger o Norte. Eu escolhi o Norte."
Lyanna Mormont e Jon Snow[fnt]

Jon foi criticado por ter dado sua coroa a Daenerys.

Quando Lyanna Mormont questionou o atual título de Jon, ele lembrou os seus vassalos que prometeu trazer aliados ao Norte ou não sobreviveriam a Grande Guerra. Tyrion também falou a favor da submissão de Snow, dizendo que se sobreviverem as guerras que estão por vir, é a ele que precisavam agradecer. Graças a sua escolha de abandonar a coroa, os exércitos de Daenerys e da Rainha Cersei I estavam vindo a Winterfell. No entanto, a notícia de Lannisters ao Norte não agradou os nortenhos, que protestaram fortemente contra Tyrion. Enquanto rezava no bosque sagrado, Jon foi surpreendido por Arya, que se emocionou ao rever o irmão depois de tantos anos. Ele reparou que sua irmãzinha ainda carregava Agulha consigo e mostrou a ela sua própria espada, Garralonga. Arya notou que Sansa e Daenerys não estavam se dando bem e pediu a Jon que não trocasse sua família pela Mãe de Dragões.[60]

Jon: "Eu não sei como montar em um dragão."
Daenerys: "Ninguém sabe, até montarem em um dragão."
―Jon Snow e Daenerys Targaryen[fnt]

Jon e Dany viajaram pelo Norte nas costas de seus dragões.

Mais tarde, Jon e Dany estavam gerenciando os preparativos para as defesas de Winterfell quando dois Dothraki alertaram a Mãe de Dragões que seus filhos não estavam comendo direito. Ela e Jon foram vê-los e convidou seu amante a montar em Rhaegal. Suspeito e curioso, ele montou no dragão e foi surpreendido ao ver que ele seguia seus movimentos sem precisar de nenhum comando direto, mas encontrou dificuldade em se manter firme sob a besta. Daenerys e Drogon os seguiram enquanto Jon os levava onde costumava caçar quando criança, próximo a uma grande cachoeira que deixou Dany apaixonada. Eles se beijaram enquanto os dragões observavam Jon com cautela.[60][61]

"Sua mãe era Lyanna Stark. E seu pai, seu pai real, era Rhaegar Targaryen. Você nunca foi um bastardo, você é Aegon Targaryen, o real herdeiro do Trono de Ferro."
―Sam Tarly, para Jon Snow[fnt]

Jon descobriu sua real identidade enquanto prestava respeito a Ned Stark nas criptas de Winterfell.

De volta a Winterfell, enquanto prestava respeito a seu pai nas criptas, Jon foi surpreendido por Samwell que havia voltado da Cidadela. Sem ter visto seu amigo por anos, Jon o cumprimentou com um forte abraço mas logo percebeu que ele estava abalado por algo. Sam lhe contou que Daenerys queimou seu pai e irmão após a Batalha da Estrada de Ouro. Quando Jon tentou justificar suas ações, seu amigo lhe perguntou se ele teria feito o mesmo. Apesar de já ter executado homens que se recusaram a segui-lo, Sam lembrou-lhe de sua misericórdia e como Jon sacrificou sua coroa a favor do Norte, perguntando se Dany faria o mesmo. Ele então revelou a Jon sua real identidade, e como ele e Bran a descobriram―Jon era na verdade filho de Rhaegar e Lyanna, fruto de um casamento secreto dos dois, e real herdeiro do Trono de Ferro, Aegon VI Targaryen. Inicialmente descrente, Jon entendeu rapidamente que aquilo era verdade―Ned Stark mentiu para todos pois, se Robert descobrisse, ele iria matar o filho de Rhaegar.[60]

Brienne defendeu Jaime na frente dos grandes senhores do Norte, Dany e dos irmãos Stark.

Na manhã seguinte, após chegar em Winterfell, Jaime Lannister foi levado perante os lordes e ladies de Winterfell no Grande Salão para ser decidido o que seria feito com ele. Sansa e Daenerys estavam furiosas com os atos passados de Jaime, mas Brienne falou a favor dele e conseguiu a aprovação de Sansa. Jon apontou que precisavam de todos os homens que conseguissem e foi permitido a ele ficar em Winterfell. O Regicida então revelou que sua irmã não estava vindo para o Norte e havia enganado a todos, mas ele pretendia manter sua promessa e lutar pelos vivos. Com sua recente descoberta, Jon tentou ao máximo evitar Dany durante o dia.[62]

Davos: "Os dragões serão uma vantagem no campo."
Jon: "Se estiverem no campo, eles não vão estar protegendo Bran. Precisamos ficar perto dele, não tão perto ou o Rei da Noite não vai vir, mas perto o bastante para persegui-lo quando ele vir."
Davos Seaworth e Jon Snow, discutindo a posição dos dragões na batalha[fnt]

Jon e Bran fizeram a maior parte das estratégias para a Batalha de Winterfell.

Quando Edd Doloroso e a Patrulha da Noite chegaram em Winterfell, tendo também encontrado os sobreviventes de Atalaialeste no caminho, eles revelaram a Jon que houve um massacre em Última Lareira, e agora os Umber lutavam pelo Rei da Noite. Eles tinham no máximo até o anoitecer para se preparar e uma reunião de última hora foi feita para discutir estratégias para a batalha que estava por vir. Bran revelou a todos que o Rei da Noite iria se expor para pegá-lo, como ele havia feito com muitos Corvos de Três Olhos no passado, e que sabia sempre onde Bran estava graças a uma marca em seu braço deixada em seu último encontro. Jon queria mantê-lo nas criptas, junto as mulheres e crianças, onde seria mais seguro, mas Bran apontou que o objetivo era atrair o Rei da Noite para o aberto, então iria esperá-lo no bosque sagrado sendo protegido por Theon e seus homens de ferro―que haviam retornado do resgate de Yara no dia anterior. Ao finalizarem as táticas, Jon pediu a todos que fossem descansar e aguardassem o sinal.[62]

Daenerys: "Meu irmão, Rhaegar... todos me disseram que ele era gentil e bondoso. Gostava de cantar, e dava dinheiro a crianças pobres. E ele a estuprou."
Jon: "Ele não fez isso. Ele a amava. Eles se casaram em segredo. Após Rhaegar cair no Tridente ela teve um filho. Robert teria matado o bebê se ele tivesse descoberto, e Lyanna sabia disso. A última coisa que ela fez, enquanto sangrava até a morte na cama de parto, foi dar o bebê a seu irmão, Ned Stark, para criá-lo como seu bastardo. Meu nome, meu nome real, é Aegon Targaryen."
―Daenerys Targaryen e Jon Snow[fnt]

Jon contou a Dany a verdade sobre seu passado.

