FANDOM


House-Targaryen-Main-Shield
House-Targaryen-Main-Shield
"Eventualmente, depois de séculos, Casa Martell foi para cama com os Targaryens. Nós levamos o Rei Daeron II e sua irmã para nós e seis reinos se tornaram sete"
Oberyn Martell[fonte]


Daeron II, conhecido como Daeron, o Bom, foi o décimo segundo Targaryen a se sentar no Trono de Ferro e governar os Sete Reinos. Foi durante o seu reinado que ocorreu a segunda grande guerra civil de Westeros, iniciada quando os Pretendentes Blackfyre tentaram tomar o reino para si.

Daeron era lembrado como um rei justo. Morreu durante a Grande Praga da Primavera.

História

Juventude

Daeron nasceu como filho mais velho e herdeiro de Aegon, o Indigno e sua irmã esposa, a rainha Naerys. Após a fracassada campanha dos Targaryen para conquistar Dorne, o Rei Baelor, o Abençoado, arranjou o casamento de seu primo, Daeron, com a Princesa Mariah Martell de Dorne como parte de um duplo contrato matrimonial entre os dois reinos a fim de estabelecer a paz no território. O próprio Baelor celebrou a cerimônia de casamento.

A Princesa Mariah trouxe muitos dos costumes dorneses com ela e muitos nobres dorneses vieram para a corte real na Fortaleza Vermelha. Essa mistura de costumes tornaram a corte de Daeron relativamente diferente. Alguns anos mais tarde eles tiveram seu primeiro filho, a quem chamaram de Baelor, em homenagem a Baelor, o Abençoado. Seguiram-se quatro outros filhos.

Daeron construiu um novo castelo em Solarestival, nas Marcas de Dorne, na região de junção entre Dorne, a Campina e as Terras da Tempestade.

O relacionamento de Daeron com seu pai, o Rei Aegon IV, nunca foi dos melhores. Enquanto o príncipe era um homem esclarecido e dedicado a família e aos estudos, seu pai era um homem não muito interessado em governar, preferindo se entregar aos prazeres mundanos, comendo muito e transando com várias mulheres (e gerando muitos bastardos no processo). Não demorou muito e a nobreza de Westeros começou a se dividir, entre aqueles que apoiavam o Rei Aegon IV e sua decadente e corrupta corte e aqueles que viam em Daeron a chance para o retorno do bom governo dos Sete Reinos. O rei, contudo, parecia favorecer seu filho bastardo, Daemon. Ao contrário de Daeron, ele era um grande guerreiro e lembrava em aparência o Conquistador.

No fim do reinado de Aegon IV, ganhou força o boato de que o Rei não acreditava que Daeron era seu filho, mas um produto do adultério entre a rainha Naerys e seu irmão, Aemon Targaryen. Diziam que o rei planejava deserdar Daeron para que Daemon Blackfyre herdasse o trono. Ainda assim, Daeron foi coroado Senhor dos Sete Reinos após a súbita doença e morte de Aegon IV.

Reinado

Daeron já tinha mais de quarenta anos quando ascendeu ao Trono de Ferro. Ele arranjou o casamento de sua irmã mais nova, Daenerys, com o Príncipe Maron Martell, governante de Dorne. Assim Daeron uniu Dorne aos Sete Reinos, finalmente concluindo a unificação de toda a região de Westeros abaixo da Muralha cerca de duzentos anos após Aegon, o Conquistador a ter iniciado.

O Rei era popular com muitos lordes e com a maioria do povo comum, que o apelidaram de "Daeron o Bom". Embora fosse mais um estudioso, dois dos seus filhos se tornaram grandes guerreiros. O mais velho, conhecido como Baelor Targaryen, era um renomado cavaleiro e excelente nas justas. Já Maekar era formidável no campo de batalha.

Durante seu reinado, Daeron teve de lidar com a segunda grande guerra civil de Westeros, causada pelos atos temerários de seu pai. Seu meio-irmão legitimado, Daemon Blackfyre, desafiou-o pelo direito ao Trono de Ferro, no que ficou conhecido como a Rebelião Blackfyre. Com a ajuda de seus filhos, Baelor Quebra-Lanças (que também servia como Mão do Rei) e Maekar, a rebelião foi esmagada na Batalha do Campo do Capim Vermelho.

Após liquidar com a primeira revolta Blackfyre, Daeron tomou terras, castelos e reféns dos lordes que haviam lutado contra ele, a fim de puni-los e garantir lealdade futura.

Após a guerra, o restante do seu reinado foi pacífico. Boas relações foram cultivadas com Dorne, que formalmente passou a fazer parte dos Sete Reinos. Sua corte real foi enchida com homens eruditos e capacitados, em contraste com o gabinete corrupto do seu pai.

Daeron II morreu durante a Grande Praga da Primavera, uma epidemia que também matou centenas de pessoas em todo o reino (incluindo seus dois netos).

O conteúdo da comunidade está disponível sob CC-BY-SA salvo indicação em contrário.