Game of Thrones Wiki
Advertisement
Game of Thrones Wiki

"Eles foram tocados pelos Caminhantes Brancos. Por isso eles voltaram. Por isso seus olhos ficaram azuis. Apenas fogo vai pará-los."
Samwell Tarly[fonte]

Uma criatura é um cadáver reanimado, humano ou animal, ressuscitado pelos Caminhantes Brancos para atuarem como seus asseclas. Criaturas são muitas vezes referidos coletivamente como o Exército dos Mortos, ou simplesmente como os mortos.

Características

Jafer Flowers após ser morto e tocado pelos Caminhantes. Ele parecia um cadáver comum, mas sem sinais de podridão.

Uma criatura é um corpo recentemente falecido que foi reanimado pelos Caminhantes Brancos. Muitas histórias afirmam que Caminhantes Brancos tem a capacidade de criar criaturas. Samwell Tarly observou que as criaturas ele tinha encontrado eram de pessoas mortas há semanas, mas eles não apresentaram sinais de podridão ou decadência. Independentemente da cor dos seus olhos quando vivos, todas as criaturas tinham olhos azuis gelados como os dos seus mestres. Criaturas também são quase indestrutíveis e podem suportar uma lesão que normalmente seria fatal, incluindo ferimentos e a remoção de membros e, mesmo os membros amputados ainda se moverão por conta própria. Decapitação é ineficaz, como o cadáver sem cabeça vai manter em movimento, embora sem seus órgãos sensoriais.

No entanto, criaturas são muito suscetíveis ao fogo. Sua carne é extremamente inflamável, como se estivesse revestida em óleo: ele vai facilmente pegar fogo e continuar a queimar se exposto a mesmo uma pequena chama. Como medida de precaução contra eles, o Povo Livre queimam seus mortos para que eles não possam ser revividos como criaturas. Assim como seus mestres, as criaturas podem ser mortas também por vidro de dragão e aço valiriano. Se o Caminhante Branco que reanimou um certo número de criaturas for morto, seus seguidores pereceram com ele. Como o Rei da Noite criou todos os Caminhantes, quando este é morto, todos os Caminhantes e as criaturas reanimadas por eles caem juntos.

A condição física de uma criatura irá corresponder aproximadamente à condição em que o cadáver estava quando foi reanimado. Um cadáver que foi morto de uma forma relativamente não-violenta e que é ressuscitado logo após a morte ainda parecerá relativamente bem. Em contraste, um cadáver que morreu violentamente ou que foi ressuscitado muito depois que ele morreu e que já tinha começado a se decompor, ainda vai parecer um cadáver mutilado e apodrecido. A reanimação vai retardar o processo físico de podridão e decaimento, mas caso contrário ele não restaura danos anteriores. Um cadáver com uma perna quebrada não tem a perna curada quando é reanimado pelos Caminhantes. Isso não afeta a sua mobilidade no entanto: criaturas que foram mortas por muitos anos podem apodrecer em um nível quase esquelético, com ossos expostos mantidos juntos por tendões e fragmentos de músculo, mas não serem menos rápidas ou violentas por isso, apesar de possuírem certas limitações e menor resistência a ferimentos que cadáveres frescos.[1]

Eles não parecem ter fome, mas já foram vistos comendo carne humana de pessoas mortas. Era comum também ver criaturas usando dentes como se fossem presas para atacarem seus alvos.

Caminhantes montavam cavalo-criaturas.

Criaturas não são particularmente inteligentes, e é discutível se essas criaturas são verdadeiramente sencientes e possuem auto-consciência. Eles não tem a capacidade de falar, proferindo apenas rosnados e silvos bestiais. Eles parecem ser capazes de realizar os comandos de ataque básicos dos Caminhantes Brancos, mas parecem funcionar mais em um nível instintivo. Eles podem se lembrar de como usar uma espada, mas eles não foram observados usando arcos e flechas ou outras ferramentas complexas. Exatamente o quanto as pessoas se lembram de suas vidas anteriores não está claro, ou se eles se lembram de tudo. Othor, um membro da Patrulha da Noite, parecia lembrar o caminho para o as câmaras do Senhor Comandante Jeor Mormont para tentar atacá-lo.