Nas muralhas de Winterfell, Jon, Edd e Sam relembraram o passado deles na Muralha. Em seguida, ele foi até a cripta prestar respeito a sua recém-descoberta mãe quando foi surpreendido por Dany lá embaixo. Decidido a contar a ela sua identidade, Daenerys não recebeu bem a notícia, primeiro tentando negar a informação e, em seguida, assumindo que ele teria uma reivindicação ao trono. Antes que pudessem dar prosseguimento a discussão, os três sopros do berrante soaram para alertar a chegada dos Caminhantes Brancos. O casal Targaryen pegou seus dragões e foram a um ponto estratégico observar o início da batalha e aguardar o Rei da Noite se expor.[62]

Jon: "O Rei da Noite está vindo."
Daenerys: "Os mortos já estão aqui."
―Jon Snow e Daenerys Targaryen, durante a batalha[fnt]

Jon e Dany esperavam que o Rei da Noite aparecesse conforme seus exércitos pressionassem os mortos, mas foram obrigados a agir antes da hora devido as perdas numerosas dos vivos.

Enquanto observavam o início da batalha de longe, as forças dos vivos estavam perdendo rapidamente para o Exército dos Mortos. Daenerys decidiu atacar de uma vez ao invés de esperar o Rei da Noite se expor, e Jon a seguiu sem muita escolha. Ele tentou ir até os Caminhantes Brancos, sabendo que se destruísse alguns deles, parte do exército cairia. Mas uma tempestade de gelo invocada pelos outros o cegou e impediu Rhaegal de atacá-los, deixando tanto ele quanto Drogon sem visibilidade para ajudar os vivos. Quando a trincheira foi milagrosamente acesa, Jon decidiu ficar no bosque sagrado para proteger Bran e esperar o Rei da Noite enquanto Daenerys queimava criaturas na frente do castelo.[63]

Pela primeira vez em séculos, dragões dançaram pelos céus novamente.

Eventualmente o Rei da Noite apareceu montado em Viserion e Jon foi segui-lo, iniciando uma brutal batalha pelos céus. Drogon tentou ajudá-lo, fazendo o Rei da Noite cair de Viserion, mas Rhaegal também sofreu graves ferimentos do que foi um dia seu irmão e caiu no solo com violência, lançando Jon no chão com ele. Ferido e desorientado, ele testemunhou Daenerys e Drogon tentarem queimar o Rei da Noite com fogo de dragão apenas para fracassar no processo. Ao sobreviver o ataque, ele afastou Dany com uma lança de gelo e prosseguiu à pé até Winterfell.[63]

Jon sobreviveu a batalha com muita dificuldade.

Jon tentou segui-lo, mas foi logo detectado pelo outro, que começou a levantar os seus braços lentamente e erguer os mortos no processo. Snow não foi capaz de alcançá-lo, sendo imediatamente cercado por criaturas enquanto o Rei da Noite partia para o bosque sagrado. Jon foi surpreendentemente salvo por Dany, que atraiu as criaturas para si e Drogon enquanto Jon prosseguia até o pátio de Winterfell. Chegando lá, ele viu seus amigos lutando até o fim contra hordas sem fim de criaturas, e foi obrigado a deixá-los para trás. Jon tentou prosseguir até o bosque sagrado mas foi constantemente impedido por Viserion, que pousou no pátio queimando tudo que estava em sua frente. Incapaz de fazer algo e de salvar Bran, Jon se desesperou ao tentar enfrentar Viserion, até a criatura se despedaçar em sua frente e todo o Exército dos Mortos começar a cair de repente. Arya Stark havia conseguido passar despercebida até o pátio e matou o Rei da Noite com uma adaga de aço valiriano. Enquanto os vivos descansavam e o amanhecer chegava, Winterfell se enchia de corpos.[63]

"Estamos aqui para dizermos adeus a nossos irmãos e irmãs, nossos pais e mães, nossos amigos, nossos homens e mulheres que deixaram de lado suas diferenças para lutarem juntos, e morrerem juntos, para que outros pudessem viver. Todos neste mundo devem a eles uma dívida que nunca poderá ser paga. É nosso dever e nossa honra mantê-los vivos em nossa memória, para aqueles que vierem depois de nós, e aqueles vierem depois deles. Até quando homens respirarem. Eles foram os escudos que guardaram os reinos dos homens, e nunca veremos seu tipo novamente."
―Discurso de Jon Snow após a Batalha de Winterfell[fnt]

Jon Snow discursou pelos mortos após a Batalha de Winterfell.

Várias piras funerárias foram construídas para homenagear os caídos na batalha e Jon discursou para todos eles, lembrando Winterfell que, apesar de suas diferenças e passado, eles foram os escudos que guardavam os reinos dos homens. Durante a noite, um banquete foi organizado para comemorar a vitória dos vivos. Tormund apontou a coragem e habilidade de Jon em campo, afirmando que viu como ele montou um dragão em batalha e dizendo que era por isso que o seguia. Snow notou a forma que Dany se sentia desconfortável quando ele recebia tais elogios, se sentindo afastada em meio a festa.[64]

"Você é minha rainha, eu não sei mais o que dizer."
―Jon Snow, para Daenerys Targaryen[fnt]

Daenerys implorou a Jon que não revelasse seu segredo a Sansa.

