FANDOM


House-Arryn-Main-Shield
House-Arryn-Main-Shield
""A semente é forte"."
―As últimas palavras de Jon Arryn.

O Lord Jon Arryn era o Senhor do Ninho da Águia, Senhor do Vale, Protetor do Leste e o chefe da Casa Arryn. Ele serviu como a primeira mão do rei Robert Baratheon até morrer de circunstâncias misteriosas.

Biografia

História

Jon Arryn era o Senhor do Ninho da Águia e o chefe da casa Arryn, uma das grande casas de Westeros. Jon era o Protetor do Leste e o Defensor do Vale. Ele era um nobre respeitado, Eddard Stark e Robert Baratheon foram criados por ele durante a adolescência. O Rei Louco tolerou o suposto sequestro da irmã de Eddard, Lyanna, que também era a noiva de Robert, e exigiu que Eddard e Robert, ainda no Vale, fossem entregues à justiça do Rei. Em vez disso, Lord Arryn se rebelou, chamando suas bandeiras para a guerra. A Casa Stark e a Casa Baratheon seguiram o exemplo. Os rebeldes forjaram uma aliança com a Casa Tully através do casamento, com Eddard casando com Catelyn Tully e o então idoso Jon com a jovem Lysa Tully.

Após a vitória rebelde na guerra, Robert tornou-se Rei e nomeou Jon como sua Mão. Jon serviu o reino bem por muitos anos como Mão do Rei. Na verdade, Jon Arryn era essencialmente o homem que realmente segurava o reino em conjunto durante os próximos dezessete anos, enquanto Robert bebia e comia.

Jon Arryn Hand

Jon Arryn servindo como Mão do Rei

King Robert Baratheon Hand Jon Arryn

Jon Arryn manteve o reino junto para o rei Robert.

Jon Arryn morreu em Porto Rei imediatamente antes dos eventos da série, provocando a busca do Rei Robert por um substituto. Perto do final de sua vida, Jon estava investigando a legitimidade dos filhos de Cersei Lannister com o Rei Robert. Ele morreu depois de causas desconhecidas e inexplicadas, logo depois de descobrir que as crianças não eram secretamente as crianças biológicas de Robert Baratheon.

Suas palavras moribundas foram para Robert Baratheon: "A semente é forte".

1ª Temporada

O corpo de Jon Arryn é apresentado morto na sala do trono da Fortaleza Vermelha em Porto Real. Sor Jaime Lannister e a rainha Cersei discutem as tentativas de Jon de descobrir a verdade sobre seu relacionamento incestuoso. Mais tarde, a notícia da morte de Jon atinge Eddard Stark em Winterfell, que está chocado e chateado por considerar Jon como um segundo pai para ele. Catelyn então recebe uma carta de Lysa acusando a Casa Lannister de assassinar Jon.

Quando Eddard Stark atende a sua primeira reunião do Conselho Pequeno em Porto Real, ele fica chocado ao saber que o reino está com uma dívida de seis milhões de Dragões de Ouro e se recusa a acreditar que Jon Arryn deixaria isso acontecer. Grande Maester Pycelle e Renly Baratheon explicam ao Lord Stark que, o Rei Robert nem sempre seguiu os conselhos sábios e prudentes de Jon.

Jon Arryn Silent Sisters Funeral

Cerimônia de funeral para Jon Arryn.

Arryn pediu a Pycelle para lhe entregar o livro "As Linhagens e Histórias das Grandes Casas dos Setes Reinos", um livro detalhando as genealogias das nobrezas, que observa a preponderância da hereditariedade para o cabelo preto na Casa Baratheon.

Eddard Stark é informado de que Arryn visitou o ferreiro, Tobho Mott, várias vezes antes de sua morte e também falou com seu aprendiz Gendry, perguntando sobre sua mãe. Stark imediatamente percebeu ao encontrar-se com Gendry que ele era o filho bastardo do Rei Robert. "No dia em que morreu, Arryn encontrou-se com Mhaegen, uma prostituta no bordel de Lord Petyr Baelish. Ela mostrou sua filha, Barra, que foi gerada pelo rei Robert Baratheon"

Varys diz a Eddard que ele acha que Jon Arryn foi assassinado por fazer muitas perguntas, por um veneno raro e intratável conhecido como Lágrimas de Lys.

2ª Temporada

Em interrogatório forçado por Tyrion Lannister, Grande Maester Pycelle confessa que sabia que Jon Arryn havia descoberto a verdade de que os três filhos da rainha Cersei não foram concebidos por Robert, mas por seu irmão gêmeo Jaime Lannister. Pycelle afirma que Jon Arryn pretendia agir e revelar sua descoberta ao rei Robert. Quando Tyrion acusa Pycelle de ter envenenado Jon para evitar que a verdade saia, ele negou com raiva. Tyrion então aponta que Pycelle percebeu que alguém havia envenenado Arryn (e ele não estava simplesmente doente), mas ele o deixou sucumbir de qualquer maneira, ele então joga Pycelle nas Celas Negras.

4ª Temporada

Depois de se reunir com Petyr Baelish, Lysa declara obsessivamente seu amor por ele e as coisas que ela fez para demonstrar isso, incluindo encher o vinho de Jon com Lágrimas de Lys e depois enviar uma carta a Catelyn acusando a Casa Lannister do assassinato.