Os Caminhantes Brancos também são mostrados como sendo capazes de reviver qualquer animal morto como uma criatura, tais como cavalos. Caminhantes Brancos foram observados usando cavalo-criaturas como montarias. O Rei da Noite foi até mesmo capaz de reanimar Viserion, um dragão que havia matado para lá da Muralha.

História

Primeira Temporada

Enquanto faziam seus votos para a Patrulha da Noite, Jon Snow e Samwell Tarly descobriram três cadáveres de patrulheiros desaparecidos há semanas. Eles foram levados a Castelo Negro, onde Sam pontuou ao Senhor Comandante Mormont que, apesar de estarem mortos havia semanas, seus corpos não demonstravam sinais de podridão. Apesar de seus homens aconselharem queimar os cadáveres, o Senhor Comandante sugeriu estudá-los um pouco antes.[2]

Mais tarde enquanto descansava, Fantasma, o lobo gigante de Jon Snow, sentiu movimentos estranhos nos aposentos de Mormont. Ele e Jon foram até lá apenas para descobrir uma geada mais forte naquela região de Castelo Negro, e a porta dos aposentos do Senhor Comandante aberta. Ao entrar no local, Othor, um dos cadáveres encontrados pelos jovens intendentes, havia se erguido como uma criatura, com olhos azuis e sentidos primitivos. Othor parecia se lembrar de como lutar desarmado, e onde ficava os aposentos do Senhor Comandante, e tentara matá-lo. Jon lutou contra a criatura, mas seus golpes não faziam efeito. Jon então usou da vela que Mormont trazia para iluminar o quarto, e queimou Othor.[2]

Do dia seguinte, enquanto queimavam os corpos, Sam contou aos seus companheiros o que sabia sobre as criaturas. Elas foram reanimadas pelo toque dos Caminhantes Brancos, e podiam ser mortas pelo fogo. Ele também contou que os Caminhantes dormiam por milhares de anos, e que quando acordavam, ele esperava que a Muralha fosse alta o suficiente para impedi-los.[2]

Segunda Temporada

Criaturas avançaram contra o Punho dos Primeiros Homens.

Quando Qhorin Meia-Mão chegou ao Punho dos Primeiros Homens, Jon Snow usou o fato de ele ser o primeiro homem em milhares de anos a matar uma criatura para convencer Qhorin a aceitá-lo em sua viagem para destruir sentinelas selvagens.[3]

Dias após a partida de Jon e Qhorin, o Punho dos Primeiros Homens foi atacado por um grande número de criaturas e Caminhantes Brancos. Grande parte do grupo de expedição de Mormont foi massacrado, mas alguns conseguiram escapar.[4]

Terceira Temporada

"Sempre os artistas."
Mance Rayder[fonte]

Após a Batalha do Punho dos Primeiros Homens, uma criatura perseguiu Sam que foi salvo por Fantasma, e logo queimada pelo Senhor Comandante Mormont.[5]

Todos os irmãos negros mortos no Punho dos Primeiros Homens foram transformados em criaturas. Somente os cavalos mutilados foram deixados para trás pelos Caminhantes, que formaram um símbolo em zombaria aos Filhos da Floresta. Os destroços da batalha foi encontrado pelos selvagens mais tarde.[6]

Quarta Temporada

Criaturas se ergueram próximo à Caverna do Corvo de Três Olhos para matarem Bran Stark.

Conforme Bran Stark se aproximava da Caverna do Corvo de Três Olhos, algumas criaturas surgiram debaixo da terra e começaram a atacar o grupo. Verão foi capaz de defender seu dono, enquanto Bran entrava na pele de Hodor. Jojen Reed no entanto faleceu diante de uma criatura. Meera Reed o matou antes de serem salvos pelos últimos Filhos da Floresta. O grupo então entrou na caverna, que possuía uma proteção mágica contra os Caminhantes e suas criaturas.[7]

Quinta Temporada

"Ele ergueu suas mãos... e todos se levantaram. Milhares deles, o maior exército do mundo."
Jon Snow[fonte]

Karsi foi reanimada como uma criatura em Durolar.