Quando estavam sozinhos em seus aposentos, Daenerys revelou a Jon o que sentia e pediu que ele não contasse seu segredo a mais ninguém, ou outras pessoas forçariam ele a reclamar o Trono de Ferro e acabaria com sua reinvindicação. Jon lembrou Dany que não queria o trono e que, apesar de amá-la, ele precisava de contar a Sansa e Arya―no fim das contas, elas eram sua família e mereciam saber da verdade. Dany não recebeu bem a ideia, afirmando que eles não poderiam viver juntos se Sansa soubesse disso―ela estava tendo problemas com a prima de Jon desde que chegou em Winterfell e Sansa claramente não queria Daenerys no trono, podendo usar a informação do parentesco de Jon para destituí-la de sua posição como rainha.[64]

"É sua escolha."
―Bran Stark, para Jon Snow, sobre revelar sua identidade a Sansa e Arya[fnt]

Sansa quebrou sua promessa e, ao descobrir a real identidade de Jon, contou ela a Tyrion.

No dia seguinte durante uma reunião de guerra, Daenerys demandou que partissem de imediato, apesar das ressalvas de Sansa quanto ao estado físico dos nortenhos. Ela afirmava que iriam cumprir com a palavra de ajudá-la na guerra contra Cersei I, mas precisavam descansar primeiro pois estavam muito desgastados. Ainda assim, Dany exigiu a partida de imediato temendo que Cersei recuperasse muito de sua posição e Jon a apoiou. Antes de ir embora da sala, Arya e seus irmãos exigiram conversar com ele em particular no bosque sagrado, onde deixaram claro suas suspeitas quanto a Daenerys. Jon revelou seu parentesco a suas irmãs, mas pediu que elas não contassem a ninguém. Sem seu conhecimento, Sansa iria dizer a Tyrion que, por sua vez, contaria a Varys. Daenerys e suas forças partiram antes dos nortenhos, com a rainha levando Drogon, Rhaegal e os Imaculados e Dothraki para Pedra do Dragão.[64]

"Você tem o Norte em si―o Norte de verdade."
Tormund, para Jon Snow[fnt]

Ao invés de acompanhar seus homens até Porto Real, Jon foi para Pedra do Dragão ver como Dany estava reagindo com suas perdas recentes.

Antes de partir Jon se despediu de Sam e Gilly, que revelou estar grávida e esperava dar o nome ao bebê de Jon caso fosse um menino. Tormund contou a Jon que pretendia voltar a Castelo Negro, acreditando que seu povo não tinha lugar no sul. Jon pediu que ele levasse Fantasma consigo, dizendo que o lobo gigante seria mais feliz no norte da Muralha, e Tormund apontou que o próprio Jon também seria. Ele, Davos e os nortenhos seguiriam pela Estrada do Rei até Porto Real onde iniciariam um cerco a cidade de imediato,[64] mas ao ouvir sobre a morte de Rhaegal em Pedra do Dragão por Euron e o sequestro e assassinato de Missandei por Cersei durante o caminho a capital, Jon cavalgou a frente de seus homens e foi até a fortaleza insular dos Targaryen ver como Daenerys estava.[65]

Varys: "Você vai reinar bem e sabiamente enquanto ela..."
Jon: "Ela é a minha rainha."
―Varys, tentando apoiar a ascensão de Aegon VI[fnt]

O relacionamento de Daenerys e Jon ficou instável conforme a paranoia dela aumentava.

Em Pedra do Dragão, Jon foi confrontado por Varys que aparentemente iria apoiar uma possível reivindicação dele ao Trono de Ferro, mas Jon ainda se manteve fiel a Dany, afirmando que ela era sua rainha e iria servi-la independente de sua real identidade. Quando a rainha descobriu a traição do eunuco, ela o executou formalmente queimando-o com Drogon. Sozinhos nos aposentos de Dany mais, ela culpou Jon pelo ocorrido, sabendo que Sansa era quem disse a Tyrion que, por sua vez, disse a Varys a real identidade de Snow, levando-o a conspirar contra ela. Jon tentou acalmá-la dizendo que lhe amava e trocaram beijos desconfortáveis, com Jon sendo pouco receptivo a ela devido a sua criação nortenha em relação a incesto. Essa decisão feriu profundamente Daenerys que se sentia isolada e sozinha, acreditando que a única coisa que lhe restou em Westeros era ser temida, já que nunca seria amada daquele lado do continente.[65]

Jon e seus homens aguardaram fora dos portões de Porto Real pela chegada de Daenerys e início da batalha.

Quando a rainha ordenou que partissem de imediato a Porto Real para atacarem no dia seguinte as forças de Cersei I, Tyrion descobriu que Jaime fora capturado tentando entrar na capital sitiada e tentou encontrá-lo em segredo, soltando seu irmão mais velho e pedindo para ele salvar Cersei e avisar os guardas Lannisters para tocarem os sinos caso quisessem se render, evitando um massacre desnecessário na cidade. Tyrion contou a Jon este plano e ambos aguardaram na manhã seguinte enquanto a Companhia Dourada se posicionava na frente dos portões de Porto Real. Quando Daenerys chegou destruindo a Frota de Ferro de Euron Greyjoy e massacrando a Companhia Dourada, Jon levou os nortenhos para dentro da cidade.[65]

Os soldados Stark foram impedidos de continuar o massacre por Jon.

Quando se encontraram com os soldados Lannisters, eles se renderam e os sinos foram tocados, anunciado a vitória Targaryen sobre a cidade. Dany no entanto não aceitou a rendição e começou a massacrar tanto os Lannisters, quanto os civis da cidade, queimando vários quarteirões de Porto Real com Drogon. Verme Cinzento seguiu a liderança dela e atacou os soldados rendidos, com Jon Snow segurando seus próprios homens para não fazer o mesmo.[65]

Depois de ficar desacreditado com sua causa, Jon tentou afastar-se com seus homens da batalha e esperou ela acabar. Daenerys destruía a cidade com Drogon enquanto isso, ativando vários frascos de fogovivo e matando milhares de inocentes no processo.

