FANDOM


"Não foi por homicídio que os deuses amaldiçoaram o Cozinheiro Ratazana, ou por servir o filho do rei em uma torta ... ele matou um convidado sob o seu teto ... isso é algo que os deuses não podem perdoar."
Bran Stark[fonte]

O Cozinheiro Ratazana faz parte das lendas e mitos dos Sete Reinos.

De acordo com essa lenda em particular, um rei uma vez fez uma visita ao Fortenoite, então o castelo principal na Muralha. Devido a algumas ofensas do rei, (Bran Stark disse que não conseguia lembrar o motivo exato enquanto ele relata a história) o cozinheiro matou o filho do rei e serviu sua carne em uma torta para o rei desconhecido. O rei gostou tanto da torta que pediu para repetir.

Os deuses amaldiçoaram o cozinheiro transformando-o em uma ratazana gorda que só podia sobreviver banqueteando-se com seus próprios filhotes. Ele foi condenado a vagar pelos corredores do Fortenoite, comendo seus próprios filhos. Os deuses não ficaram ofendidos com o assassinato, nem mesmo por ter cozinhado e servido de alimento ao seu pai, pois um homem tem o direito de se vingar. O que os deuses não podiam perdoar e amaldiçoaram o cozinheiro por que ele quebrou as leis de hospitalidade e proteção, que são consideradas sagradas acima de todas as outras.

História

Temporada 3

Enquanto está sentado ao redor de uma fogueira no Fortenoite abandonado, Bran Stark conta a história do Cozinheiro Ratazana para seus companheiros de viagem, Meera e Jojen Reed.[1]

Temporada 6

Embora não seja mencionado novamente, esta história presumivelmente serve como modelo para a irmã de Bran, Arya, quando ela vinga as mortes de sua mãe, irmão e cunhada grávida matando Walder Frey, que deixou os Starks assassinados com uma falsa sensação de segurança estendendo-lhes oficialmente o direito de convidado.[2] Primeiro, ela mata seus filhos, Black Walder e Lothar, que respectivamente mataram sua mãe e sua cunhada, e os faz tortas que ela serve ao pai, disfarçada de servente. Quando Walder expressa sua frustração com seus filhos pelo atraso, Arya ironicamente revela que ele acabou de consumir a carne deles antes de cortar sua garganta.[3]

Nos livros

A história é muito parecida nos romances [As Crônicas de Gelo e Fogo]], exceto que o rei da história é identificado como um rei de Ândalo. É extremamente conhecida no Norte e até existe uma canção popular sobre isso. A música é usada para representar as repercussões para aqueles que violam o direito do convidado sagrado.

No quinto romance, Lord Wyman Manderly traz três tortas enormes para o casamento de Ramsay e "Arya Stark", serve os Boltons e os proeminentes convidados de Frey, e pede a Abel, o bardo, para tocar a música sobre o Cozinheiro Ratazana. Talvez seja um indício de que essas tortas são, como especulado pelos fãs, feitas dos três Freys que compareceram à corte de Lord Manderly em Porto Branco, e desapareceram sem deixar vestígios a caminho de Winterfell - uma retaliação pela morte do filho de Lord Manderly no casamento vermelho.

George R.R. Martin pode ter se inspirado sobre o Cozinheiro Ratazana no mito grego sobre a maldição da Casa de Atreu. Os dois irmãos Atreu e Tiestes estavam rivalizando sobre a realeza, e Atreu descobriu que Tiestes estava tendo um caso com sua própria esposa, Érope. Atreu exigiu vingança convidando Tiestes para jantar em sua casa, depois matou secretamente os filhos de Tiestes, cozinhou sua carne e a serviu a Tiestes, que não sabia de nada. Depois que ele terminou de consumir sua própria carne, Atreu revelou a Tiestes o que ele havia feito e o insultou mostrando as cabeças e mãos decepadas de seus filhos. Esta é a fonte da moderna frase "Festa de Tiestes", uma festa em que carne humana é servida.

Notas

Obviamente baseado no mito de Tântalo com pequenas alterações ou reversões.

Referências

  1. Mhysa
  2. As Chuvas de Castamere (episódio)
  3. Os Ventos do Inverno


O conteúdo da comunidade está disponível sob CC-BY-SA salvo indicação em contrário.