FANDOM


House-Blackfyre-Main-Shield
House-Blackfyre-Main-Shield

Sor Aegor Rivers, por vezes chamado de Açoamargo, foi um renomado guerreiro e um dos Grandes Bastardos de Aegon, o Indigno. Sua mãe foi Barba da Casa Bracken.

Como fundador da Companhia Dourada, manteve firme apoio aos Pretendentes Blackfyre ao Trono de Ferro.

História

Aegor nasceu em Porto Real, filho bastardo do rei Aegon IV e sua amante Barba Bracken. Eventualmente, sua mãe retornou para sua casa em Barreira de Pedra, nas Terras Fluviais, levando Aegor consigo. Lá ele passaria sua infância e parte da adolescência, antes de retornar já como adulto para a capital do reino.

Aegor foi nervoso por toda sua vida, mas reservava um ódio especial contra seu meio-irmão Brynden Rivers. Aegor passou a odia-lo ainda mais quando Shiera Seastar, meia-irmã de ambos, escolheu Brynden para se relacionar. Eventualmente, Aegor se casou com Calla Blackfyre, filha do seu meio-irmão Daemon.

Pouco antes do Rei Aegon IV falecer, ele legitimou todos os seus bastardos. Aqueles de nascimento nobre, como Aegor, ficaram conhecidos como "os Grandes Bastardos". Apesar do seu meio-irmão e grande amigo, Daemon, portar a espada do rei, a Blackfyre, e ser favorecido por um punhado de nobres (incluindo seu pai, o rei), foi Daeron II Targaryen que sucedeu Aegon IV no Trono de Ferro. Desde o início, Aegor (que na época já era conhecido pela alcunha de "Açoamargo") começou a tentar convencer o irmão Daemon a lançar sua reivindicação a coroa. Após anos de hesitação, os Blackfyre finalmente decidiram se erguer em revolta, com apoio total de Aegor Rivers.

Assim, logo no começo da grande Rebelião Blackfyre, Aegor ficou ao lado de seu meio-irmão Daemon Blackfyre. Seu outro meio-irmão por parte de pai, Brynden "Corvo de Sangue" Rivers, a quem odiava, ficou do lado de Daeron II, assim como boa parte de Westeros. O conflito foi decidido na Batalha do Campo do Capim Vermelho, onde Aegor comandou o flanco direito do exército rebelde. Após a morte de Daemon, Aegor reuniu suas tropas e atacou os arqueiros de Corvo de Sangue, arrancando um olho de seu meio-irmão no processo. Contudo, o exército lealista Targaryen colocou os Blackfyre em fuga e, com a derrota de Daemon, a revolta foi sufocada.

Conseguindo recuperar a espada de aço valiriano da família Targaryen, Blackfyre, Açoamargo fugiu de Westeros ao fim da rebelião e exilou-se na Cidade Livre de Tyrosh com os filhos restantes de Daemon. Ele criou a famosa organização mercenária, a Companhia Dourada, com o objetivo de manter unidos os apoiantes da Casa Blackfyre, pois os outros lordes exilados começavam a juntar-se a outras companhias mercenárias. Apesar da notória falta de confiabilidade dos mercenários, a Companhia Dourada tem a reputação de nunca ter quebrado um contrato e serem muito eficientes em combate. Uma homenagem ao fundador pode ser encontrado no lema da Companhia: "Sob o ouro, o aço amargo".

Por razões desconhecidas, Aegor não apoiou Daemon II Blackfyre quando este tentou reivindicar a coroa. Ele preferiu ficar em Essos, sedimentando suas forças. Foi somente alguns anos depois que Açoamargo voltou para Westeros para tentar colocar os Blackfyre no Trono de Ferro de uma vez por todas, apoiando a reivindicação de Haegon I. A Terceira Rebelião Blackfyre, contudo, resultou em novo fracasso e Aegor foi capturado pelos lealistas Targaryen e enviado como cativo para a Fortaleza Vermelha. Brynden Rivers e o príncipe Aerion Targaryen argumentaram pela execução imediata de Açoamargo. Contudo, o Rei Aerys I optou por envia-lo para viver exilado na Muralha, servindo a Patrulha da Noite. Mas no meio do caminho, no mar estreito, seu navio foi interceptado por homens da Companhia Dourada. Aegor foi libertado e voltou para Essos, onde continuou a tramar seu retorno e a ascensão dos Blackfyre. Reunindo suas forças, ele coroou, em Tyrosh, Daemon III, filho de Haegon, como rei dos Sete Reinos.

Alguns anos mais tarde, a Companhia Dourada voltou a invadir Westeros. O Rei no Trono de Ferro, Aegon V Targaryen, moveu-se rapidamente e marchou com seus filhos na frente de um grande exército lealista. Desta vez os rebeldes não ofereceram muita resistência, sendo massacrados na Batalha da Ponte do Guaquevai. Contudo, mais uma vez, Aegor escapou.

Açoamargo passou os últimos anos de sua vida nas Terras Disputadas, em Essos, junto com o que sobrou de sua companhia mercenária, resolvendo uma escaramuça entre Tyrosh e Myr, oferecendo suas espadas para quem pagasse mais. Mesmo velho e sem energia, Açoamargo não esqueceu do seu objetivo de vida, que era colocar os Blackfyre no Trono de Ferro. Em seu leito de morte, Aegor ordenou aos homens da Companhia que fervessem a carne de seu crânio, mergulhassem-no em ouro e carregassem-lo quando cruzassem o mar para retomar os Sete Reinos. Seus sucessores no comando da Companhia seguiram seu exemplo.

O conteúdo da comunidade está disponível sob CC-BY-SA salvo indicação em contrário.