Assustado e desacreditado pela violência desnecessária que o cercava, Jon chegou a enfrentar os próprios homens da rainha, impedindo-os de estuprar e assassinar civis de Porto Real sem motivo. Conforme a cidade era cada vez mais queimada e frascos de fogovivo que estavam escondidos no subterrâneo começavam a explodirem, Jon liderou seus homens em uma retirada para ficarem fora do alcance da destruição.[65] Conforme as cinzas baixavam e neve caia do céu, Jon entrou com Davos e seus homens novamente pelas ruas da cidade e encontraram Tyrion desolado e perdido, afirmando que iria vê-los mais tarde. Jon tentou oferecer-lhe proteção, mas o anão recusou, indo sozinho até os destroços da Fortaleza Vermelha.[66]

Jon Snow confrontou Verme Cinzento sobre a execução de Lannisters desarmados.

Jon Snow acabou encontrando Verme Cinzento executando soldados Lannisters rendidos e desarmados. Quando o questionou sobre isso, ele disse que as ordens eram da própria Daenerys―aqueles homens escolheram por vontade própria seguir Cersei I e mereciam morrer por isso, de acordo com o Imaculado. Jon tentou impedi-lo mas Davos o segurou, afirmando que era melhor ir ver a rainha primeiro. Chegando até os destroços da Fortaleza Vermelha, Jon testemunhou Daenerys discursar que iria "libertar" o resto do mundo exatamente da forma que "libertou" Porto Real, de Winterfell a Dorne, de Lannisporto a Essos, ela planejava conquistar o mundo de sua maneira.[66]

Jon Snow testemunhou o discurso de Daenerys sobre libertar o mundo da mesma forma que libertou Porto Real.

Não suportando o massacre que testemunhou e se recusando a fazer parte de mais, Tyrion se despediu do cargo de Mão do Rei na frente de todos e foi preso pelos Imaculados. Dany trocou olhares com Jon antes dela mesma sair para a sala do trono. Antes que pudesse partir, ele foi surpreendido por Arya, que afirmava estar na cidade para matar a Rainha Cersei I, mas foi pega entre ela e Daenerys. Ela lembrou Jon que Sansa jamais se ajoelharia e Dany não aceitaria isso de sua irmã, então pediu para Jon escolher quem iria ajudar.[66]

"Você acha que as palavras de nossas casas estão estampadas em nossos corpos quando nascemos, e é assim que somos?"
―Jon Snow, tentando defender Daenerys de Tyrion Lannister[fnt]

Ele foi visitar Tyrion em seu cativeiro para conversar e o anão, assim como Arya, tentou convencê-lo de matar Daenerys. Tyrion afirmava que ela se provou ser uma verdadeira Targaryen ao matar os inocentes, colocando as palavras de sua casa "fogo e sangue" em prática. Ele lembrou Jon das conquistas violentas que Dany fez em Essos e como todos aplaudiram e seguiram ela por ela ter queimado pessoas ruins até enfim chegar em Porto Real, onde as vítimas de fato foram civis, não escravagistas ou tiranos. Jon tentou defender Daenerys e por fim terminou a conversa dizendo que a escolha não cabia a eles sobre como ela deveria reinar.[66]

Daenerys: "Fique comigo. Construa o novo mundo comigo. Este é o nosso destino. Tem sido desde o começo, desde que você era um jovem menino com um nome bastardo e eu uma garotinha que não sabia contar até vinte. Fazemos isso, juntos. Quebramos a roda, juntos."
Jon: "Você é minha rainha, agora e sempre."
―Daenerys Targaryen e Jon Snow, em sua última conversa[fnt]

Jon e Dany compartilharam um último beijo antes dele a trair pelo bem de sua família e do restante dos Sete Reinos.

Indo até a sala do trono, Jon confrontou uma Daenerys vitoriosa e satisfeita com o que havia feito. Ele contou a ela sobre os Imaculados executando soldados rendidos e os inocentes que viu queimados pela cidade, mas Daenerys aparentou indiferença quanto a isso, afirmando que foi necessário já que Cersei usou a inocência deles contra ela. Ela tentou convencer Jon que fez o que era necessário e juntos poderiam criar um mundo melhor. Quando ele perguntou a Dany o que faria com pessoas que discordassem delas, que achassem que tinham uma ideia de mundo melhor diferente de sua rainha, ela respondeu que eles não teriam lugar para respondê-la nesse mundo. Declarando seu amor a Dany, Jon a beijou enquanto usava sua mão direita para pegar uma adaga e enfiar no coração de sua rainha. Quando ela caiu fria e morta em seus braços, Jon chorou pelo que fez, terrível mas necessário.[66]

Drogon aparece logo em seguida e viu o corpo de sua mãe caído e Jon a seu lado. Furioso, o dragão começou a cuspir fogo mas sem atingir Jon, e sim mirando no Trono de Ferro até derretê-lo. Ele então pegou o cadáver de Dany e voou para leste deixando o último Targaryen vivo sozinho em Westeros. Jon foi mantido preso pelos Imaculados por dias até todos os membros das Grandes Casas de Westeros se reunirem em um Grande Conselho para decidir o que seria feito com ele e Tyrion.[66]

Jon: "Me desculpe por não estar lá quando você precisava de mim."
Bran I: "Você estava exatamente onde deveria estar."
―Jon Snow se ajoelha a Bran I, o Quebrado[fnt]

Aegon Targaryen se ajoelhou para Brandon I Stark antes de partir a Castelo Negro.

Após o Grande Conselho terminar, Tyrion foi até a cela de Jon contar-lhe o que foi decidido. Um novo rei foi escolhido pelos grandes senhores, Brandon I Stark, e ele decidiu exilar Jon para Patrulha da Noite a fim de acalmar os Imaculados e os nortenhos, conseguindo um meio-termo que agradasse a ambos os lados. Quando Jon perguntou a Tyrion se o que fez parecia certo, ele respondeu que deveria perguntá-lo daqui a dez anos para ter certeza. Antes de deixar Porto Real, Jon foi acompanhado por homens da Patrulha da Noite até as docas para se despedir de seus primos. Sansa foi eleita Rainha do Norte e manteria este reino separado dos demais, enquanto Bran I reinaria o sul. Arya afirmou que iria viajar para oeste de Westeros como nunca fora feito antes e não esperava reencontrar sua família novamente. Emocionado pelas despedidas, Jon partiu em um navio para Castelo Negro.[66]

Jon partiu com Tormund e o Povo Livre norte da Muralha.