Durante uma tentativa de negociação entre a Patrulha da Noite e os selvagens de Durolar, os Caminhantes atacaram o local pegando-os desprevenidos. Hordas de criaturas quebraram contra as muralhas de Durolar, e mais ainda foram lançadas dos penhascos que cercavam a aldeia. Quando o massacre acabou, o Rei da Noite e seus Caminhantes Brancos surgiram entre os mortos. Jon Snow e os selvagens que escaparam de barco só podiam assistir no meio do oceano enquanto, apenas com um levantar de braços, o Rei da Noite ressuscitava os mortos em seu exército como criaturas.[8]

Mais tarde Jon e Sam discutiram sobre Durolar. Eles sabiam que vidro de dragão matava tanto os caminhantes, quanto as criaturas, e Jon havia descoberto que aço valiriano também podiam lhes ser útil, mas não possuíam o suficiente de nenhum dos dois minerais.[9]

Sexta Temporada

Os Caminhantes Brancos avançaram com criaturas contra a Caverna do Corvo de Três Olhos.

Enquanto descansavam na Caverna do Corvo de Três Olhos, Bran usou a árvore-coração por conta própria, sem saber para onde a visão o levaria. Sem intenção, ele foi levado diante do Rei da Noite e o Exército dos Mortos. Quando ele percebeu a presença de Bran, o marcou e, dessa forma, quebrou a proteção da caverna. O Corvo de Três Olhos os avisou para partir, e logo a caverna ficou cercada por criaturas. Elas tentaram encontrar e fazer suas próprias entradas para dentro da caverna. Lá, eles destroçaram os Filhos da Floresta e o próprio Verão. Hodor teve que segurar uma porta para que Meera e Bran pudessem fugir, com criaturas o apunhalando constantemente.[10]

Enquanto fugiam da caverna, as criaturas logo alcançaram Meera e Bran. Eles foram rapidamente salvos por Benjen Stark, tio de Bran e antigo Primeiro Patrulheiro da Patrulha da Noite, dado como morto a anos. Benjen os levou para longe das criaturas, onde revelou que estava vivo graças aos Filhos da Floresta que colocaram uma adaga de vidro de dragão em seu coração, da mesma forma que o Rei da Noite foi criado em primeiro lugar.[11]

Sétima Temporada

"Se não vencermos essa luta, esse será o destino de todas as pessoas no mundo."
Jon Snow, para a Rainha Cersei I Lannister[fonte]

Os Caminhantes foram vistos caminhando até a Muralha, com até mesmo gigantes em seu exército.[12]

Jon viajou até Pedra do Dragão quando descobriu que lá havia uma enorme quantidade de vidro de dragão para ser minerado. Daenerys Targaryen estava em posse do castelo e Tyrion havia chamado Jon, agora Rei do Norte, para dobrar o joelho a ela. Jon passou sua estadia em Pedra do Dragão tentando convencer Daenerys que o Exército dos Mortos é real, e ajudou seus homens a minerar vidro de dragão para a Grande Guerra.[13]

Bran, que havia alcançado Winterfell após ser deixado em Castelo Negro por Benjen, entrou nas peles de corvos e viajou para lá da Muralha, onde viu o Exército dos Mortos e o Rei da Noite marchando para Atalaialeste do Mar. Ele então pediu para que o Meistre Wolkan que enviasse corvos para o resto dos Sete Reinos avisando-os da ameaça.[14]

Em Pedra do Dragão, Tyrion sugeriu uma trégua com Cersei I, afirmando que se mostrassem que o Exército dos Mortos é real, ela lhes daria trégua para que lutassem sua guerra para lá da Muralha. Um plano para conseguir extrair uma criatura foi feito, com Jon, Jorah, Gendry, Tormund, a Irmandade Sem Bandeiras e alguns selvagens indo para lá da Muralha com a intenção de levar um soldado do Exército dos Mortos à Cersei.[14] Em seu caminho até os Caminhantes, um urso-criatura avançou sob o grupo, matando alguns selvagens e Thoros de Myr. Eventualmente eles capturam uma criatura, matando um Caminhante que havia transformado criaturas ao seu redor exceto por uma, que Clegane rapidamente capturou. Porém, esta criatura avisou outras com um grito, fazendo com que Gendry corresse de volta a Atalaialeste e avisasse Daenerys por um corvo que eles precisariam de um resgate.[15]