7ª Temporada

Eventualmente, Petyr é forçado a responder por seus muitos crimes, incluindo seu papel no assassinato de Jon Arryn, quando Sansa Stark o coloca de forma inesperada em julgamento. Sansa acusa publicamente Petyr de persuadir Lysa (que Petyr também assassinou) para envenenar Jon com Lágrimas de Lys e escrever uma carta a sua irmã Catelyn, acusando falsamente os Lannisters de matar seu marido, acendendo o conflito entre as duas grandes casas. Quando a culpa de Petyr torna-se clara para todos verem, seus gritos de misericórdia são ferozmente rejeitados por Sansa, sua irmã Arya Stark cortou sua garganta, exigindo justiça para Jon.

Por Trás das Cenas

Inicialmente, pretendia que a morte de Jon Arryn em Porto Real abrisse a série, seguindo a representação do prólogo do livro, e o evento seria discutido por Grande Maester Pycelle e Rainha Cersei Lannister em uma nova cena que não estava nos livros. Esta cena não foi filmada para o episódio piloto a favor de manter a abertura do romance. Jon Arryn foi interpretado nestas cenas por John Standing.

Em uma entrevista de novembro de 2015, Standing descreveu a cena da morte que ele filmou: Jon Arryn está febril e acamado (de ser envenenado), mas com uma última explosão de força desesperada, ele se arrastou pelo chão de sua cama para uma mesa de trabalho e do chão ele alcança caneta e tinta. Conforme ele puxa para baixo, sua força falha nele, no entanto, e ele acaba derramando o pote de tinta por ele mesmo. Em seus últimos segundos de vida, ele tenta fracamente mover sua mão para escrever algo com a caneta - apenas para Cersei Lannister (Lena Headey) para carimbar nos dedos para detê-lo, no qual ele morre pelo veneno. Standing disse que a filmagem era difícil porque ele descobriu a noite anterior que seu irmão mais novo havia morrido (embora a filmagem tivesse sido agendada com semanas de antecedência).

Nos Livros

Nos livros de As Crônicas de Gelo e Fogo, Jon Arryn é um grande senhor, um conselheiro sábio e tático. Ele é amado como um segundo pai tanto por Eddard quanto por Robert e tem grande respeito no vale de Arryn. Seu sobrinho e herdeiro Elbert Arryn estava entre os companheiros de Brandon Stark que foram presos e mortos pelo Rei Louco, provocando a decisão de Jon Arryn de se juntar à rebelião.

A primeira esposa de Jon Arryn, Lady Jeyne Royce, morreu no parto e sua filha morreu de nascença. Sua segunda esposa, Rowena, morreu sem problema. Lysa Tully, quarenta anos de idade, tornou-se sua terceira esposa como parte de uma aliança com Lord Hoster Tully de Correrio. O casamento era sem amor e produzia apenas uma criança sobrevivente, o Robert enfermado.

Nos livros, Eddard Stark descobriu que Arryn e Stannis Baratheon perguntaram sobre os filhos de Cersei e os bastardos de Robert. Na verdade, foi Stannis quem iniciou a investigação, enquanto na série de TV ele não é mencionado em absoluto no que diz respeito às ações de Arryn antes de sua morte - isso provavelmente mudou para que os telespectadores da TV não fiquem confusos sobre as ações de outro personagem ainda não visto.

Quando Tyrion confronta Pycelle com seus guardas, Pycelle admite que Jon Arryn estava sendo tratado pelo maester Colemon, que lhe daria purgãos para tirar o veneno. Pycelle, consciente de que Arryn conhecia o segredo do incesto de Cersei, enviou o outro maestre para longe e apenas deu analgésicos ao Lord Arryn para facilitar sua passagem. Na série de TV, a ênfase é ligeiramente diferente: Pycelle apresenta que ele simplesmente não interviu quando ele percebeu que Lord Arryn foi envenenado, embora Tyrion aponte que até mesmo sua inatividade quando ele poderia ter salvo Lord Arryn faz dele um cúmplice do assassinato. Na série de TV, Tyrion afirma vagamente que Pycelle deve ter "certeza de que ele sucumbiu", mas na versão do livro ele vai um pouco além da inação, descartando deliberadamente um maestre que poderia salvá-lo.

Mesmo nos livros, Pycelle não sabia quem realmente envenenava Jon Arryn, mas era conveniente para a Pycelle que alguém o envenenava antes de lidar com isso.

No livro, Lysa explode toda a verdade sobre a morte de Arryn enquanto ela está arrastando Sansa Stark para a porta da lua. Mindinho tenta em vão silenciar Lysa, sentindo-se desconfortável por ela revelar esse segredo na presença de Sansa e Marillion.

O motivo de envenenamento de Lysa é, na verdade, um pouco menos obsessivo, mas tão egoísta: ele planejou mandar seu filho a Pedra do Dragão para ser criado por Stannis Baratheon, de acordo com a tradição aceita para os nobres garotos nos Sete Reinos e o fato de que Stannis era o único - além de Ned - em que ele podia confiar. Isso não importa de modo algum para Lysa, pois não podia suportar a idéia de se separar de seu filho.

Mindinho aparentemente queria que Arryn estivesse morto para enganar os Starks e Lannisters para se combaterem (ajudado pela carta que Lysa escreveu para Catelyn), e também para que ele pudesse se casar com Lysa e assumir o controle do Vale. Assim, enquanto a situação era a mesma nos livros, a motivação de Lysa e o papel de Pycelle eram um pouco mais complicados.

O conteúdo da comunidade está disponível sob CC-BY-SA salvo indicação em contrário.