Jon: "Ainda existe uma Patrulha da Noite?"
Tyrion: "O mundo sempre precisará de um lugar para bastardos e homens quebrados."
―Jon Snow e Tyrion Lannister, sobre a Patrulha da Noite ter sido reestabelecida[fnt]

Chegando em Castelo Negro, Jon reencontrou Tormund e Fantasma e logo voltou a vestir suas vestes negra. Juntos, eles se uniram aos selvagens para marchar além da Muralha, reestabelecendo o Povo Livre ao Norte. Jon deu uma última olhada para trás, relembrando sua vida e jornada, e por fim ergueu-se para frente, deixando seu passado de lado e aceitando seu exílio no frio norte. Ele foi visto pela última vez com o Povo Livre na Floresta Assombrada.[66]

Relacionamentos

  • Ygritte foi o primeiro amor de Jon Snow. Por ela ser uma selvagem e ele um membro da Patrulha da Noite, o amor entre os dois foi mal visto pelos companheiros de ambas as partes: enquanto os selvagens tinham fortes suspeitas contra Jon, a Patrulha julgou ele por quebrar seus votos com Ygritte. No entanto, Tormund afirmou que o amor entre eles era genuíno, dizendo a Jon que quando ele fugiu de volta a Castelo Negro, a única coisa que Ygritte falava era em matá-lo e que, para ele, isso é prova de seus sentimentos amorosos. Jon perdeu sua virgindade com Ygritte e, mais tarde após sua morte, afirmou a Melisandre que ainda a amava, quando a mesma tentou seduzi-lo. Ygritte acreditava que seu relacionamento com Jon ia além: ele era dela e ela era dele, e preferia viver intensamente com seu amante do que sobreviver fugindo com medo junto a ele. Isso é provado quando Jon afirma a ele que os selvagens não iriam vencer a Patrulha com sua falta de disciplina, com Ygritte dizendo que não se importava em morrer desde que estivesse vivendo feliz com seu amante. A morte de Ygritte abalou profundamente Jon, que não amou outra mulher até se apaixonar novamente por Daenerys.
  • Daenerys Targaryen foi o segundo e último amor conhecido de Jon. Quando eles se conheceram, a atitude dura e inflexível de Daenerys deixou um clima tenso entre os dois, com Jon se sentindo um prisioneiro dela. Mais tarde quando Daenerys é convencida por Tyrion a deixar os nortenhos minerarem vidro de dragão, Jon mostrou a Daenerys os desenhos feitos pelos Filhos da Floresta na caverna, se aproximando mais de sua nova amante. Daenerys e Jon formaram instantaneamente um laço compartilhando de tais momentos pessoais. Quando ela voltou da Batalha da Estrada de Ouro, Jon Snow demonstrou carinho com Drogon, que ficou dócil em sua presença, impressionando Daenerys. Eles se aproximaram mais ainda quando passaram a compartilhar de ideias semelhantes quanto a preocupação com seus súditos e inocentes. Mais tarde quando Jon se arriscou para lá da Muralha na Caça à Criatura, Daenerys ficou genuinamente preocupada com o bem-estar dele, esperando-o por dias em Atalaialeste e, quando o mesmo regressou, ficou horas a seu lado na cama. Jon, vendo a preocupação de Daenerys não só com sua saúde, mas com o bem-estar de todos que foram caçar à criatura, decidiu ajoelhar-se para ela, entregando-lhe a coroa e se apaixonando imediatamente por ela. Eles fizeram sexo pela primeira vez a caminho de Winterfell para a Grande Guerra. Tyrion pontuou a Varys e Davos que eles formavam um bom casal, apesar do Mestre dos Sussurros ser cético quanto ao casamento deles: ele acreditava que Jon era dócil demais para Daenerys e seria facilmente dobrado por ela. Tyrion, que queria Jon como uma espécie de catalisador dos momentos mais emotivos de Daenerys, concordou com Varys, assumindo que Jon não teria forças para conter o lado violento de sua rainha. Daenerys assumiu para Sansa que amava o irmão dela, e quando a mesma questionou Jon sobre isso, ele ficou sem palavras. A devoção de Jon por Daenerys continuou após a revelação de sua identidade, porém o romance passou a ficar instável depois disso: por serem parentes, Jon não se sentia confortável com a relação incestuosa que tiveram, apesar de Daenerys ver em Jon um apoio emocional forte e ter dificuldade em deixá-lo, preferindo que seu amante nunca tivesse contado a ela sua identidade real. O fim do relacionamento deles chegou quando Daenerys, abalada por constantes rejeições―incluindo o amor de Jon―e perdas pessoais, queimou Porto Real. Ele ficou abalado com esta decisão, e foi incentivado por Tyrion a impedir Daenerys de continuar sua jornada de violência contra Westeros. Jon tentou convencê-la de ser misericordiosa, mas acabou encontrando ouvidos surdos para seus apelos. Por fim, Jon se sentiu obrigado a matá-la, mas não antes de declarar que ela era sua rainha para toda a vida.

Habilidades

  • Montar dragão: Jon Snow era capaz de montar em dragões como sua tia, Daenerys. Ele usou Rhaegal como montaria até a morte da criatura em Pedra do Dragão nas mãos de Euron Greyjoy.