Logo, o grupo ficou cercado por criaturas em volta de um lago meio congelado, onde esperaram por dias até Daenerys e seus dragões chegarem. Quando o lago que eles es escondiam voltou a congelar, as criaturas avançaram contra o grupo e rapidamente foram salvos por Daenerys. O Rei da Noite no entanto abateu Viserion, e algumas criaturas acertaram Jon, o derrubando debaixo do lago. O resto do grupo fugiu com a criatura capturada em Drogon.[15]

Jon conseguiu sair do lago, mas logo foi atacado por mais criaturas. Benjen no entanto o salvou, se sacrificando para que Jon pudesse fugir em seu cavalo. As criaturas rapidamente subjugaram Benjen. Mais tarde, as criaturas usaram uma enorme corrente para erguer Viserion debaixo do lago congelado, e o Rei da Noite foi capaz de trazê-lo para seu exército, o tornando um dragão-criatura.[15]

Criaturas esperaram em frente à Atalaialeste para que Viserion e o Rei da Noite quebrassem a Muralha.

Daenerys e seu grupo levaram para o Fosso dos Dragões a criatura capturada, mostrando-a à Rainha Cersei I e seus seguidores. Euron Greyjoy rapidamente se assustou com ela, afirmando que levaria a Frota de Ferro de volta às Ilhas de Ferro acreditando que as criaturas não conseguiam nadar. Jon lhes mostrou que as criaturas podiam ser mortas com fogo, aço valiriano ou vidro de dragão. Cersei eventualmente concordou com uma trégua, afirmando que até mesmo levaria o exército Lannister para o Norte afim de ajudar na Grande Guerra. Isso no entanto era uma farsa para abaixar a guarda de Daenerys e seu grupo: Cersei mandou Euron para contratar a Companhia Dourada em Essos e planejava deixar Daenerys e seu grupo quebrar contra os mortos ao Norte, enquanto se fortalecia ao Sul.[16]

Mais tarde em Atalailaleste, a os selvagens e a Irmandade Sem Bandeiras foram atacados pelo Rei da Noite montado em Viserion. Ele conseguiu destruir a parte ao extremo oeste da Muralha, derrubando-a ao mar. As criaturas então avançaram para o Norte pela primeira vez em oito mil anos.[16]

Oitava Temporada

Ned Umber foi pregado na parede em volta de um símbolo feito de pedaços humanos pelos Caminhantes. Quando voltou como criatura, foi queimado por Beric.

Enquanto investigavam a Última Lareira, Beric e Tormund se encontraram com o novo Senhor Comandante da Patrulha da Noite, Eddison Tollett. Ele os revelou que o castelo estava abandonado após o Rei da Noite e suas criaturas devastarem o lugar. Ele havia deixado uma mensagem: o garoto Ned Umber pregado na parede em volta de uma espiral feita de pedaços de corpos de pessoas mortas do castelo. De repente, Ned voltou como uma criatura, apenas para ser queimado por Beric.[17]

Eventualmente, os mortos chegaram a Winterfell. Os vivos estavam reunidos no castelo, já com suas defesas preparadas. Uma horda Dothraki avançou sob as criaturas enquanto a batalha começava, apenas para serem destroçados na escuridão. Logo, as próprias criaturas quebraram contra a primeira linha de defesa dos vivos em uma enorme horda que engoliu a maior parte do exército de Winterfell. Eddison Tollett foi um dos que pereceram nesta investida. Daenerys, que inicialmente planejara esperar a chegada do Rei da Noite, mudou de plano e avançou sob as criaturas, massacrando os mortos com diversas rajadas de fogo.[18]

Os mortos rapidamente invadiram Winterfell durante a Grande Guerra.