Árvore genealógica

Lado paterno

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Famtree-AerionTargaryen.png
Aerion
Targaryen

"Chama-Viva"
Falecido
 
Famtree-MaesterAemon.png
Aemon n.
Aemon Targaryen
Falecido
 
Famtree-AegonVTargaryen.png
Aegon V
Targaryen


Falecido
 
House-Targaryen-heraldry.jpg
Rainha
Targaryen
desconhecida
Falecida
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
House-Targaryen-heraldry.jpg
Duncan
Targaryen

"o Pequeno"
Falecido
 
Famtree-AerysIITargaryen.png
Aerys II
Targaryen

"o Louco"
Falecido
 
Famtree-RhaellaTargaryen.png
Rhaella
Targaryen


Falecida
 
House-Targaryen-heraldry.jpg
Daeron
Targaryen


Falecido
 
House-Targaryen-heraldry.jpg
Rhaelle
Baratheon

n. Targaryen
Falecida
 
Lyonel AG.png
Lyonel
Baratheon


Falecido
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Famtree-EliaMartell.png
Elia
Martell



Falecida
 
Famtree-RhaegarTargaryen.png
Rhaegar
Targaryen



Falecido
 
Famtree-LyannaStark.png
Lyanna
Stark



Falecida
 
Famtree-ViserysTargaryen.png
Viserys
Targaryen

"o Rei
Pedinte"
Falecido
 
Famtree-DaenerysTargaryen.png
Daenerys
Targaryen

"Mãe de Dragões"
Falecida
 
Famtree-Drogo.png
Drogo



Falecido
 
House-Baratheon-Main-Square.PNG
Descendentes da
Casa
Baratheon


 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Famtree-RhaenysTargaryenOfRhaegar.png
Rhaenys
Targaryen


Falecida
 
Targaryen.JPG
Aegon
Targaryen


Falecido
 
Famtree-JonSnow.png
Jon Snow
nascido
Aegon
Targaryen
 
 
 
 
 
 
 
 
 
House-Targaryen-heraldry.jpg
Rhaego


Natimorto
 
 

Lado materno

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Famtree-RickardStark.png
Rickard
Stark


Falecido
 
Stark.JPG
Lyarra
Stark

Falecida
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Famtree-BrandonStark.png
Brandon
Stark


Falecido
 
Famtree-CatelynStark.png
Catelyn Stark
nascida
Tully
Falecida
 
Ned 3 (1).jpg
Eddard
Stark


Falecido
 
Famtree-LyannaStark.png
Lyanna
Stark


Falecida
 
Famtree-RhaegarTargaryen.png
Rhaegar
Targaryen


Falecido
 
Famtree-BenjenStark.png
Benjen
Stark


Falecido
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Famtree-RobbStark.png
Robb
Stark


Falecido
 
Famtree-TalisaStark.png
Talisa Stark
nascida
Maegyr
Falecida
 
Famtree-TyrionLannister.png
Tyrion
Lannister



 
Famtree-SansaStark.png
Sansa
Stark



 
Famtree-RamsayBolton.png
Ramsay Bolton
nascido
Snow
Falecido
 
Famtree-AryaStark.png
Arya
Stark



 
Famtree-BranStark.png
Brandon I
Stark

"o Quebrado"

 
Famtree-RickonStark.png
Rickon
Stark


Falecido
 
Famtree-JonSnow.png
Jon Snow
nascido
Aegon
Targaryen
 
 
 

Aparições

Série de TV

Aparições na primeira temporada de Game of Thrones
Winter Is Coming The Kingsroad Lord Snow Cripples, Bastards, and Broken Things The Wolf and the Lion
A Golden Crown You Win or You Die The Pointy End Baelor Fire and Blood
Aparições na segunda temporada de Game of Thrones
The North Remembers The Night Lands What Is Dead May Never Die Garden of Bones The Ghost of Harrenhal
The Old Gods and the New A Man Without Honor The Prince of Winterfell Blackwater Valar Morghulis
Aparições na primeira temporada de Game of Thrones
Valar Dohaeris Dark Wings, Dark Words Walk of Punishment And Now His Watch Is Ended Kissed by Fire
The Climb The Bear and the Maiden Fair Second Sons The Rains of Castamere Mhysa
Aparições na quarta temporada de Game of Thrones
Two Swords The Lion and the Rose Breaker of Chains Oathkeeper First of His Name
The Laws of Gods and Men Mockingbird The Mountain and the Viper The Watchers on the Wall The Children
Aparições na quinta temporada de Game of Thrones
The Wars to Come The House of Black and White High Sparrow Sons of the Harpy Kill the Boy
Unbowed, Unbent, Unbroken The Gift Hardhome The Dance of Dragons Mother's Mercy
Aparições na sexta temporada de Game of Thrones
The Red Woman * Home Oathbreaker Book of the Stranger The Door
Blood of My Blood * The Broken Man No One Battle of the Bastards The Winds of Winter

*Corpo em "The Red Woman"; visão de Bran em "Blood of My Blood"

Aparições na sétima temporada de Game of Thrones
Dragonstone Stormborn The Queen's Justice The Spoils of War
Eastwatch Beyond the Wall The Dragon and the Wolf
Aparições na oitava temporada de Game of Thrones
Winterfell A Knight of the Seven Kingdoms The Long Night
The Last of the Starks The Bells The Iron Throne

Jogos eletrônicos

Aparições em Game of Thrones: A Telltale Games Series
Iron From Ice The Lost Lords The Sword in the Darkness
Sons of Winter A Nest of Vipers The Ice Dragon

Galeria

Pôsteres

Imagens

Nos bastidores

Kit Harrington é o ator que interpreta Jon Snow na série de TV Game of Thrones. Ele foi dublado por Renan Freitas nas cinco primeiras temporadas e por André Sauer no restante após uma mudança de estúdio. Harrington competiu com os colegas de elenco Iwan Rheon, Alfie Allen e Joe Dempsie para o papel de Jon Snow. Durante a audição para o papel, Karrington estava de olho roxo devido a uma briga no dia anterior: ele havia levado uma garota para lanchar e um homem foi rude com ela, resultando em uma briga. Harrington acreditou que o olho roxo o ajudou no teste. Marcus Shakesheff foi um dublê de Kit Harington no papel de Jon Snow.