Os vivos rapidamente recuaram para o castelo, perdendo metade dos Imaculados neste processo, e logo acenderam as trincheiras, impedindo as criaturas de avançarem ainda mais. O Rei da Noite no entanto, após encontrar Bran no Bosque Sagrado, mandou as criaturas caírem em locais específicos em cima do fogo das trincheiras, fazendo uma espécie de ponte para que outros mortos pudessem avançar. Eles rapidamente quebraram contra as muralhas de Winterfell, as escalando e lutando com os vivos dentro do castelo. Arya Stark foi rapidamente subjugada pelas criaturas, e tentou se esconder dentro do castelo. Lá, Beric se sacrificou para que ela pudesse continuar viva e cumprir seu papel.[18]

O Rei da Noite reergueu os mortos uma última vez durante a Grande Guerra.

Quando Jon quase se aproximou do Rei da Noite, ele ergueu seus braços novamente igual havia feito em Durolar, trazendo de volta todos os que haviam caído naquela batalha. Pessoas como Lyanna Mormont e Edd Doloroso foram trazidos de volta como criaturas. A batalha continuou, com as criaturas chegando ao Bosque Sagrado onde Bran era protegido pelos homens de ferro. Theon Greyjoy foi o último protetor que ficou de pé para defender Bran das criaturas, que logo pararam de atacar por ordem do Rei da Noite. Elas ficaram encarando Greyjoy com seus olhos azuis mortos enquanto seu mestre se aproximava de seu alvo. Theon, em uma última investida, tentou derrubar o Rei da Noite, mas foi morto pelo mesmo.[18]

O Rei da Noite avançou até Bran com uma calma e lentidão metódica, ficando frente a frente com ele antes de sacar sua arma. No entanto, Arya conseguiu atravessar as criaturas e os Caminhantes distraídos e atacou o Rei da Noite, enfiando nele uma adaga de vidro de dragão que destruiu por completo o Exército dos Mortos. Com o Rei da Noite caído, os outros caíram periodicamente, extinguindo os Caminhantes e as criaturas.[18]

Criaturas notáveis

  • {Garota selvagem} - uma garota selvagem que foi pregada em uma árvore e mais tarde encontrada por Will, um Patrulheiro da Patrulha da Noite. Quando o grupo de Will começou a ser atacado, a garota selvagem foi vista por ele, que correu em seguida.
  • {Jafer Flowers} - um Patrulheiro que fazia parte do grupo de Benjen Stark quando ele desapareceu. O corpo de Jafer foi encontrado por Fantasma mais tarde, e levado para Castelo Negro, onde seria estudado por Meistre Aemon. Foi queimado mais tarde pela Patrulha da Noite.
  • {Othor) - um Patrulheiro que fazia parte do grupo de Benjen Stark quando ele desapareceu. O corpo de Jafer foi encontrado por Fantasma mais tarde, e levado para Castelo Negro, onde seria estudado por Meistre Aemon. Othor foi reanimado como criatura e atacou os aposentos de Mormont, mas foi detido por Jon Snow, que o queimou.
  • {Bruni} - um selvagem que tinha um relacionamento amoroso com Osha. Um dia ele morreu e foi reanimado como criatura, atacando sua antiga amada. Osha queimou a cabana do casal, matando-o no processo.
  • {Karsi} - uma esposa de lanças que vivia em Durolar. Quando o lugar foi atacado pelos Caminhantes Brancos, Karsi foi morte por criaturas crianças. Em seguida, ela logo foi reanimada pelo Rei da Noite e voltou como criatura.
  • {Finn} - um recruta da Patrulha da Noite que foi apunhalado no estômago por um morto, e pode ser queimado por Gared Tuttle após voltar como uma criatura.
  • {Criatura capturada} - uma criatura capturada durante a Caça à Criatura. Foi levada à Porto Real em um encontro da Rainha Cersei I e a pretendente Daenerys Nascida da Tormenta. Jon Snow o usou como prova que o Exército dos Mortos é real para Cersei I e Euron Greyjoy, e o queimou para mostrar como matá-los.
  • {Viserion} - reanimado como criatura pelo Rei da Noite após ter sido abatido por ele durante a Caça à Criatura. Viserion foi usado para abrir uma brecha na Muralha e lutou contra seus irmãos vivos Rhaegal e Drogon antes de ser destruído quando Arya Stark matou o Rei da Noite.
  • {Ned Umber) - o herdeiro da Casa Umber. Foi morto durante o ataque dos Caminhantes à Última Lareira, onde foi pregado na parede junto a uma mensagem do Rei da Noite. Ele foi reanimado como criatura e, enquanto ainda preso na parede, foi queimado por Beric.

Nos bastidores

No início, na série de TV, os mortos eram apresentados como criaturas semelhantes a zumbis, de movimentos lentos, como nos livros. No entanto, as criaturas que atacam o grupo de Bran em "The Children", bem como aqueles que atacam os selvagens e a Patrulha da Noite em "Hardhome", são bastante rápidos e apodreceram ao ponto de serem pouco mais que esqueletos. O diretor de "The Children", Alex Graves, confirmou em uma entrevista subsequente que esta era de fato uma homenagem à famosa cena de luta de guerreiros esqueletos em movimento de Ray Harryhausen no filme de 1963, Jason and the Argonauts. Graves afirmou que a homenagem foi sua sugestão, com a qual Benioff e Weiss concordaram.

As criaturas que atacam o grupo de Bran, na verdade, não são inteiramente criações CGI, mas dublês vestindo ternos verdes, com próteses pesadas então adicionadas sobre eles, ou seja, partes que não estão muito podres, como sua cabeça ou tórax, são próteses, mas um braço que havia apodrecido totalmente até se transformar em osso, foi feito em pós-produção quando o dublê vestiu uma longa manga verde que poderia ser substituída digitalmente.

Embora as criaturas mais rápidas possam ter começado como uma homenagem a Harryhausen na quarta temporada, o diretor Miguel Sapochnik explicou que Benioff e Weiss enfatizaram a ele que, para "Hardhome" da quinta temporada, eles queriam distinguir visualmente as criaturas dos "zumbis" mais tradicionais (como os destaques em The Walking Dead), aparentemente preocupados com o fato de que, no meio visual da televisão, o público os consideraria genéricos demais.

Nos livros

Nos romances de As Crônicas de Gelo e Fogo, as criaturas são retratadas de maneira levemente diferente da série. Não se tem um atual Rei da Noite como na série, então não se sabe quanto tempo e quais as circunstâncias exatas levam os mortos a se erguerem, porém sabe-se que o toque dosa Outros fazem com que as criaturas voltem a andar. Melisandre acredita ser necromancia que os traz de volta à vida. Eles parecem manter uma memória de quando ainda estavam vivos, até mais do que retratado na série de TV. Vidro de dragão e aço valiriano não são necessariamente efetivos contra uma criatura, com Melisandre afirmando que apenas fogo basta para pará-los. Quando se corta um membro de uma criatura, este ainda se moverá. Elas também são mais lentas do que retratado na série de TV, apesar de surgirem em grandes números semelhantes ao episódio "The Long Night".

No prólogo de A Guerra dos Tronos, após ser morto pelos Outros, Sor Waymar Royce se reergueu como criatura e matou Will. Após o massacre no Punho dos Primeiros Homens em A Tormenta de Espadas, as criaturas e os Outros continuaram a seguir a Patrulha da Noite até a fortaleza de Craster, se escondendo na floresta sem atacá-los. É dito que os Outros só atacam em grande escala à noite, levando as criaturas a fazê-lo também. É possível também que o frio venha com as criaturas e os Outros, visto que quando Othor estava para atacar o Senhor Comandante, Jon Snow sentiu que o Castelo Negro estava mais frio que o habitual, considerando que havia sido um dia quente com a Muralha "chorando" em sua face.

Assim como na série, apesar de aparentemente não precisarem comer, as criaturas já foram vistas consumindo carne de suas vítimas.[19] Não se sabe com certeza se eles podem nadar nos livros.

Referências

Advertisement