Harrington conheceu e se apaixonou pela companheira de elenco, Rose Leslie, durante as gravações de Game of Thrones. Os personagens que interpretavam, Jon Snow e Ygritte, eram amantes na série, e a química dos atores foi bastante elogiada por parte da crítica. Harrington e Leslie se casaram em 2018[67] e tiveram um filho em 2021.[68]

Harrington revelou que possuía em seu contrato termos exclusivos para cuidar de seu cabelo: ele não podia cortar mais do que um certo comprimento para que não atrapalhassem nas filmagens. Para conseguir o cabelo característico de Jon Snow, o cabeleireiro da série de TV Kevin Alexander primeiro teve que tingir o cabelo de Harington um pouco mais escuro; em seguida, para criar o efeito de cachos sujos, ele umedecia os cabelos e depois colocava uma mistura de cera e massa para cabelos antes deles secarem totalmente. Essa combinação mantinha os cachos macios e maleáveis―se eles fossem colocados em cabelos secos, ficariam rígidos.

Após sua morte na quinta temporada, Harington assumiu que lhe disseram para mentir para o resto do elenco e até mesmo para seus amigos e família. Sophie Turner, que interpretava Sansa Stark, aparentemente acreditou nele, enquanto Liam Cunningham, que interpretava Davos Seaworth, foi mais cético. Até mesmo o resto do elenco foi forçado a afirmar que Jon estava morto, como Maisie Williams, Emilia Clarke e Nikolaj Coster-Waldau, enquanto Natalie Dormer disse que Jon estava "morto agora... neste momento", sugerindo que ele voltaria. Ao longo da produção, o nome "Jon Snow" nem mesmo foi autorizado a ser mencionado, exceto para leituras do roteiro; ele foi referido apenas como "LC" (Lorde Comandante). A especulação desenfreada estourou após o vazamento de uma fotografia que mostrava Harington como Jon vestindo a roupa de um soldado da Casa Stark, alimentando a crença dos fãs de que Jon não havia morrido. O primeiro pôster lançado para a sexta temporada apresentava Jon ensanguentado mas aparentemente vivo. Após a exibição de "Home", Harington emitiu um pedido público de desculpas aos fãs da série por mentir para todos e expressou seu apreço pelo amor dos fãs por seu personagem.

Enquanto filmava o confronto direto de Jon com Ramsay em "Battle of the Bastards", Harington deu socos reais em Iwan Rheon duas vezes por acidente, embora Rheon não tenha ficado gravemente ferido.

Nos livros

Nos romances de As Crônicas de Gelo e Fogo, Jon começa a história com 14 anos. Diferente da série de TV, Jon é constantemente comparado a aparência de Eddard Stark, com diversas pessoas afirmando que ele se parece mais com seu pai do que seus meio-irmãos―exceto Arya, que se parece com Jon e Eddard. Jon possuí um rosto longo e solene, cabelos ondulados castanhos longos, olhos cinzentos e observadores, e geralmente mantém o rosto livre de pelos―apesar de possuir barba em um momento de A Fúria dos Reis.

Assim como na série, Jon é muito apegado a seus irmãos, e possui um certo rancor de Theon Greyjoy. Ele constantemente se lembra com carinho de sua família em Winterfell. No terceiro livro, A Tormenta de Espadas, Robb legitima Jon como um Stark e o nomeia seu herdeiro―acreditando que Bran e Rickon estavam mortos. Diferente da série, Jon revela pensamentos onde almeja o lugar de Robb como herdeiro do pai, se arrependendo sempre destes sonhos.

Nos livros, o parentesco de Jon ainda não foi revelado. Diversas teorias ainda circudam este assunto, com a mais forte―principalmente após a série de TV tê-la confirmado em sua continuidade―sendo R+L=J (Rhaegar e Lyanna). N+A=J (Ned e Ashara) também é uma teoria popular entre os fãs: Ashara Dayne é mencionada como sendo a crença popular dentro do universo de As Crônicas de Gelo e Fogo como mãe de Jon Snow. Eddard contou a Robert que a mãe de Jon foi Wylla, com Ned Dayne confirmando a história para Arya mais tarde. Enquanto isso, a Davos foi contado que a mãe de Jon foi uma filha de um pescador no caminho dele até Porto Branco.

Além de Ygritte, Jon aparenta ter uma queda por Val, irmã de Dalla e cunhada de Mance Rayder. Val é vista por Stannis como a princesa do povo livre, e sugere a Jon que ele se casasse com ela e se tornasse Jon Stark, assumindo seu lugar como Senhor de Winterfell para Stannis Baratheon. Após sua aparente morte no final do quinto livre, George R.R. Martin se recusou a dar declarações sobre o destino do personagem.

Links externos

Referências

  1. 1,0 1,1 "Oathbreaker", Episódio 03 da Sexta Temporada de Game of Thrones
  2. 2,0 2,1 2,2 "The Winds of Winter", Episódio 10 da Sexta Temporada de Game of Thrones
  3. 3,0 3,1 3,2 "Winter Is Coming", Episódio 01 da Primeira Temporada de Game of Thrones
  4. 4,0 4,1 4,2 "The Kingsroad", Episódio 02 da Primeira Temporada de Game of Thrones
  5. 5,0 5,1 "Lord Snow", Episódio 03 da Primeira Temporada de Game of Thrones
  6. "You Win or You Die", Episódio 07 da Primeira Temporada de Game of Thrones
  7. 7,0 7,1 "The Pointy End", Episódio 08 da Primeira Temporada de Game of Thrones
  8. "Baelor", Episódio 09 da Primeira Temporada de Game of Thrones
  9. "Fire and Blood", Episódio 10 da Primeira Temporada de Game of Thrones
  10. "The North Remembers", Episódio 01 da Segunda Temporada de Game of Thrones
  11. "The Night Lands", Episódio 02 da Segunda Temporada de Game of Thrones
  12. "What Is Dead May Never Die", Episódio 03 da Segunda Temporada de Game of Thrones
  13. "The Ghost of Harrenhal", Episódio 05 da Segunda Temporada de Game of Thrones
  14. "The Old Gods and the New", Episódio 06 da Segunda Temporada de Game of Thrones
  15. "A Man Without Honor", Episódio 07 da Segunda Temporada de Game of Thrones
  16. "The Prince of Winterfell", Episódio 08 da Segunda Temporada de Game of Thrones
  17. "Valar Morghulis", Episódio 10 da Segunda Temporada de Game of Thrones
  18. "Valar Dohaeris", Episódio 01 da Terceira Temporada de Game of Thrones
  19. "Dark Wings, Dark Words", Episódio 02 da Terceira Temporada de Game of Thrones
  20. "Walk of Punishment", Episódio 03 da Terceira Temporada de Game of Thrones
  21. "Kissed by Fire", Episódio 05 da Terceira Temporada de Game of Thrones
  22. "The Climb", Episódio 06 da Terceira Temporada de Game of Thrones
  23. "The Bear and the Maiden Fair", Episódio 07 da Terceira Temporada de Game of Thrones
  24. "The Rains of Castamere", Episódio 09 da Terceira Temporada de Game of Thrones
  25. "Mhysa", Episódio 10 da Terceira Temporada de Game of Thrones
  26. "Two Swords", Episódio 01 da Quarta Temporada de Game of Thrones
  27. "The Lost Lords", Episódio 02 da Primeira Temporada de Game of Thrones: A Telltale Games Series
  28. "The Sword in the Darkness", Episódio 03 da Primeira Temporada de Game of Thrones: A Telltale Games Series
  29. "Breaker of Chains", Episódio 03 da Quarta Temporada de Game of Thrones
  30. "Oathkeeper", Episódio 04 da Quarta Temporada de Game of Thrones
  31. "Sons of Winter", Episódio 04 da Primeira Temporada de Game of Thrones: A Telltale Games Series
  32. "First of His Name", Episódio 05 da Quarta Temporada de Game of Thrones
  33. "Mockingbird", Episódio 07 da Quarta Temporada de Game of Thrones
  34. "The Mountain and the Viper", Episódio 08 da Quarta Temporada de Game of Thrones
  35. 35,0 35,1 35,2 35,3 "The Watchers on the Wall", Episódio 09 da Quarta Temporada de Game of Thrones
  36. 36,0 36,1 "The Children", Episódio 10 da Quarta Temporada de Game of Thrones
  37. 37,0 37,1 "The Wars to Come", Episódio 01 da Quinta Temporada de Game of Thrones
  38. 38,0 38,1 "The House of Black and White", Episódio 02 da Quinta Temporada de Game of Thrones
  39. 39,0 39,1 39,2 "High Sparrow", Episódio 03 da Quinta Temporada de Game of Thrones
  40. "Sons of the Harpy", Episódio 04 da Quinta Temporada de Game of Thrones
  41. 41,0 41,1 "Kill the Boy", Episódio 05 da Quinta Temporada de Game of Thrones
  42. "The Gift", Episódio 07 da Quinta Temporada de Game of Thrones
  43. 43,0 43,1 43,2 43,3 "Hardhome", Episódio 08 da Quinta Temporada de Game of Thrones
  44. "The Dance of Dragons", Episódio 09 da Quinta Temporada de Game of Thrones
  45. 45,0 45,1 45,2 "Mother's Mercy", Episódio 10 da Quinta Temporada de Game of Thrones
  46. "The Red Woman", Episódio 01 da Sexta Temporada de Game of Thrones
  47. "Home", Episódio 02 da Sexta Temporada de Game of Thrones
  48. 48,0 48,1 "Book of the Stranger", Episódio 04 da Sexta Temporada de Game of Thrones
  49. "The Door", Episódio 05 da Sexta Temporada de Game of Thrones
  50. "The Broken Man", Episódio 07 da Sexta Temporada de Game of Thrones
  51. "No One", Episódio 08 da Sexta Temporada de Game of Thrones
  52. 52,0 52,1 52,2 52,3 52,4 52,5 "Battle of the Bastards", Episódio 09 da Sexta Temporada de Game of Thrones
  53. "Dragonstone", Episódio 01 da Sétima Temporada de Game of Thrones
  54. 54,0 54,1 "Stormborn", Episódio 02 da Sétima Temporada de Game of Thrones
  55. 55,0 55,1 55,2 55,3 "The Queen's Justice", Episódio 03 da Sétima Temporada de Game of Thrones
  56. 56,0 56,1 56,2 "The Spoils of War", Episódio 04 da Sétima Temporada de Game of Thrones
  57. 57,0 57,1 57,2 "Eastwatch", Episódio 05 da Sétima Temporada de Game of Thrones
  58. 58,0 58,1 58,2 58,3 58,4 58,5 "Beyond the Wall", Episódio 06 da Sétima Temporada de Game of Thrones
  59. 59,0 59,1 59,2 "The Dragon and the Wolf", Episódio 07 da Sétima Temporada de Game of Thrones
  60. 60,0 60,1 60,2 60,3 "Winterfell", Episódio 01 da Oitava Temporada de Game of Thrones
  61. Game of Thrones - Season 8 Episode 1 - Game Revealed (HBO) - YouTube
  62. 62,0 62,1 62,2 "A Knight of the Seven Kingdoms", Episódio 02 da Oitava Temporada de Game of Thrones
  63. 63,0 63,1 63,2 "The Long Night", Episódio 03 da Oitava Temporada de Game of Thrones
  64. 64,0 64,1 64,2 64,3 "The Last of the Starks", Episódio 04 da Oitava Temporada de Game of Thrones
  65. 65,0 65,1 65,2 65,3 65,4 "The Bells", Episódio 05 da Oitava Temporada de Game of Thrones
  66. 66,0 66,1 66,2 66,3 66,4 66,5 66,6 66,7 "The Iron Throne", Episódio 06 da Oitava Temporada de Game of Thrones
  67. Game of Thrones' Kit Harington and Rose Leslie Are Married | PEOPLE.com
  68. What is Kit Harington and Rose Leslie's baby's name? Fans say 'Winter has come' to 'Game of Thrones' couple | MEAWW
v  d  e
v  d  e
Reis e governantes independentes dos Sete Reinos
Advertisement